Oi, o que você está procurando?

Região de Araçatuba tem desfalque de oito profissionais do Mais Médicos

A região de Araçatuba está com desfalque de oito profissionais do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, que substituíram os cubanos nos municípios de Araçatuba, Penápolis, Ilha Solteira e Sebastianópolis do Sul, entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019.

A maioria dos desistentes optou por fazer residência médica, por isso saiu do Programa. Para suprir a falta destes profissionais, os municípios estão fazendo remanejamentos de profissionais e de pacientes, enquanto aguardam a publicação de um novo edital, pelo Ministério da Saúde, para a contratação de outros médicos.

A cidade mais prejudicada é Araçatuba, com quatro médicos desistentes, de um total de 23. Os profissionais trabalhavam nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Umuarama, São Vicente, TV e São José. Os desligamentos ocorreram nos últimos dois meses.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, as unidades estão se organizando para suprir a demanda de atendimento, mas admite que há um pouco de demora em função da saída dos quatro médicos.

A dona de casa Vânia Maria dos Santos, 51, foi à UBS do Umuarama na manhã desta sexta-feira (5), mas acabou desistindo de esperar. “Vou para casa tomar um remédio para dor de cabeça, porque se eu ficar aqui, vou é piorar”, afirmou. Ela estava com dores pelo corpo, na cabeça e náusea.

NOVO EDITAL

Em nota, o município informou que representantes do Ministério da Saúde se reuniram com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) para discutir sobre as vagas do Programa Mais Médicos.

“O Ministério se comprometeu a publicar ainda este mês outro edital, com aproximadamente 3 mil vagas, para preencher as vagas do País”, afirmou a Secretaria Municipal de Saúde, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa da Prefeitura.

PENÁPOLIS

Em Penápolis, das três vagas disponibilizadas para o Mais Médicos, duas estavam ocupadas, mas um profissional desistiu do Programa.

Enquanto isso, o município realiza remanejamento de profissionais e pacientes entre as unidades existentes para que ninguém fique sem atendimento.

“A expectativa é de que o processo de seleção ocorra ainda neste mês, após a conclusão do Programa de Residência Médica, também do governo federal”, afirmou a Prefeitura.

ILHA SOLTEIRA

Em Ilha Solteira, dos quatro médicos do programa, um desistiu. Ele atendia em um bairro rural, cuja população é de três mil habitantes, e saiu do Mais Médicos há dois meses.

SEBASTIANÓPOLIS DO SUL

Já em Sebastianópolis do Sul, o único médico do programa saiu. Enquanto isso, os outros cinco profissionais do município atendem à demanda.

DEMAIS CIDADES

Os demais municípios da região participantes do Mais Médicos não foram afetados. São eles Mirandópolis, com cinco médicos que atendem nas oito Unidades Básicas de Saúde da cidade; Andradina com três profissionais; Castilho (5); Braúna (1); Glicério (1); General Salgado (2); Gastão Vidigal (1); Guzolândia (1); Itapura (1); Turiúba (1); Lavínia (3); Santo Antônio do Aracanguá (1) e Sud Mennucci (1).

Os cubanos começaram a deixar os Mais Médicos no dia 20 de novembro do ano passado. Com isso, o governo federal teve de lançar editais para a contratação de médicos, com preferência para os profissionais brasileiros.

 

Municípios que perderam médicos:

Araçatuba – 4

Penápolis – 1 (das três vagas do Mais Médicos, duas estavam preenchidas, mas um profissional desistiu, portanto apenas uma está ocupada, atualmente)

Ilha Solteira – 1

Sebastianópolis do Sul – 1

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!