Oi, o que você está procurando?

Solidariedade

Após internar o pai com Covid, filha pede ajuda para pagar hospital

Família não tem condições de custear as despesas; só a diária do hospital custa R$ 10 mil

Carlão está intubado e em ventilação mecânica na UTI do Hospital Unimed Araçatuba - Foto: Álbum de Família

Não bastasse ter de lidar com a angústia de ter um ente querido intubado, a família do funcionário público municipal Carlos Roberto da Silva, 57 anos, enfrenta dificuldades para pagar as despesas de sua internação em um hospital particular de Araçatuba, para tratamento da Covid-19.

Diante da impossibilidade de uma vaga de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em um hospital da região, a psicóloga Natasha de Oliveira Silva não hesitou em internar o pai no Hospital Unimed Araçatuba, nessa terça-feira (6).

Os custos, no entanto, são altos – a diária custa aproximadamente R$ 10 mil, sem contar os gastos com medicamentos, médicos e materiais de intubação.

Por isso, a família pede ajuda para pagar as despesas, cujo valor ainda não é possível dimensionar, porque não se sabe quanto tempo ele irá precisar ficar internado. Se a internação for de dez dias, os custos ficarão em R$ 100 mil só de diárias.

Sem leitos na região

Carlão da Bandeira, como é conhecido em Valparaíso, sua terra natal e onde já exerceu mandato de vereador, foi levado à Santa Casa local no dia 31 de março, permanecendo internado até a última segunda-feira (5).

Como sua saturação estava baixa e não reagia ao oxigênio disponibilizado no hospital, os médicos decidiram transferi-lo para um leito de UTI, pois seus pulmões já estavam comprometidos.

No entanto, não havia vagas disponíveis em Araçatuba nem em outros municípios da região. A Cross (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde) só disponibilizava leitos em cidades distantes, mas a família teve receio de que ele não suportasse o trajeto, como ocorreu com um morador de Valparaíso que faleceu a caminho de São Paulo, capital.

“Não pensei duas vezes em internar o meu pai na Unimed, não tem preço que pague pela vida dele”, afirma a filha Natasha. “Assinei um documento autorizando todo o tratamento, inclusive a intubação, porque era o hospital mais próximo com vaga de UTI e agora estamos lutando para pagar esta dívida, que ainda não sabemos em quanto ficará”, completou, dizendo que, a cada três dias, o hospital vai informar o valor das despesas.

Videochamada

Nessa quarta-feira (7), um dia após a sua internação, Carlão precisou ser intubado. Antes, fez uma videochamada para conversar com a esposa e os filhos. “Ele estava ciente da intubação, mas ficou apavorado”, conta Natasha. Segundo ela, em 2017 o pai enfrentou um câncer de próstata, por isso a preocupação com sua saúde.

O que a família sabe é que, até agora, a dívida está em R$ 20 mil, referentes às duas diárias da internação. Eles não têm condições de bancar o tratamento particular sozinhos. Carlão é servidor público na Prefeitura de Valparaíso e sua esposa é professora.

Para quitar as despesas, amigos fizeram, nessa quarta-feira (7), uma vaquinha virtual para arrecadar R$ 80 mil. Em um dia, conseguiram angariar pouco mais de R$ 12 mil. A família também conseguiu várias prendas para rifar, como extensão de cílios, roupas, óculos, tênis, ovos de chocolate, brigadeiros, leitoa e um dia de beleza.

Serviço

Quem quiser e puder ajudar, pode entrar no link da vaquinha virtual https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-ao-carlao-bandeira ou entrar em contato com Natasha pelo whatsapp (18) 98168-2574.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
30