Oi, o que você está procurando?

Pandemia

Escola de Araçatuba é fechada após surto de Covid-19

Três educadores foram diagnosticados com a infecção pelo novo coronavírus; escola ficará fechada nesta quinta (18) e sexta-feira (19)

Escola está localizada na Rua Rubião Júnior, no bairro São Joaquim; cerca de 75 alunos estão frequentando as aulas presenciais

Pouco mais de uma semana após a volta às aulas, a Escola Estadual Luiz Gama, localizada na Rua Rubião Júnior, bairro São Joaquim, em Araçatuba, será fechada nesta quinta-feira (18) e sexta-feira (19), após a confirmação de casos de Covid-19 em três educadores.

A primeira a ser diagnosticada foi a diretora da escola. Depois, mais duas professoras tiveram a confirmação para a infecção pelo novo coronavírus. Outros educadores estão com sintomas da Covid-19 e aguardam o resultado dos exames.

Os professores tiveram contato com os alunos que estão frequentando as aulas. A escola, que é de período integral, possui cerca de 250 estudantes, com idades entre 10 e 17 anos, mas como a instituição só pode receber 35% dos estudantes, 75 estão assistindo às aulas presencialmente, de forma escolanada, dividida em turmas.

As aulas foram retomadas no dia oito de fevereiro. A escola é de período integral: os alunos chegam às 7h e saem às 16h, período em que tomam café da manhã, almoçam e tomam o café da tarde. A unidade escolar atende a estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio.

Nesta semana, a Vigilância Sanitária esteve no local, juntamente com a diretoria de ensino, determinando o fechamento por dois dias. A previsão é que as aulas presenciais sejam retomadas na segunda-feira (22).

Pais de alunos procuraram a reportagem do Regional Press e mostraram preocupação. “Se a escola tem casos de Covid, deveria ficar fechada por 14 dias, que é o prazo que o pessoal da saúde diz que deve ser respeitado para evitar a propagação da doença. Eu não tenho coragem de mandar minha filha pra escola”, disse uma mãe, que pediu para não ser identificada.

Outra mãe que se manifestou ao saber do surto disse que considera uma irresponsabilidade dos dirigentes manter a escola fechada por apenas dois dias. “Queremos saber se vai haver desinfecção do prédio e se nossos filhos estarão seguros. Eu não vou enviar meu filho para um lugar onde pode ser infectado e contaminar toda a família. É uma irresponsabilidade a forma como estão lidando com uma coisa tão séria”, afirmou.

As aulas presenciais são facultativas aos alunos. Na fase amarela do Plano São Paulo é permitida a presença de 35% dos alunos em sala de aula.

A reportagem não conseguiu contato com a diretoria de ensino para falar sobre o caso.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!