CONECTE CONOSCO

POLÍTICA

FALEI E PONTO! Tieza eleita. Papinha traído. Complô contra Almir e muito mais….

Publicado em



ELEITA

A vereadora Tieza foi eleita na noite desta segunda-feira a presidente da mesa diretora da Câmara dos Vereadores de Araçatuba para o biênio 2019/2020, fazendo valer a vontade do prefeito, que vinha articulando essa situação, conforme revelou a coluna Falei e Ponto! neste fim de semana.

Mesmo tendo ficado fora do Legislativo por quase dois anos, quando se licenciou para assumir o cargo de Secretária de Cultura, Tieza voltou com o intuito de presidir o Legislativo, e para isso contou com apoio do prefeito, que reuniu parte de sua base para articular a eleição de sua colega de partido.

 

MORTADELA
No período em que esteve fora do Legislativo Tieza se envolveu em uma polêmica quando se referiu, em um grupo de whatsapp da secretaria que comandava, com menosprezo a manifestantes que iriam à Câmara protestar contra o aumento do IPTU proposto pelo prefeito Dilador Borges. Na época ela disse que os manifestantes são pessoas que estavam alí em troca de um pão com mortadela, seriam arruaceiros e que “ideias, certamente nãos a tem”.

A conversa vazou e causou indignação por parte da população contrária ao aumento do imposto e que estava fazendo protestos na época em que o projeto iria a votação. Também foi criticada pela falta de atuação na realização de um carnaval fortalecido e também pela falta de empenho junto a administração em não realizar, por dois anos consecutivos, a Virada Cultural em Araçatuba.

9 x 1
Na eleição desta segunda-feira o presidente da Casa que concorria à reeleição, Rivael Papinha, obteve apenas 1 voto, e Tieza foi eleita com 9 votos. A situação foi constrangedora para Papinha, que ainda teve de enfrentar um protesto silencioso com uma faixa de moradores, que seriam da zona sul.

Papinha estava visivelmente chateado e no uso da palavra, a voz trêmula relevou o estado de espírito do vereador que deixa a presidência da casa. Papinha chegou a criticar colegas da Casa, sem citar nomes. Ele referiu-se a pessoas sem palavras para expressar o descontentamento.

Segundo o que apuramos lá nos bastidos da câmara, tudo começou quando Papinha se indispôs com alguns moradores dos bairros Lago Azul, Claudionor Cinti e imediações, devido a críticas que esses moradores faziam ao vereador. Desde então a mesma turma vem protestando contra ele. Inclusive na faixa diz: “Não somos imbecis/ Não somos idiotas”

COMPLÔ CONTRA ALMIR


A Coluna apurou também que hoje, em uma reunião às pressas na Casa da Vereadora Tieza, foi descoberto um complô para que o Vereador Dr. Almir fosse retirado da mesa diretora. Por incrível que pareça a armação foi revelada pelo vereador Professor Cláudio, diretamente ao vereador Dr. Almir, que rapidamente articulou e conseguiu reverter a manobra.

ARTICULAÇÃO


Ficou evidente o dedo do Prefeito Dilador na eleição da mesa diretora para o biênio 2019/2020. Segundo informações a mesa foi montada pelo Prefeito, que chamou seus aliados para referendar. Segurar os egos foi o grande desafio, para a formação da mesa. Diante disto há o rompimento do vereador Rivael Papinha com a administração demonstrando claramente que será oposição.

DESCONTENTAMENTO

Aliás, Papinha, que foi defensor fiel do prefeito Dilador Borges, vem mostrando descontentamento desde às eleições, quando não recebeu apoio declarado do chefe do Executivo, que era esperado pelo parlamentar candidato a deputado Federal. Com essa derrota no Legislativo, não será fácil segurar o vereador na base aliada.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

Entrevista Exclusiva

VÍDEO: Vizinho tentou salvar idosa que morreu durante incêndio em Araçatuba

Testemunha contou como foi a tentativa de resgate da idosa que morreu carbonizada em Araçatuba

Publicado em

Ricardo Luciano Amorim dos Santos, 43 anos, contou ao Regional Press como foi a tentativa de resgate da idosa Edna Garcia, 85 anos, que morreu carbonizada durante um incêndio na casa dela, na noite desta segunda-feira (15), no bairro Vila Industrial, em Araçatuba.

Socorrido com queimadura na mão e suspeita de lesão em uma costela, Ricardo foi atendido no pronto-socorro municipal e liberado na madrugada de hoje (16).

Ele contou que, junto com outras testemunhas, chegou a ter contato com a idosa ainda viva em meio ao fogo que atingia a casa.

Ele disse que a moradora estava com graves queimaduras e que não foi possível retirá-la devido ao excesso de pele que se desprendia dos braços da vítima.

A tentativa de resgate durou até ocorrer uma explosão, possivelmente no botijão de gás. Paredes começaram a desmoronar e os vizinhos tiveram que sair. Ricardo ainda caiu e foi retirado do local pelos colegas.

Veja o vídeo com a íntegra da entrevista exclusiva que a testemunha deu ao Regional Press.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Urupês (SP)

Égua coberta por montanha de mato chama a atenção no interior de SP

Prefeitura informou que está investigando o caso e que vai tomar as providências cabíveis.

Publicado em

Moradora registrou a cena da égua coberta por montanha de mato em Urupês — Foto: Arquivo pessoal

Uma égua foi flagrada carregando uma ‘montanha’ de mato no bairro Jardim Novo Mundo, em Urupês, cidade a aproximadamente 170 km de Araçatuba.

A imagem foi enviada para a equipe da TV TEM nesta segunda-feira (15) por uma moradora, que afirma que se revoltou ao ver o animal com a grande quantidade de restos de podas. O mato, de acordo com ela, foi colocado na égua por um carroceiro.

Ainda de acordo com a mulher, que preferiu não se identificar, o caso foi registrado no sábado (13). Ela conta que questionou o homem sobre o peso e quantidade do material que a égua transportava, já que estava com a pata machucada.

Contudo, ele teria afirmado que o animal é idoso e já iria descarregar os restos de podas.

Maus-tratos

Conforme a TV TEM, procurou a Polícia Militar, que afirmou não ter recebido nenhum tipo de denúncia, mas explicou que vai tentar encontrar o carroceiro e que ele pode responder criminalmente por maus-tratos.

A Prefeitura de Urupês informou que está investigando o caso e que vai tomar as providências cabíveis.

Além disso, também disse que as carroças que circulam na cidade devem seguir as leis e que a do homem está desrespeitando as regras.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Interior de SP

Réu que disparou contra ex-enteada será submetido a novo julgamento

Publicado em

A 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo deu provimento a recurso interposto pelo Ministério Público e determinou que homem que tentou matar, a tiros, a filha de sua ex-companheira seja submetido a novo júri popular.

Segundo o relator da apelação, desembargador Vico Mañas, a decisão que afastou a qualificadora de feminicídio foi manifestamente contrária às provas dos autos.

O caso aconteceu no município de Amparo. Consta nos autos que, inconformado com o fim do relacionamento, o réu acusava a filha de sua ex-companheira de ser a responsável por sua mãe não aceitar reatar.

Determinado dia, abordou a ex-enteada e desferiu dois tiros em suas costas; a vítima caiu e o homem disparou o terceiro tiro acertando sua perna. A vítima foi socorrida e sobreviveu.

O tribunal popular descaracterizou a qualificadora de feminicídio e reconheceu o privilégio da ação por violenta emoção, o que resultou em diminuição da pena. Assim, o acusado foi sentenciado a 11 anos e um mês de reclusão, em regime inicial fechado.

“Contrariou manifestamente a prova dos autos o afastamento da qualificadora do feminicídio. Afinal, tratou-se de delito contra a mulher por razões da condição do sexo feminino, nos termos do art. 121, § 2º, VI, do CP, definido como tal a infração que envolva violência doméstica, conforme o art. 121, § 2º-A, I, do CP”, escreveu o relator em seu voto.

“Inegável que compete ao Tribunal do Júri dizer sobre a ocorrência ou não das qualificadoras atribuídas. Mas isto não representa que deva ser preservado o veredito quando manifestamente improcedente a compreensão exarada sobre tais circunstâncias, como na hipótese”, concluiu o magistrado.

O julgamento teve a participação dos desembargadores João Morenghi e Angélica de Almeida. A votação foi unânime.

Processo nº 0005404-10.2016.8.26.0022.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
91