Oi, o que você está procurando?

Protesto

Manifesto faz críticas à condução da pandemia em Araçatuba

Documento reúne, até agora, 300 assinaturas, e será ser encaminhado às autoridades

Dentre os pontos criticados está o fechamento do comércio por cem dias, no ano passado

Um grupo de representantes da sociedade civil, formado por empresários, líderes de entidades e políticos, lançou o manifesto “Araçatuba de Mãos Dadas Pela Vida!”, que está recolhendo assinaturas a favor da vacina contra Covid-19 e da testagem em massa da população, e contrário ao isolamento social e à cobrança de impostos e taxas durante a pandemia.

Lançado no fim de semana, o manifesto reuniu, até a tarde de ontem (26), mais de 300 assinaturas. O documento será encaminhado a autoridades municipais, estaduais e federais. No próximo sábado (1º), às 9h, está prevista também a realização de uma carreata, que sairá da frente da Justiça Federal, na avenida Pompeu de Toledo.

“Chegou a hora de sermos ouvidos. Precisamos de respostas, dizer não às decisões monocráticas. Araçatuba e região pedem liberdade”, diz um trecho do documento que circula nas redes sociais com o pedido de assinatura dos munícipes.

O manifesto cita ser a favor da vacina, da testagem em massa e das opções de tratamento e do distancimento social e de medidas preventivas. Mas se posiciona contra o isolamento social, lockdown e ao fechamento do comércio.

“As autoridades têm que nos apresentar novos caminhos. O isolamento social não pode ser a única opção”, defendem os apoiadores do manifesto.

O documento recebeu a adesão de entidades como Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Araçatuba), Acia (Associação Comercial e Industrial de Araçatuba), Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Araçatuba e Região, Uecar (União das Entidades de Classe de Araçatuba e Região), Alca (Associação dos Lojistas do Calçadão de Araçatuba) e Associação dos Lojistas do Shopping Praça Nova.

O vereador Lucas Zanatta (PV) e o ex-vereador Flávio Salatino (PV) também estão entre os que assinaram o manifesto, que cita, ainda: “Não ao desemprego, não à destruição da economia e sim ao combate da pandemia”. O documento pede o fim dos cortes de água e energia e da cobrança de impostos e tarifas durante a pandemia, além de fazer vários questionamentos sobre as decisões tomadas durante a pandemia.

Dentre elas, citam que o comércio de Araçatuba permaneceu cem dias fechado, no ano passado, quando havia apenas 25 internadas e dez mortes pela Covid-19. “Isso gerou um prejuízo enorme a toda a sociedade, com escolas fechadas, comércio fechado, tratamentos de saúde suspensos e aumento dos índices de depressão. Quem se responsabilizará por esta longa e errada decisão?”, questionam.

O documento cita, ainda, que muitas empresas foram à falência, levando muitas famílias ao desemprego e pergunta: “Qual é o plano para retomada econômica destes profissionais?” A petição está disponível no link http://chng.it/mFRcjTCg

Outro lado

A Prefeitura informou que não teve acesso ao documento e enviou a seguinte nota:

“Araçatuba seguiu e segue obrigatoriamente o que impõe o Plano São Paulo, assim como todos os municípios paulistas. Em duas ocasiões em que a Prefeitura tentou flexibilizar no sentido de relaxar as restrições impostas pelo governo do estado, houve sentença do Tribunal de Justiça determinando o fechamento e impondo em caso de não cumprimento, multa no valor de R$ 50 mil reais/dia ao prefeito, além do mesmo responder perante a justiça por ato de improbidade administrativa. A administração entende a dificuldade que os empresários e comerciantes vêm enfrentando diante da pandemia, não há uma cidade de nosso país e do mundo que não sentiu ou sente o reflexo das restrições. A administração respeita a opinião e posicionamento de todos e espera em breve que toda a população araçatubense esteja vacinada e podendo ter sua rotina de volta.”

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
ANUNCIANTE
36