Oi, o que você está procurando?

COMBATE AO CORONAVÍRUS

Governo Federal credencia 10 leitos de UTI na Santa Casa de Penápolis

Valor da diária de cada unidade será mantido em R$ 1,6 mil, totalizando R$ 480 mil mensais

Foto: Arquivo/Jornal Interior

Portaria publicada na última terça-feira (2), pelo Ministério da Saúde no Diário Oficial da União, credencia os dez leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) montados na Santa Casa de Penápolis para atender pacientes suspeitos ou positivados com a Covid-19, o novo coronavírus.

Com isso, eles serão, a partir de agora, custeados pelo governo federal. Segundo o documento, o valor da diária de cada unidade será mantido em R$ 1,6 mil, totalizando R$ 480 mil mensais ao hospital. O repasse será feito pelo Ministério da Saúde, a partir de autorização condicionada à avaliação técnica da vaga disponível para tratamento do paciente. Ela não precisará ser renovada e será mantida enquanto perdurar a pandemia.

O recurso passa a ser enviado em parcelas mensais e o credenciamento é em caráter excepcional e temporário. Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Prefeitura informou que pretende solicitar a permanência dos leitos. Eles estavam instalados, anteriormente, no Hospital de Campanha, que encerrou suas atividades em fevereiro, depois de quase nove meses em funcionamento.

Os equipamentos que estavam na unidade foram levados para um espaço preparado na Santa Casa, que ainda possui 41 de enfermaria. Com isso, pessoas da cidade ou dos municípios que compõem a microrregião e que estejam com sintomas ou positivadas com o vírus – Alto Alegre, Avanhandava, Barbosa, Braúna, Glicério e Luiziânia – são internadas no hospital.

Para a região, o atendimento se limitará a casos extremante necessários, não havendo vagas disponíveis nas cidades de origem ou em outras unidades de referência. Além dos dez leitos de UTI para a Covid, o hospital possui outros oito para atender as demais patologias.

IMPLANTAÇÃO

O Hospital de Campanha entrou em funcionamento em 22 de maio do ano passado, na gestão do ex-prefeito Célio de Oliveira (sem partido). A unidade foi implantada em uma parceria entre a Prefeitura, AHBB (Associação Hospitalar Beneficente do Brasil), que gerencia a Santa Casa e o pronto-socorro, e o governo estadual. Ela contava com os dez leitos de UTI, equipados com cama, respirador e demais aparelhos e 20 de enfermaria.

A ocupação era regulada por meio da Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde), atendendo 496 pacientes. Deste total, segundo dados enviados por meio da secretaria de Comunicação, 263 foram de Penápolis. Passaram ainda pela unidade 58 pacientes de Birigui, 26 de Avanhandava, 25 de Luiziânia, 20 de Glicério, 14 de Alto Alegre, 14 de Braúna, 13 de Andradina, 12 de Buritama e dez de Barbosa.

A lista ainda fecha com Araçatuba (1); Barretos (1); Bilac (8); Brejo Alegre (3); Brotas (1); Castilho (2); Clementina (2); Coroados (4); Gabriel Monteiro (4); Guaraçaí (1); Manduri (1) – a 253 km; Olímpia (1); Ourinhos (1); Piacatu (1); Presidente Alves (1); Promissão (2); Santópolis do Aguapeí (2); Sud Mennucci (1); Turiúba (1) e Valparaiso (3). Desta totalidade, 383 se recuperaram e 113 não resistiram às complicações da doença.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
30