Oi, o que você está procurando?

POLÍTICA

PSL volta para as mãos do vereador e sindicalista Denilson Pichitelli

Após a crise nacional no PSL (Partido Social Liberal), que culminou com a saída do presidente Jair Bolsonaro da sigla, o partido em Araçatuba volta, agora, para as mãos do vereador e sindicalista Denilson Pichitelli. A nominata com os novos integrantes do diretório municipal foi publicada nesta quinta-feira (16) e já está disponível no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A volta do partido para as mãos de Pichitelli já era prevista desde a crise deflagrada no ano passado, com troca de farpas entre o presidente nacional da sigla, Luciano Bivar, e bolsonaristas, por causa do fundo partidário. Bivar acabou por destituir o deputado federal Eduardo Bolsonaro do diretório nacional e alçou o também deputado Júnior Bozella ao cargo.

Bozella tem fortes ligações com Pichitelli, que trabalhou em sua campanha nas eleições de 2018, por isso a volta do PSL para as mãos do vereador já era dada como certa.

Os novos integrantes do diretório municipal são o vereador e sindicalista Denilson Pichitelli (presidente); o ex-comandante do Corpo de Bombeiros de Araçatuba, coronel Kerlis Ribeiro de Camargo (vice-presidente); o funcionário público municipal e sindicalista Mauro José Pereira (secretário); o advogado Cleiton Rodrigues Manaia (primeiro secretário); o funcionário público municipal João Ribeiro Marin (tesoureiro) e o advogado Marcos Roberto de Souza (primeiro tesoureiro). Como membros, estão Luciana Patrícia de Oliveira, Andreia Ferreira Pozena e Valdemar Damião Brito.

Para Pichitelli, o fato de o presidente Jair Bolsonaro não fazer mais parte do PSL pode ser um fator positivo para o partido em Araçatuba. “Muitas pessoas se decepcionaram com o governo e não votaria mais em candidatos do partido, principalmente a classe trabalhadora”, avaliou, destacando que não é de esquerda, mas progressista.

PLANOS

Dentre os planos do partido para as eleições municipais estão formar uma chapa de vereadores (alguns já foram candidatos, outros vão sair pela primeira vez). “Queremos montar uma chapa forte para fazer, no mínimo, dois vereadores”, afirmou Pichitelli.

Sobre as eleições majoritárias, ele disse que a intenção do partido é emplacar um candidato a vice-prefeito, a pedido do presidente estadual Júnior Bozella. Hoje, o PSL de Araçatuba está mais próximo do MDB, que tem o vereador Cido Saraiva como pré-candidato a prefeito. “Mas nós vamos dialogar com outros partidos também”, disse Pichitelli, que irá buscar novas filiações para o partido em Araçatuba.

Segundo o vereador e sindicalista, os candidatos do PSL terão o apoio de boa parte dos deputados da bancada do PSL na Câmara e também do senador Major Olímpio, que teve o apoio de Pichitelli nas eleições 2018.

CONTEXTO

No ano passado, a direção estadual da sigla, comandada por Eduardo Bolsonaro, chegou a nomear o jornalista Iranilson Silva presidente do partido em Araçatuba. Os demais integrantes eram Jacques Petia (vice); Renato Freitas Santos (secretário-geral); Joaquim Ramos (primeiro-secretário); Juliano Targa (tesoureiro geral); e Lucas Ramos, Osnei Ferracioli e Valmir Cunha (vogais).

Com a queda de Eduardo Bolsonaro, o diretório municipal foi novamente destituído. O jornalista Iranilson Silva chegou a afirmar que seguiria o presidente Jair Bolsonaro na criação do Aliança pelo Brasil, mas devido ao curto prazo para as eleições de 2020, optou por partir para o PRTB, partido que deverá ter Teucle Manarelli como candidato a prefeito.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!