Oi, o que você está procurando?

Interior de SP

Técnica de Enfermagem da UTI é a primeira vacinada do HC de Botucatu

Governador João Doria participou da vacina aplicada nesta segunda-feira (18), no Hospital das Clínicas da Unesp

O Governador João Doria participou da primeira vacina aplicada em Botucatu, na tarde desta segunda-feira (18), na técnica de Enfermagem Jacilene Rosa de Lima, que trabalha na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusiva para atender casos graves do novo coronavírus.

Aos 40 anos, mesmo tomando todos os cuidados, Jacilene recebeu diagnóstico da doença em julho, mas não teve sintomas. Seus filhos tiveram a doença, mas apenas o marido apresentou quadro grave. Após uma semana lutando contra a doença e internado na UTI onde a própria esposa trabalhava, o marido faleceu apesar de todos os cuidados médicos.

Jacilene decidiu, então, voltar a trabalhar na mesma UTI. “Fiz isso por gratidão à equipe que a apoiou e cuidou do meu marido e por amor aos pacientes que precisam de cuidados”, relata a profissional.

O HC de Botucatu é o primeiro hospital da região de Bauru a iniciar a vacinação, que se destina aos seus 4,4 mil profissionais. As doses da vacina do Instituto Butantan, que começaram a ser aplicadas nesta segunda-feira (18), saíram da capital paulista após o almoço e às 17h30 a equipe já estava preparada para vacinar os primeiros profissionais que atuam na unidade.

A distribuição das vacinas, seringas e agulhas para o interior também começou nesta segunda-feira para cinco hospitais-escola do interior: os Hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto. No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses hospitais serão imunizados contra a COVID-19.

No HC da Unicamp, doses começaram a ser aplicadas às 15h30 desta segunda-feira. Mais cedo, desde às 7h, a campanha iniciada domingo (17) prosseguia com trabalhadores do Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, da capital.

A imunização começou ainda no domingo, minutos após aprovação do uso da vacina do Instituto Butantan pela Anvisa. Somente no primeiro dia foram vacinadas 112 pessoas, incluindo a primeira brasileira a ser vacinada no país: a enfermeira Mônica Calazans, da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

“As vacinas e insumos chegaram ao HC de Botucatu nesta tarde (18), graças ao nosso plano logístico bem estruturado e à agilidade das nossas equipes. Agora já temos os primeiros vacinados de Botucatu, dando continuidade à nossa maior missão, que é proteger e salvar vidas”, afirma a Coordenadora de Controle de Doenças, Regiane de Paula.

A partir de terça-feira (19), grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às Prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Cada hospital será responsável pelo preenchimento dos sistemas de informação oficiais definidos pela Secretaria da Saúde para monitoramento da campanha.

A divisão das grades considerou o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde, baseado na última campanha de vacinação contra a gripe.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a COVID-19 serão divulgados pelo Governo de São Paulo.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!