Oi, o que você está procurando?

Temer e Alckmin anunciam R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra agrícola 2017/2018

O Governo Federal liberou R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra agrícola 2017/2018. Valor destinado à aquisição antecipada de insumos, o montante é R$ 2 bilhões superior ao anunciado em 2016. O anúncio foi feito pelo presidente da República, Michel Temer, que esteve em Ribeirão Preto acompanhado do governador Geraldo Alckmin, do secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, do ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, do presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, na quinta-feira, 19 de janeiro.

O volume ofertado pelo Banco do Brasil é oriundo de captações próprias da Poupança Rural e de Depósitos à Vista. Os recursos serão acessados por médios produtores por meio do Programa Nacional de Apoio aos Médios Produtores Rurais (Pronamp), com taxas de 8,5% ao ano e teto de até R$ 780 mil. Os demais produtores rurais acessam o crédito com encargos de 9,5% ao ano até o teto de R$ 1,32 milhão por beneficiário.

O governador Geraldo Alckmin destacou que, já no início de 2017, os produtores contarão com este crédito para ajudar e estimular todo o setor. “A agricultura tem segurado o emprego e gerado renda para a população. O avanço da tecnologia é essencial para que o País tenha a agricultura mais sustentável e seja um exemplo para o mundo. Enquanto a área agrícola cresceu apenas 50%, a produção aumentou 268%”, afirmou.

Para o governador, o investimento é fundamental para que o País cumpra seu papel de produzir alimentos de qualidade para o mundo. “Nos próximos 10 anos, teremos o desafio de aumentar em 40% a produção agropecuária brasileira. Somos vocacionados para ser campeões de segurança alimentar do mundo”, disse Geraldo Alckmin.

Para o secretário Arnaldo Jardim, a antecipação do anúncio dos recursos é importante, pois permite que o produtor faça um planejamento. “No ano passado, os recursos foram anunciados quase no fim de junho, o que penalizou nossa agricultura. Os juros se mantiveram como no ano passado, mas neste ano, com diminuição da inflação e taxa Selic, o juro agrícola sobe, o que será discutido com o governo que prepara o Plano Safra. Também estaremos atentos ao fato de que a demora na liberação deste recurso faz com que algumas instituições financeiras solicitem ao produtor alguns compromissos, como a exigência de um depósito ou aquisição de seguro”, explicou o titular da Pasta Estadual.

“O agronegócio vai muito bem e é tão sustentador da economia nacional que não precisa de muito, mas sim do financiamento, o que estamos fazendo aqui hoje. Precisamos do apoio da classe produtiva, que mostra eficiência. O agronegócio inovará cada vez mais com apoio do poder público para gerar novos polos de desenvolvimento para o País”, afirmou o presidente Michel Temer.

“Não há setor mais indicado para fazer com que o país supere os seus limites do que a nossa agricultura, que é eficiente, resistente e muito festejada”, afirmou o prefeito de Ribeirão Preto, Antonio Duarte Nogueira Junior.

A antecipação dos financiamentos de custeio se destina a culturas da safra de verão 2017/2018, como soja, milho, arroz e café, permite melhores condições aos produtores para o planejamento de suas compras junto aos fornecedores e contribui para o incremento das vendas de sementes, fertilizantes e defensivos.

Na oportunidade, produtores dos municípios de Altinópolis e Tietê assinaram convênio para financiamento de insumo. “Para nós, é um grande incentivo para ampliar nossa produção com melhores condições, com o diferencial de oferecer juros mais baratos”, disse o proprietário de usina de açúcar em Tietê, Humberto Zambianco.

Também estiveram presentes o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller; o superintendente do Ministério em São Paulo, Francisco Jardim; o presidente da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo (Copercana), Antonio Eduardo Tonielo; o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar Mista do Café, Carlos Melles; o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), Fábio Meirelles; o presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), Tirso Meirelles; o coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Orlando Melo de Castro; e o diretor do Centro de Cana, Marcos Landell.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!