Oi, o que você está procurando?

BENDITA LÍNGUA

Fazer uma chupeta

Professor Hélio Consolaro explica que a língua é um ser vivo em constante evolução, conforme a vontade de seus usuários

Então, a viatura da polícia não tinha partida. Várias tentativas e nada! Não havia disponível “um fio de transferência de energia automotiva”.

O policial foi a uma fabriqueta nas imediações à procura de tal fio. Chegando lá, só mulheres. E ele pediu:

– Vocês não têm um fio de transferência de energia automotiva?

Entreolharam-se com um risinho maroto, e uma delas perguntou:

Anunciante

– O senhor quer fazer uma chupeta?

E riram. O soldado explicou:

– Isso mesmo. A viatura não tem partida. Eu queria falar chupeta, mas achei chato.

E todos riram.

Anunciante

Vamos pôr o assunto na mesa, caro leitor?

Chupeta é um objeto com ponta arredondada de borracha que se dá a bebês para chupar. Quer coisa mais inocente! Mas também significa sexo oral praticado na genitália masculina.

Como também é “um recurso provisório para dar a partida no motor de um veículo automotor cuja bateria esteja descarregada e que consiste em ligar esta bateria à de um outro veículo em perfeitas condições”.  Chupar energia de outra bateria.

Conclusão: a língua é um ser vivo em constante evolução, conforme a vontade de seus usuários. Os gramáticos e professores de Português são policiais que agem para que o português não se diversifique muito e perca sua condição de código.

Anunciante

*Hélio Consolaro é professor de Português e colunista do Regional Press

Tira-dúvidas on-line:

www.benditalingua.blogspot.com
[email protected]
WhatsApp: (18) 99786 9445

Anunciante
Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!

Mais lidas – 24H






Anunciante
Anunciante
Anunciante