Oi, o que você está procurando?

Araçatuba

Centenas de professores protestam contra volta às aulas presenciais

Professores querem sensibilizar as autoridades para que se adie a volta às aulas presenciais em Araçatuba

Carreata dos professores na Avenida Café Filho, cruzamento com a Pompeu de Toledo

Centenas de professores das redes de ensino estadual e municipal participaram de uma manifestação, no final da tarde desta quarta-feira (14), em Araçatuba (SP), para sensibilizar as autoridades para que se adie a volta às aulas presenciais.

Com camisetas brancas, cartazes e flores, os servidores da educação fizeram uma carreata da Avenida Café Filho até o terminal rodoviário de Araçatuba, ao lado da Prefeitura Municipal.

Eles alegam que os professores, funcionários de outros setores da escola e alunos não podem ser expostos ao risco de contaminação do coronavírus, que tem  matado a população ao redor do mundo.

Com o lema “sem vacina, sem aula”, os professores também fizeram uma homenagem aos profissionais da área da educação que morreram de Covid-19 em Araçatuba.

Flores depositadas em homenagem aos professores mortos pela Covid-19 em Araçatuba

Foram depositadas flores ao lado do terminal rodoviário em alusão às vítimas da doença na cidade , em especial aos professores.

A carreata contou com um esquema especial de segurança que envolveu a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal. Equipes paralisaram o trânsito nos principais cruzamentos das avenidas Joaquim Pompeu de Toledo e Brasília.

A manifestação ocorreu sem incidentes. O ato contou com apoio e participação do Sisema (Sindicado dos Servidores Municipais de Araçatuba) e da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo).

Levantamento da Apeoesp aponta que houve 2.359 casos de infecção pelo novo coronavírus em 1.077 unidades escolares estaduais e municipais, com 69 óbitos, após a reabertura das escolas, no dia oito de fevereiro.

Em Araçatuba, as professoras Kátia Cruz e Judith Modena, assim como a educadora de creche Lourdes Carvalho, morreram após contraírem a doença. Até o dia três de março, a rede de ensino do município contabilizava 19 casos positivos em 14 diferentes escolas. Na escola estadual Luiz Gama, houve um surto da doença e precisou ser fechada.

No dia 18 de fevereiro, a Apeoesp declarou “greve sanitária” e, com o agravamento da pandemia, as aulas foram suspensas em março, quando o Estado de São Paulo entrou na chamada fase emergencial, devido ao aumento no número de casos, óbitos e internações, causando um colapso no sistema hospitalar.

Na última sexta-feira (9), o governo anunciou a volta dos alunos às escolas a partir desta quarta-feira (14), com a presença de 35% dos alunos em sala de aula. Em Araçatuba, o retorno está previsto para a próxima segunda-feira (19).

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!