Oi, o que você está procurando?

pandemia

Busca pelo auxílio emergencial e saque do FGTS volta a provocar grandes filas na Caixa

Os problemas no app impedem os beneficiários de usarem o auxílio emergencial, por isso buscam o atendimento presencial

A semana começou com grandes filas e aglomeração nas agências da Caixa Econômica Federal, em Araçatuba. A procura pela instituição financeira coincide com a liberação da 4ª parcela do auxílio emergencial e do crédito dos novos saques do FGTS para os trabalhadores nascidos em abril. Ambos começaram a serem pagos nessa segunda-feira (20). Os calendários foram divulgados no domingo (19) pela Caixa e pelo governo federal.

Na agência da Rua do Fico, no bairro São Joaquim, a fila acompanhava quase todo o quarteirão. Muitas pessoas aguardavam pelo atendimento nas primeiras horas da manhã, segundo informações apuradas pela reportagem da Folha da Região.

Idosos e pessoas com crianças se aglomeravam sem respeitar o distanciamento mínimo. E a cena se repetiu em outros pontos da cidade.

Nas últimas semanas, as filas virtuais e dificuldade no uso do aplicativo Caixa Tem – poupança digital da Caixa Econômica Federal em que beneficiários recebem o auxílio emergencial e o FGTS – levaram pessoas às agências do banco.

Os problemas no aplicativo impedem os beneficiários de usarem os R$ 600 (ou R$ 1,2 mil) do auxílio emergencial, e eles acabam indo às agências da Caixa em busca de respostas em meio à pandemia da covid-19.

ACESSOS NO APLICATIVO

Nas redes sociais, relatos de beneficiários atestam horas de inconsistências e filas no aplicativo do auxílio emergencial. O banco confirmou que “pode ocorrer paradas no sistema em momentos de maiores concentrações”. Segundo a direção da Caixa, têm sido registrados mais de 500 mil acessos simultâneos no aplicativo.

A Caixa já se pronunciou sobre o assunto em coletivas de imprensa, afirmando que os problemas no uso do app Caixa Tem são por conta do alto acesso.

FGTS EM ATRASO

Na semana passada, outro problema foi apontado por usuários do aplicativo. O banco deveria ter depositado o FGTS emergencial (de até R$ 1.045 por trabalhador) na poupança digital de nascidos em janeiro, fevereiro e março. Contudo, beneficiários foram comunicados que o pagamento seria depositado “em outra data”.

Segundo informações da Caixa à imprensa, “o crédito foi reprogramado para o calendário seguinte, condicionado à complementação de dados no app FGTS”.

Porém, ao divulgar as regras do Fundo de Garantia Emergencial, o banco não orientou os beneficiários a “completarem cadastros”. Tanto a abertura da poupança digital quanto o depósito do FGTS Emergencial seriam automáticos.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
39