Oi, o que você está procurando?

Araçatuba

Obra da Pompeu de Toledo será retomada na segunda-feira

Foto: Arquivo

Nesta quinta-feira (6), o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, assinou a ordem de serviço que autoriza a continuação da obra de prolongamento da avenida Pompeu de Toledo. As obras recomeçam na segunda-feira (10).

A empresa Acxel Engenharia LTDA. foi a vencedora do processo licitatório para fazer a canalização do Córrego Machadinho entre a rua Tupinambás e a marginal Anhanguera.

O serviço terá o investimento de R$8.710.043,34, ou seja, 8,0035% menor do orçado pela prefeitura, que era de R$ 10.057.414,34. O prazo de execução é de 12 meses.

A pavimentação asfáltica será feita pela empresa Sanches e Sanches LTDA., com investimento de R$2.986.175,02. O prefeito Dilador Borges externou sua alegria em poder fazer parte desse momento histórico para Araçatuba.

“Apesar de todos os percalços que a obra teve, seguimos cumprindo nosso compromisso de trabalhar pelas pessoas. Não ficamos estagnados em nenhum momento e assinatura da ordem de serviço hoje é reflexo disso. É uma alegria muito grande nosso governo finalmente concluir essa obra tão esperada. Acredito que até o final do ano conseguiremos concluir a canalização e pavimentação, para que a avenida Pompeu de Toledo chegue até a marginal Anhanguera, ligando à rodovia Marechal Rondon. Essa será uma nova entrada à cidade, convidando toda a região para visitar nossa Araçatuba e também desafogar o trânsito da zona sul. Obra é desenvolvimento, uma cidade bonita, organizada e em que o trânsito flui traz mais segurança e qualidade de vida para todos”.

Os vereadores Jaime José da Silva e Antonio Edwaldo Dunga Costa também participaram da assinatura.

Histórico

As obras para o prolongamento da avenida Pompeu de Toledo começaram em abril de 2019. No entanto, uma ação na Justiça tentou parar os trabalhos, mas o processo foi derrubado.

Em julho do ano passado, peixes mortos foram jogados no córrego para acusar os trabalhos decorrentes da obra de crime ambiental. Foi comprovado que os peixes não são naturais do córrego.

Em abril de 2020, a prefeitura rescindiu, unilateralmente, o contrato com a empresa TMK Engenharia, então contratada para canalizar o córrego Machadinho. A justificativa para romper o acordo foi o atraso de 120 dias no andamento da obra. Na ocasião, foi aplicada multa de 5% do valor do contrato, que era de R$8,3 milhões.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
29