Oi, o que você está procurando?

MUDANÇA

Santa Casa de Araçatuba tem nova diretoria

Após 18 anos o advogado Jaime Monçalvarga deixa o cargo de provedor do maior hospital da região

O policial civil aposentado Carlos Joaquim Rodrigues, 76 anos é o novo provedor da Santa Casa de Araçatuba. O nome dele foi referendado pelo Conselho Deliberativo da instituição em reunião realizada no dia 23 deste mês.  Carlinhos, como é popularmente chamado foi vice-provedor no período 2016-2018.  Agora, ele vai substituir o advogado Jaime Monçalvarga que após 18 anos de gestão decidiu não continuar na provedoria do hospital.

O provedor é um dos cargos da Administração Geral, a chamada Mesa Administrativa da Santa Casa de Araçatuba. Os demais diretores que tomam posse hoje são:   João César Bedran de Castro (vice-provedor), Claudionor Aguiar Teixeira (tesoureiro), Carlos Mullon (secretário) e Clemente Cavasana (procurador jurídico). Suplentes: Alexandre Pereira Piffer e Maria Helena de Paula Morais.

Esta diretoria vai estar à frente da gestão do hospital no biênio 2018-2020.

A diretoria Administrativa é responsável pela supervisão da administração da Santa Casa de Araçatuba. Sua área de atuação engloba o gerenciamento total das atividades realizadas na instituição. O trabalho é centrado na captação e equilíbrio das finanças, e, ao mesmo tempo, comprometimento contínuo em relação ao aprimoramento constante da qualidade dos serviços oferecidos aos pacientes do Sistema Único de Saúde, que representam torno de 86% do movimento do hospital.

Carlos Joaquim Rodrigues

Telegrafista da Policia Civil durante 31 anos, Carlos Joaquim Rodrigues também atuou durante vários anos como propagandista de grandes laboratórios farmacêuticos como Eurofarma, Bayer e Fontoura. Seu relacionamento com assuntos relacionados à saúde   foi ampliado há 39 anos, quando foi convidado para integrar o Conselho Irmãos Definidores da Santa Casa de Araçatuba. Em 2016 teve o nome indicado para ocupar a vice provedoria.

Nascido e criado em Araçatuba, o novo provedor explica que “neste ano, diante da decisão do provedor Jaime Monçalvarga de não permanecer mais no cargo para atender uma vontade de sua família e para se dedicar mais aos seus negócios, decidi colocar meu nome à disposição para atuar na gestão do hospital como forma de retribuir tudo o que esta cidade proporcionou à minha vida e aos meus familiares”.

Carlos Joaquim Rodrigues destaca que ao lado de seus diretores vai trabalhar no modelo de Diretoria Colegiada, através da qual “ todos os meses, reuniremos para discutir o que está sendo feito, o que pode ser feito e quais os resultados obtidos”

Dentre as metas que pretende realizar  destacam-se: a rediscussão do núcleo de gestores e criação de novo organograma; criação do núcleo de segurança dos pacientes; e buscar novos credenciamentos junto a Secretaria Estadual de Saúde e Ministério da Saúde, para novos serviços.

Na discussão das politicas externas, a nova diretoria quer ampliar a conscientização da sociedade regional sobre as dificuldades enfrentadas pelo hospital. O novo provedor quer estabelecer parceria com o prefeito Dilador Borges para que juntos sensibilizem os dirigentes dos 40 municípios da região para os quais a Santa Casa de Araçatuba é referência para atendimentos de média e alta complexidades, em relação aos problemas que o hospital enfrenta e importância da união dessas comunidades para torná-lo mais forte.

“Se sairmos em busca do apoio dessas prefeituras tornaremos a instituição mais forte. Vemos cidades da região captando doações para enviar para hospitais de Presidente Prudente, Barretos e outras cidades. Mas as 800 pessoas que moram nas cidades da jurisdição do Departamento Regional de Saúde de Araçatuba são tratadas aqui na Santa Casa. E não apenas tratamento de câncer. Somos a porta de entrada dessas cidades para tratamento especializado em Urgência e Emergência, Cirurgias especializadas, Ambulatório de Especialidades e tratamento renal. Vamos criar alternativas para que essas cidades também se mobilizem em favor da Santa Casa de Araçatuba”, explica o provedor empossado.

Dentre os projetos físicos, o novo provedor destaca:  a necessidade de reforma do prédio do Serviço de Urgência e Emergência e da ala de internação do primeiro andar da torre principal; a reestruturação do Centro Cirúrgico e a implantação de novas tecnologias no Laboratório de Análises Clínicas.  “ São obras que consideramos fundamentais para humanizar ainda mais o atendimento dos usuários do SUS”, informa Rodrigues, que também incluiu dentre as obras necessárias, a melhoria da estrutura física para atendimento dos usuários do Plano de Saúde Santa Casa de Araçatuba.

O novo provedor anuncia também a ampliação da interação “com os médicos e funcionários e melhorar cada vez mais a os conceitos de humanização com os colaboradores, gestão que até aqui foi muito bem conduzida”.

Jaime Monçalvarga

O relacionamento do advogado Jaime Monçalvarga com a gestão da Santa Casa de Araçatuba também é longevo. Começou em 1992 na condição de procurador jurídico da diretoria do ex-provedor Wilson Bedaque. Permaneceu no mesmo cargo no período de 1997 à 2000 na diretoria do ex-provedor Milton Freire (já falecido). Em 16 de março de 2000 foi eleito para assumir a provedoria.

Monçalvarga costuma dizer que nesses 18 anos de gestão, “nenhum dia foi fácil e alguns foram ainda mais difíceis em se tratando da dinâmica de um hospital público com demandas tão diversificadas e área de abrangência tão extensa, quanto a realidade da Santa Casa de Araçatuba”.

Porém, de acordo com o provedor que está passando o cargo hoje para nova diretoria, afirma que graças ao apoio de seus companheiros de Mesa, comprometimento e dedicação dos médios que integram o Corpo Clínico e os colaboradores dos vários segmentos do hospital, “esses desafios foram vencidos e aproveito esse momento para externar a todos eles a minha gratidão eterna”.

Monçalvarga informa que “estamos deixando em dia os pagamentos da folha de funcionários, os tributos e os serviços médicos contratados com os recursos do programa Santas Casas Sustentáveis. Devemos? Sim devemos! Mas em relação a outros hospitais a Santa Casa de Araçatuba está bem e com vários avanços que a consolidaram como referência regional de atendimento de alta complexidade.

Com 323.403 procedimentos prestados no ano passado aos usuários do Sistema Único de Saúde, a Santa Casa de Araçatuba ocupa a segunda posição em volume de atendimentos dentre os hospitais classificados como Estruturantes no Estado de São Paulo.  “Tudo isso foi possível graças ao parque tecnológico e recursos humanos qualificado, marcas indispensáveis ao bom atendimento”, explica Monçalvarga.

O balanço do ex-provedor destaca que ao assumir há 18 anos, a área construída do hospital era de 13.774,99 metros quadrados. “Durante nossa gestão construímos 10.510,79 metros e hoje a área construída total do complexo hospitalar é de 24.285,78 metros quadrados”, informa Monçalvarga.

Ele destaca como avanços de sua gestão a construção da nova ala que possibilitou a instalação de mais 100 leitos e a reengenharia de serviços de apoio, como por exemplo, a Central de Nutrição; a construção do Hospital do Rim, a instalação de mais 10 leitos de tratamento intensivo neonatal e readequação da Unidade de Radioterapia.

“Esses avanços só foram possíveis pela imensurável ajuda do governador Geraldo Alckmin que em suas duas gestões investiu mais de R$ 35 milhões em obras e instalações na Santa Casa de Araçatuba. E se isso não bastasse incluiu o hospital nos programas Santas Casas Sustentáveis e Pró Santas Casas, cujos recursos ajudaram a atenuar o déficit gerado pela defasagem entre a tabela do SUS e o valor real dos procedimentos, bem como, contratar serviços médicos para completar o rol de especialidades disponibilizadas aos pacientes do SUS. Nossa gratidão será eterna ao governador e ao ex-prefeito. Não posso deixar de citar o apoio do ex-prefeito Jorge Maluly Netto por suas inúmeras gestões junto ao governador para liberação de recursos para avanços que conquistamos no período 2001-2008”.

Ao desejar sucesso aos novos dirigentes, Jaime Monçalvarga explica que está em sua saída pesou muito a vontade de sua família e a necessidade de realizar alguns projetos profissionais. “Sinto-me realizado com a boa experiência que a gestão da Santa Casa acrescentou em minha vida. Lamento sair por que aqui exercitei uma das coisas que mais gosto de fazer: a beneficência às pessoas que necessitam dela”.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!