Oi, o que você está procurando?

ASSISTA

Mulher atacada a marretadas e acusado falam com exclusividade ao Regional Press

A doméstica de 45 anos que quase foi morta com marretadas na cabeça pelo companheiro, um operador de máquinas de 54 anos, falou pela primeira vez com a imprensa, ainda em recuperação. A equipe do Regional Press também entrevistou o acusado pelo crime e a menina de apenas 13 anos, que em um ato heroico partiu para cima do agressor em defesa da mãe, e também foi atingida com um golpe na cabeça.

Cenas que mais pareciam um filme de terror e narrativas que mostram o pânico das vítimas do operador de máquinas no ataque de fúria que quase resultou na morte de mãe e filha com golpes de marreta. O cenário do local parecia de um filme macabro, com muito sangue espalhado pela casa. E o enredo desta história real parece mais um ficção longe de acontecer na vida real. O atentado chocou a cidade esta semana e teve repercussão nacional no dia Internacional da Mulher (8 de março).

Com muita dificuldade para se comunicar, a doméstica falou com a reportagem do Regional Press. No entanto, os golpes foram tantos que ela desmaiou e não se lembra exatamente do que aconteceu e demonstra uma pouco de confusão ao falar do caso. Ela está com a cabeça toda enfaixada e hematomas que deformaram o seu rosto.

A mulher diz lembrar-se apenas de alguém partindo para cima dela com algo que parecia uma garrafa preta e amarela, e lembra de sua filha vindo em sua defesa. Depois de tentar correr, lembra que caiu na cozinha. A partir deste momento disse que não tem mais lembranças de nada.

O que ela diz ser uma garrafa, segundo a filha, seria a marreta. A mulher também não se lembra quem seria o autor da agressão,e disse: “me falaram que foi meu ex-marido, mas eu não lembro”. Ela disse apenas que agora quer ficar bem consigo mesma.

O acusado da agressão, o operador de máquinas Hélio Fernandes, 54 anos, teve a prisão decretada pelo juiz Emerson Sumariva Júnior nesta sexta-feira e foi detido. Neste sábado foi encaminhado para a cadeia de Penápolis e de lá deverá ser transferido para Nova Independência.

O ACUSADO

Em entrevista ao Regional Press, o acusado disse não se lembrar de nada. Ao ser preso ele disse estar passando mal e chegou a ser levado ao pronto-socorro. Na manhã deste sábado insistia em dizer que não estava bem, que anda ruim da cabeças aos pés, e que não sabe o que aconteceu.

Fernandes afirma que no dia do ocorrido não houve briga nem desentendimento, e que realmente não sabe o que ocorreu. Questionado se estava arrependido, disse que, se fez algo que não se lembra, está sim arrependido e pe de o perdão da esposa. Falando baixo e com as mãos trêmulas, o operador de máquinas foi repetitivo ao dizer que não se lembra de nada.

HEROÍNA

A adolescente de apenas 13 anos, filha da vítima e enteada do operador de máquinas foi uma heroína ao partir para cima do agressor em defesa de sua mãe. Ela conta que ao ver a situação, do agressor sobre sua mãe com a marreta na mão, partiu para cima e deu uma joelhada na boca dele.

O homem acertou uma marretada na cabeça da menina, que correu e se trancou no banheiro. Depois o homem conseguiu arrombar a porta e agrediu a jovem com socos no rosto. A marretada provocou um “galo” muito grande na cabeça e um corte que resultou em vários pontos, além de um soco que rasgou a lateral do nariz da adolescente e um corte no queixo, provocada pela queda após uma das marretadas. A menina lutou até desmaiar devido a um dos golpes. A mulher também ficou desacordada.

MOTIVAÇÃO E INVESTIGAÇÃO

A motivação para as agressões foi o fato dele ter ouvido uma ligação da mulher para uma das filhas, onde ela dizia ter que arrumar uma casa para se separar do acusado. A decisão teria um outro agravante, denunciando no final do ano à polícia, onde o operador de máquinas seria o acusado. A reportagem não vai detalhar o caso que está sendo investigado em sigilo.

COMO FICOU

A doméstica realizou todos os exames e teria alta neste final de semana. Ela está se recuperando e apresenta hematomas por todo o rosto, além dos ferimentos causados pelas marretadas.

A jovem de 13 anos está com um grande hematoma na cabeça e teve de levar pontos na cabeça, no nariz e no queixo.
O acusado foi preso nesta sexta-feira e levado para a cadeia de Penápolis, de onde deverá ser transferido para Nova Independência.

Ele sumiu com a Honda Biz da doméstica e a moto ainda não foi localizada.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!