CONECTE CONOSCO

Depoimento na Polícia

Sogro que matou o genro em Araçatuba alega legítima defesa e conta detalhes

Acusado do assassinato foi ouvido pela Polícia Civil nesta terça-feira, em Araçatuba; Aposentado confessou o crime

Publicado em

Depoimento foi dado à Polícia Civil nesta terça-feira, em Araçatuba (Imagem Ilustrativa)


O funcionário público estadual aposentado, que matou o genro a tiros em Araçatuba, se apresentou na Polícia Civil, admitiu o crime e alegou que agiu em legítima defesa dele e de terceiros.

Acompanhado do advogado criminalista Luiz Raphael Arello, o acusado J.C.M., de 69 anos, confessou ter atirado contra o ex-presidiário Júnio Gilberto de Vicente, 46 anos, para defender a filha e os netos, que segundo ele, estariam sofrendo reiteradas ameaças de morte.

O depoimento, obtido pelo Regional Press, foi dado nesta terça-feira (9) ao delegado Abelardo Alves Gomes, no 1º Distrito Policial de Araçatuba. Como não foi preso em flagrante, o acusado vai responder pelo crime de homicídio em liberdade.

O assassinato ocorreu no último dia 4 de outubro na rua Gastão Vidigal, bairro Antônio Pagan. O aposentado disse em depoimento que foi até a casa da filha após tomar conhecimento de supostas ameaças de morte. Segundo ele, Junio era bastante ciumento e tinha comportamento agressivo.

O aposentado alegou que foi até a casa da filha após saber que Junio pretendia ir até o local. O acusado disse que no dia do crime, a vítima entrou na casa de sua filha e passou a ameaça-la de morte.

Nesse meio tempo, o acusado, que estava armado, disparou um tiro contra Junio. Ele disse que atirou quando a vítima colocou a mão na cintura.

Advogado criminalista Luiz Raphael Arello, que defende o acusado

Conforme o depoimento do acusado, mesmo ferido, Junio deixou a casa andando. O aposentado alega que ficou no local por algum tempo e após alguns minutos resolveu deixar a casa de carro.

De acordo com o depoimento, na saída o acusado voltou a encontrar a vítima. O aposentado alegou que Junio teria arremessado contra ele blocos de construção e que diante do fato atirou mais algumas vezes na direção do genro, fugindo em seguida.

O acusado disse que tomou conhecimento da morte da vítima posteriormente e que jogou a arma usada no crime no córrego Lafon, perto de um rancho após o bairro rural de Engenheiro Taveira.

O aposentado alega que trabalhou por 23 anos como carcereiro e que agiu para defender a si, a filha e os três netos. O indiciado se comprometeu a comparecer nas audiências que for convocado.

“Meu cliente é uma pessoa séria, honesta e que dedicou 23 anos de sua vida ao serviço público na polícia”, disse o advogado Luiz Raphael Arello. “Ele agiu sob forte emoção de um pai e um avô que queria proteger a sua família”.

O advogado disse que tem motivos para acreditar que a Junio tinha a intenção de matar a mulher, os filhos e depois tirar a própria vida. “Acreditamos nessa hipótese após conversar com testemunhas”, disse.

“Na verdade, uma tragédia maior foi evitada”, considerou Arello em entrevista ao Regional Press.

Leia Mais:

Ex-presidiário é assassinado após discussão com sogro em Araçatuba

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

POLÍCIA

Flordelis não está colaborando com investigações, diz MP do Rio

A polícia não descarta a participação da deputada federal na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo

Publicado em

BINHO DUTRA/DIVULGAÇÃO

O promotor Sérgio Lopes Pereira, responsável pelo caso do assassinato do pastor Anderson do Carmo, informou que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) e a família não estão colaborando com o andamento das investigações. A afirmação foi feita durante entrevista ao Fantástico, da TV Globo, nesse domingo (23/06/2019).

“Se mata um ente querido, você quer saber quem foi e a forma de saber é colaborando com as investigações. Nós não estamos vendo isso por parte da família, infelizmente”, disse o representante do Ministério Público do Rio de Janeiro. Assim como a delegada Bárbara Lomba, que investiga o caso, o promotor reforçou que todos que estavam na casa no momento do crime são suspeitos.

Flordelis é esperada na manhã desta segunda-feira (24/06/2019) na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG). A viúva foi convocada para prestar um novo depoimento sobre a morte do marido. De acordo com a assessoria da deputada, Flordelis aceitou o convite nos termos formulados pela polícia, pois tem o interesse de colaborar com as investigações.

Na reportagem, o advogado Fabiano Leitão Migueis, que representa a deputada, rebateu a afirmação do promotor. “Ela quer colaborar. Está ansiosa para que esse resultado venha logo, que isso seja esclarecido. Ela foi clara para mim: doa a quem doer, mesmo que o responsável ou os responsáveis sejam um ente querido dela”, revelou.

Investigações
A participação de Flordelis na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, não está descartada pelos investigadores. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSGI) apura essa possibilidade, assim como ainda tenta desvendar a motivação para o crime.

Um dos filhos da parlamentar afirmou aos investigadores que a mãe e as três irmãs podem estar envolvidas na morte do pai, assassinado a tiros. O rapaz, que não teve a identidade revelada, afirmou também que uma das três irmãs suspeitas ofereceu R$ 10 mil ao irmão Lucas dos Santos para matar Anderson do Carmo.

“Não está esclarecida se a execução aconteceu daquela forma que foi narrada, se são só essas pessoas envolvidas. Então, muita coisa ainda está indefinida. São muitas motivações possíveis, pode ser mais de uma. E não está comprovada a relação extraconjugal”, explicou a delegada Lomba.

A investigadora destacou, durante atendimento à imprensa, que não foram encontrados os celulares da vítima, Anderson do Carmo, nem de Flávio dos Santos, um dos dois filhos do casal presos na segunda-feira passada (17/06/2019), acusado de ser um dos mandantes do assassinato. “Certamente havia informações importantíssimas”, enfatizou. Bárbara também ressaltou que, a princípio, o celular de Flordelis não será investigado.

Crime
O pastor Anderson do Carmo, marido da cantora e deputada federal Flordelis (PSD-RJ), foi morto na madrugada do último dia 16, em Niterói, no Rio de Janeiro. Os dois são pais de 55 filhos, sendo quatro biológicos. Eles moravam na comunidade do Jacarezinho quando adotaram, de uma vez, 37 crianças — todas sobreviventes de uma chacina ocorrida na estação Central do Brasil.

Na última segunda-feira (17/06/2019), a polícia prendeu dois filhos do casal, Lucas dos Santos e Flávio Rodrigues de Souza. Segundo informações da polícia, os assassinos doparam o cachorro da família para chegar à residência.

Pastora evangélica e cantora gospel, Flordelis recebeu 196.959 votos no primeiro mandato, sendo a quinta mais votada no Rio de Janeiro, com 2,55% dos votos válidos no estado. Ela já havia sido candidata em 2004 a vereadora em São Gonçalo (RJ), pelo então PMDB.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

vias de fato

Após discussão idoso é empurrado por estudante e socorrido pelo Resgate

Publicado em

Um aposentado de 80 anos precisou ser socorrido por uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros na tarde deste sábado após levar um empurrão de uma estudante de 19 anos, e cair, sofrendo algumas escoriações pelo corpo e passar a sentires fortes dores nas costas. No boletim de ocorrência consta que houve troca de acusações entre ambos, que são vizinhos no bairro Jardim TV.

De acordo com o boletim de ocorrência, o aposentado contou que a vizinha sempre teve problemas com ele. Neste sábado, estava chegando em sua casa quando a estudante entrou em frente ao seu carro e começou a xingá-lo. O aposentado desceu e acabou sendo empurrado pela jovem. Ele caiu e sofreu algumas lesões pelo corpo, passando a sentir dores nas costas.

O idoso precisou ser socorrido por unidade de resgate do Corpo de Bombeiros até o pronto-socorro municipal. Já a estudante contou aos policiais que o idoso tem mania de ficar encarando ela e sua filha, e já teria ouvido dizer que ele chegou a ser agredido em outra ocasião acusado de mexer com crianças.

A moça relatou que estava de bicicleta com sua filha quando o idoso teria encarado as duas como forma de insulto. A moça disse que iria contar o fato para a esposa do idoso. De acordo com ela, assim que desceu do carro ele teria ido em sua direção e a agarrado pelos cabelos, momento em que o empurrou para se defender.

Na delegacia foi registrado um boletim de ocorrência de lesão corporal e vias de fato. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

calote

Síndico de ranchos é agredido com marreta após cortar água de inadimplente em Araçatuba

Publicado em

Um funcionário público de 72 anos, que é sindico de um condomínio de ranchos localizado no final da estrada vicinal Jocelim Gottardi, em Araçatuba, foi agredido com dois golpes de marreta no tórax após um desentendimento com um casal, motivado pelo corte no fornecimento de água no racho dos acusados, devido à inadimplência.

De acordo com a Polícia, o sindico informou que, seguindo regulamento do condomínio, determinou que funcionários fizessem o corte de água do rancho do casal, um comerciante e a esposa dele, porque sempre há problemas no pagamento das taxas mensais.

No entanto, no sábado, funcionários perceberam que havia muito vazamento de água próximo ao cavalete. Também notaram que, apesar da água ter sido cortada, o comerciante estava enchendo a piscina e aguando as plantas. Eles foram até o local para informar que precisaria fazer uma manutenção no local devido ao vazamento, e que iriam precisar quebrar a calçada.

Também informaram que o fornecimento de água havia sido cortado. O comerciante ficou irritado, disse que estava com os pagamentos em dia. O casal tentou impedir a saída dos dois funcionários da frente do rancho, pedindo a presença do síndico no local e reclamando da calçada quebrada.

Quando o síndico foi ao rancho dos acusados, passou a ser xingado pela proprietária, que muito nervosa, pegou uma marreta e partiu para cima dele atingido dois golpes na região do tórax, mas que não chegaram a causar lesões. O síndico procurou a polícia para registrar o boletim de ocorrência.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
94