Oi, o que você está procurando?

PARANÁ

‘Pós-carnaval’: pacientes aguardam internação em ambulâncias e tendas em Curitiba

Capital do Paraná enfrenta uma 'avalanche de casos' pós-carnaval.

Crédito: Diego Vara/Agência Brasil

Três hospitais de Curitiba registraram fila de pacientes à espera de atendimento geral, na noite de quarta-feira (24), após os leitos das instituições ficarem lotados.

Nos hospitais do Trabalhador, Cajuru e Evangélico Mackenzie, pacientes aguardaram dentro de ambulâncias ou até mesmo em tendas do lado de fora dos hospitais. Segundo a secretária de Saúde da cidade, Márcia Huçulak, a falta de vagas para o atendimento geral está diretamente relacionada ao aumento no número de casos de Covid-19 no município.

“Pós-carnaval, tem sido uma avalanche de casos de Covid-19 nas UPAs e com quadros graves. Quando a sociedade se movimenta, aumenta a proliferação e o número de casos, o que demanda mais internação para a doença, e ao mesmo tempo aumenta o número de acidentes, de trauma e violência. A gente precisa que a sociedade circule menos”, disse a secretária, nesta quinta-feira (25).

A ocupação dos leitos de UTI do Sistema Único de Saúde exclusivos para a doença está em 93% na capital, com apenas 27 vagas ainda disponíveis na cidade, segundo balanço divulgado pela prefeitura na quarta-feira. Ainda nesta quinta, entrou em vigor na cidade as regras da bandeira laranja. A medida da prefeitura prevê restrições para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Bandeira laranja

O decreto da Prefeitura de Curitiba vale por 14 dias, podendo ser prorrogado dependendo do comportamento da pandemia na cidade.

Com a medida, estabelecimentos destinados ao entretenimento ou a eventos culturais, como casas de shows, circos, teatros, cinemas e museus, voltam a ficar proibidos.

As práticas esportivas coletivas em praças e demais bens públicos ou privados, incluídos os condomínios e áreas residenciais, também não são mais permitidas.

Curitiba tem 138.725 casos confirmados do novo coronavírus, com 129.620 pessoas recuperadas e 2.867 óbitos registrados pela doença, de acordo com o último boletim divulgado pela prefeitura, na quarta-feira.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
41