Oi, o que você está procurando?

Ex-secretário de Educação de Araçatuba esclarece dúvidas e críticas da atual gestão da pasta

O ex-secretário municipal da Educação de Araçatuba, Luiz Carlos Custódio, enviou hoje à imprensa nota com esclarecimentos sobre o relatório divulgado ontem pela administração Dilador Borges e Edna Flor, no qual há uma série de críticas e cobranças de informação à gestão anterior relacionadas à aquisição de materiais que se encontram no almoxarifado da secretaria. Confira a nota na íntegra:
ESCLARECIMENTO DA PREMIADA EDUCAÇÃO DE  ARAÇATUBA
Como ex-secretário da educação de Araçatuba me vejo no dever de vir a público para esclarecer alguns pontos relatados no documento apresentado pela Secretaria Municipal de Educação, a meu ver de forma equivocada, sobre materiais encontrado no almoxarifado municipal. 
Na entrevista concedida a uma emissora de televisão regional, na manhã de terça-feira, me prontifiquei a esclarecer todos os pontos. Porém, pelo tempo reduzido, a matéria foi editada não foi ao ar os esclarecimentos que fiz:
-A aquisição de material didático obedece sempre aos procedimentos internos e antes de se formalizar qualquer compra ela passa pela pelo crivo e aprovação dos técnicos da educação.
-Levanta-se uma enorme polemica sobre o projeto “Tenda Cultural” que tem por objetivo trazer os pais de alunos para dentro das escolas ou leva-los às praças públicas para promover a interação entre pais e filhos e estimular o gosto pela leitura. É claro que as obras literárias, com títulos de Machado de Assis e tantos outros escritores renomados, são destinadas aos alunos. Para os pais o projeto propõe a leitura de livros que despertam neles também o interesse com temais mais populares.
Por isso, os livros de como preparar um churrasco, receitas de bolos, como são produzidos os vinhos, foram incluídos no projeto “Tenda Cultural”, possibilitando aos pais se interessassem pela leitura de temas do seu dia a dia.
-Quanto às portas a compra foi feita conforme as especificações técnicas para atender ampliações e substituições e se há variações de 70 para 80 centímetros isso não inviabiliza sua utilização e elas estão devidamente armazenadas no almoxarifado.
-Quando se faz uma licitação você planeja a compra de material para todo o exercício e muitas vezes não é possível se executar o que foi planejado e ocorre de alguns produtos não se esgotarem e permanecerem no depósito com algum risco de deterioração.
– Levanta-se também a questão de uma professora que recebia gratificação e que, com o encerramento das atividades do Centro Social Urbano, transferiu-se para outro posto de trabalho, prestando seu trabalho em outra pasta.
-Mas a questão mais importante da nossa educação não e objeto de nenhuma analise pelos nossos críticos. Araçatuba é hoje a segunda cidade na qualidade do ensino. O IDEB superou a meta que era de 6,3 e chegamos 6,4 o que foi motivo de muita comemoração por todos as professoras, diretoras e servidores da rede municipal, com essa marca extraordinária.
– Cabe ainda dar destaque ao trabalho realizado na Educação de Jovens e Adultos, zerando a analfabetismo em Araçatuba.
Essa qualidade no ensino não ocorre por acaso. E resultado de muito trabalho de todos os técnicos, professores, diretores e pela decisão de governo de se investir mais recursos na melhoria do ensino, criando condições favoráveis e desenvolvendo projetos eficientes.
O que desejamos e que a qualidade do nosso ensino possa continuar crescendo e, se possível, superando marcas tão extraordinárias como a que alcançamos nos últimos anos.
Ao que parece, o relatório tem por objetivo, jogar sobre a qualidade do ensino em nossa gestão, uma nuvem de fumaça numa tentativa de negar reconhecimento a um projeto premiado e de qualidade incontestável.
Luiz Carlos Custódio (professor)

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!