Oi, o que você está procurando?

PTB racha em Araçatuba e Andorfato decide voltar à disputa eleitoral

O PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) de Araçatuba está rachado em plena campanha eleitoral. O presidente da sigla, Fred Wilson Souza, renunciou ao cargo e também à candidatura de vice na chapa encabeçada pelo Domingos Andorfato, que depois de anunciar sua desistência da disputa, voltou atrás e declarou que continua no páreo pela Prefeitura de Araçatuba, mesmo após sua impugnação, em duas instâncias, pela Justiça Eleitoral, e agora, aguarda julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

As mudanças no partido foram anunciadas em uma reunião realizada na noite dessa sexta-feira (30), com a presença dos candidatos a vereador do PTB. Marcado por muito bate-boca, o encontro definiu o futuro da sigla em Araçatuba, que passou a ser presidida pela farmacêutica Luciana Espadaro Iescas, esposa de Andorfato.

A briga interna no partido teve início quando Andorfato declarou publicamente que Fred estaria negociando o partido com o candidato a prefeito de Araçatuba pelo MDB, Cido Saraiva, em troca de apoio ao grupo de 23 vereadores da sigla. Na quinta-feira (29), ele levou o caso ao presidente estadual do PTB, deputado Campos Machado, que destituiu Fred da presidência do diretório local. Antes que isso fosse anunciado na reunião, porém, o agora ex-petebista renunciou ao cargo.

Em entrevista ao Regional Press, Andorfato ainda acusou Fred de querer ficar com o dinheiro que o PTB mandaria para a campanha de Araçatuba. “Ele queria pegar uns R$ 400 mil em nome do partido, gastar R$ 40 mil na campanha e ficar com o resto do dinheiro. Esta é a grande verdade”, acusou.

Inelegível

Sobre a manutenção de sua candidatura, Andorfato disse que foi uma insistência de Machado. “Vamos continuar com a nossa campanha e aguardar o julgamento do Tribunal Superior Eleitoral, que é quem vai decidir se estou inelegível ou não”, afirmou. O novo vice, segundo ele, será escolhido no decorrer da próxima semana.

A inelegibilidade de Andorfato, segundo as decisões judiciais da primeira e segunda instância da Justiça Eleitoral, está relacionada à liquidação extrajudicial de suas empresas de consórcios pelo Banco Central do Brasil, em 1997. Depois disso, o advogado foi condenado em ações judiciais a indenizar os consorciados, o que não foi feito até hoje, o que o torna inapto a disputar cargos eletivos.

Outro lado

O então presidente do PTB, Fred Wilson, se defende das acusações de Andorfato. “Nunca houve essa conversa. Nós fizemos uma reunião com os candidatos a vereador, que pediam apoio financeiro, pois não tinham combustível, cabo eleitoral nem santinho, mas nunca negociei o partido. Vou provar na Justiça que isso não aconteceu. Armaram um circo para me retirar do partido. Levei uma rasteira”, afirmou.

Ele contou que chegou a levar o problema da falta de recursos para a campanha de vereadores ao diretório estadual, de que tem teria obtido o aval para confeccionar os santinhos dos candidatos sem o nome de Andorfato.

Fred disse, ainda, que o combinado inicialmente foi que Andorfato colocaria R$ 1 milhão na campanha. “Primeiro, ele falou que tinha os recursos. Depois, percebi que ele estava com dificuldades e com a inelegibilidade dele, ficou difícil a Executiva Estadual repassar recursos”, disse.

Sobre a acusação de ter a intenção de ficar com parte dos recursos da campanha, Fred declarou: “Não existe isso, eu tenho que prestar contas de tudo. Isso o que ele está fazendo comigo não se faz, ele quer me destruir, porque tem mágoa do passado, quando ele foi destituído da presidência do PTB, em 2007, e eu assumi o partido”, afirmou.

Fred disse sair do partido com a cabeça erguida, mas desapontado. “Eu montei a chapa com os 23 candidatos a vereador. Entrei na vida dessas pessoas, conversei com um a um, e agora acontece isso. Estou um pouco triste, mas não vou sair da política”, declarou, sem dizer se irá apoiar outro candidato nestas eleições.

Sem recursos

Andorfato disse que nunca prometeu injetar R$ 1 milhão na campanha. “Eu não tenho esse dinheiro. Nós falamos com o Campos Machado e ele disse que deverá dar ao partido entre R$ 20 mil e R$ 30 mil. Nossa campanha vai ser indo de casa por casa, comércio por comércio, mostrando nossas ideias”, declarou.

Surpresa

Cido Saraiva, por sua vez, afirmou que recebeu com surpresa as declarações de Andorfato. “Que se restabeleça a verdade: não existe negociação com o PTB ou qualquer outro partido fora da nossa coligação para apoiar a minha candidatura. Seguimos nossa campanha, rumo à vitória, com entusiasmo, apresentando as propostas para desenvolver Araçatuba e melhorar a vida dos araçatubenses.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!