CONECTE CONOSCO

Sujeira e descaso

Confinados na imundície, usuários lavam banheiros do terminal urbano, em Araçatuba; veja vídeo



Inconformada com a situação dos banheiros do Terminal Rodoviário Urbano de Araçatuba, a vendedora ambulante Maria Katiana Pereira Feitosa, 32, resolveu colocar a mão na massa e providenciar a limpeza dos sanitários masculino e feminino que são utilizados pelos passageiros do transporte público da cidade.

“Tenho dó da população, principalmente dos idosos e das gestantes que precisam usar o banheiro. Eu também preciso usar o banheiro, por isso estou fazendo este trabalho voluntário”, afirmou. Ela chega ao terminal, onde comercializa roupas, às 9h e só vai para casa depois das 20h.

É a segunda vez que Katiana mobiliza as amigas que trabalham com ela no espaço para uma vaquinha para comprar os materiais de limpeza. Até agora, ela e duas amigas já gastaram R$ 32,00 para a compra de detergente, água sanitária, escova, desinfetante e sacos plásticos.

Já a limpeza é feita por ela, sozinha. A iniciativa foi tomada após perceber que a funcionária que cuidava do terminal e dos banheiros não estava mais indo trabalhar, há cerca de 20 dias.

Depois de procurar a Prefeitura e não obter retorno, resolveu arregaçar as mangas, pela primeira vez, na semana passada. Nesta sexta-feira, repetiu a dose.

Mais uma vez, teve de improvisar para se proteger da sujeira e evitar contaminação, pois não possui equipamentos próprios para a limpeza de ambientes insalubres. Por isso, vestiu sacos plásticos nas mãos e nos pés para limpar os banheiros.

A faxina nos dois sanitários, que estavam imundos na tarde desta sexta-feira (11), começou por volta das 15h e só foi concluída às 18h. “Se uma criança usar estes banheiros, correm o risco de pegar uma infecção urinária”, afirmou, indignada.

A ambulante Maria Katiana lavou os banheiros do terminal após fazer ‘vaquinha’ para comprar produtos de limpeza (Regional Press)

ABANDONO

Com forte odor de urina e fezes, os banheiros estão em estado de abandono. Há ralos sem tampas, o que é propício para o surgimento de escorpiões, ratos e baratas; os mictórios do sanitário masculino estão entupidos e as paredes, pichadas.

Não bastassem as condições estruturais precárias, há sujeira para todo lado. Nesta sexta-feira, os vasos sanitários estavam tomados por fezes e urina. Esta, aliás, também estava espalhada pelo chão.

Os lixos para o depósito de papel (que a própria ambulante compra e coloca) estavam abarrotados e havia até larvas em um deles, uma demonstração do descaso em relação ao espaço.

INSUPORTÁVEL

A pensionista Lourdes Cavalcanti, 83 anos, que precisou usar o banheiro do terminal, estava indignada.

“Nunca vi um banheiro nessa situação. É uma vergonha. O cheiro está insuportável, dá até vontade de vomitar”, afirmou. Ela contou que teve de usar o sanitário em uma situação de emergência, mas fez as suas necessidades em pé com medo de pegar uma doença.

OUTRO LADO

A reportagem questionou a Prefeitura sobre a situação dos banheiros do terminal. A responsa foi a seguinte: “A Prefeitura e a concessionária estão trabalhando juntas para a solução deste problema”.

Deixe sua opinião

Fonte:
Anunciante