Oi, o que você está procurando?

PANDEMIA

Vereadores querem toque de recolher em Valparaíso para conter avanço do coronavírus

Parlamentares argumentam que, apesar das medidas de enfrentamento à pandemia, número de casos continuam crescendo

Dez dos onze vereadores do município assinaram ofício pedindo a proibição da circulação das pessoas das 21h às 5h

Vereadores de Valparaíso, município a 50 quilômetros de Araçatuba, querem a decretação de toque de recolher no município como medida para reduzir o contágio do novo coronavírus, que já fez cinco vítimas na cidade de 26 mil habitantes.

A sugestão é que o toque de recolher funcione das 21h às 5h, período em que a população ficaria proibida de permanecer nas ruas. Em ofício encaminhado ao prefeito Lúcio Santo de Lima (MDB), os parlamentares citam que, apesar das ações de enfrentamento à pandemia, com restrição do funcionamento do comércio e demais atividades econômicas, os casos no município continuam aumentando.

Valparaíso tem 69 casos confirmados de covid-19 e cinco óbitos pela doença. Ainda segundo boletim da Vigilância Epidemiológica local, 17 pessoas aguardam resultado de exame e dois pacientes estão internados.

Segundo o presidente da Câmara de Valparaíso, vereador Carlos Alexandre Pereira (PPS), as pessoas não estão respeitando as medidas de isolamento e distanciamento social. “À noite, muitos saem sem máscara e fazem rodinhas nas esquinas”, afirmou, ao justificar o pedido de toque de recolher.

O documento é assinado pelo presidente da Casa e pelos vereadores Claudemir Fernando Pereira (PP), Eurípedes Alvarez (Podemos), José Aparecido Pistori (PSDB), José Carlos Pereira (Podemos), José Luiz dos Santos (PRB), Manoel Messias de Menezes (Podemos), Marcos Alexandre dos Santos (PRB), Patrícia Rodrigues Kosaki (PSDB) e Rodrigo Carvalho Pinho (PSC). O único que não assinou o pedido foi o vereador Kleber Lucio de Lima (MDB), que é filho do prefeito.

PREFEITO

O prefeito Lúcio Santo de Lima (MDB) disse à reportagem do Regional Press que vai avaliar a possibilidade jurídico da decretação do toque de recolher e discutir o assunto com representantes das polícias militar e civil, assim como da associação comercial, na próxima semana. “Não adianta a gente adotar o toque de recolher se não tiver quem ajude a fiscalizar”, afirmou.

Segundo ele, o município adotou uma série de medidas para conter o avanço da doença, como a realização de pedágios para aferição de temperatura da população nas ruas e distribuição de máscaras para os que estavam sem o equipamento de proteção; carro de som com informações sobre medidas de prevenção; desinfecção de espaços públicos e a pintura de solo na área central da cidade para orientar a população quanto ao distanciamento. “Mas muitos moradores de Valparaíso estão indo para Araçatuba e não respeitam o isolamento social”, disse.

O comércio do município, que estava funcionando das 8h às 18h até a quinta-feira (18), passou a abrir das 13h às 17h, após recomendação do Ministério Público. Assim como as demais cidades da região de Araçatuba, Valparaíso está na fase laranja do Plano São Paulo, que prevê o funcionamento do comércio shoppings, escritórios, imobiliárias e concessionárias em horário reduzido de quatro horas e capacidade limitada a 20%.

 

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!