Oi, o que você está procurando?

Banner Samar Eco
Banner Samar Eco

Política

Clube da Árvore de Araçatuba é declarado de Utilidade Pública

ONG tem 16 anos de existência e, neste período, plantou mais de dez mil árvores, principalmente na área urbana do município, de diferentes espécies

Câmara de Araçatuba aprovou projeto de autoria do vereador Boatto (MDB), que declara a entidade de utilidade pública - Foto: Angelo Cardoso

Os vereadores de Araçatuba aprovaram nessa segunda-feira (22) o projeto de lei proposto pelo vereador Boatto (MDB) que declara de Utilidade Pública o Clube da Árvore.

O clube é uma organização não governamental que atua voluntariamente desde 2005 em ações de arborização na cidade e em projetos educativos para despertar atitudes sustentáveis nas pessoas para respeitarem o meio ambiente.

Em 16 anos, a ONG plantou mais de dez mil árvores em Araçatuba, principalmente na área urbana. Foram plantadas espécies como sibipiruna, pau ferro, pau mulato, aroeira pimenteira, ipê branco e amarelo. jequitibá rosa. Além do plantio, o Clube tem um cronograma de fazer a manutenção das árvores por dois anos.

ONG atua no plantio de árvores e na educação ambiental de crianças; ações foram suspensas por causa da pandemia 

O Clube da Árvore também desenvolve um projeto do Ministério do Meio Ambiente no município, com ações de educação ambiental voltadas a crianças da rede municipal de ensino. No entanto, por causa da pandemia, foi suspenso.

Este ano, a ONG está realizando encontros semanais para a capacitação de voluntários, com temas variados, como produção de mudas, arborização urbana, educação ambiental, compostagem, tecnologias ambientais e política nacional de resíduos sólidos.

Reconhecimento

Para o presidente do Clube da Árvore, Leo Potje, a declaração de utilidade pública é um reconhecimento de que o trabalho desenvolvido é importante para a cidade e vai possibilitar a isenção de energia elétrica e de água, além de permitir que a ONG concorra a editais públicos e receba recursos de emendas parlamentares.

Hoje, a entidade vive de doações e tem uma receita mensal de apenas R$ 230,00, porque o sistema de boleto, no qual os 49 associados contribuíram com valores de R$ 15,00 a R$ 50,00 por mês, foi suspenso devido à pandemia.

A ONG funciona em uma sede localizada no zoológico municipal desde 2018. Para Potje, a declaração de utilidade pública também irá preservar a ocupação da entidade no prédio do município. “É um documento importante para que possamos permanecer lá”, disse.

Projetos

Para este ano, a ONG irá realizar o plantio de 500 árvores na zona rural, com a ajuda de apoiadores, Rotary e Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O projeto é denominado “Vamos Plantar Água”, em alusão ao Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!