Oi, o que você está procurando?

Música

Nelson Gonçalves ganha homenagem de músico de Araçatuba pelos 80 anos de seu primeiro disco

Angelo Moreno interpreta suas versões de músicas como"Onde Anda Você", "Negue", "Matriz e filial"; show tem sua estreia on-line nesta sexta, dia 8, no Youtube

Angelo Moreno fará uma releitura das canções gravadas por Nelson Gonçalves

Nelson Gonçalves foi dono de uma das principais vozes da época de ouro do rádio brasileiro. Com um timbre grave e uma interpretação única, é considerado o segundo maior vendedor de discos do País (ficando atrás apenas de Roberto Carlos).

Neste ano de 2021 são completados 80 anos de seu primeiro disco, um compacto lançado pela gravadora Victor com as canções “Sinto-me bem”, de Ataulfo Alves, e “Se eu pudesse um dia”, de Oswaldo França e Rosano Monello. Para celebrar a obra de Nelson, o músico Angelo Moreno, de Araçatuba, exibe nesta sexta, dia 8 de janeiro, o show on-line “Ao Boêmio – 80 anos da carreira de Nelson Gonçalves”.

O lançamento do show acontece às 20h, na página do músico no Youtube (www.youtube.com/angelomoreno76), com acesso gratuito. O projeto é realizado por meio da Prefeitura e Secretaria de Cultura de Araçatuba, financiado com recursos da Lei nº 14.017, de 29/06/2020 – Lei Aldir Blanc.

Acompanhado do pianista Joander Contel, Angelo executará suas versões de sucessos como “Onde Anda Você”, “Negue”, “Matriz e filial” e “Naquela Mesa”. O show é inspirado em programas de TV com temática musical e conta com a apresentadora Talita Rustichelli.

Considerado um dos maiores intérpretes e ídolo das rádios brasileiras nas décadas de 1940 e 1950, Nelson era uma voz constante no toca-discos do pai de Angelo. O músico natural de Birigui, que já teve sua fase de “metaleiro cabeludo rebelde” como muitos jovens, aos 20 anos já tinha se rendido à voz potente do “boêmio”. Passagens como esta e também curiosidades sobre a vida e a obra de Nelson alinhavam as canções.

“Trata-se de uma homenagem, de uma releitura das canções gravadas por ele. Sempre ouvi Nelson Gonçalves por influência dos meus pais, que eram super fãs, tinham a coleção completa dos LPs, mas a minha admiração cresceu quando tinha 18 anos e ouvi um CD do show ao vivo em comemoração aos 50 anos de carreira. Imaginem só, anos 1990, eu roqueiro, cabeludo, vestido de preto ouvindo Nelson Gonçalves no último volume do carro em frente à boate mais badalada da cidade”, relembra.

Além disso, Angelo destaca que o meio on-line acaba sendo uma ferramenta essencial para preservar a memória da música brasileira, podendo levar a música de Nelson Gonçalves, por exemplo, para longe e para muitas pessoas de diferentes faixas etárias, driblando diversas barreiras de acesso.

Sobre Angelo Moreno
Natural de Birigui, Angelo teve os primeiros contatos com o teclado aos 13 anos, na escola Universom, com o músico Mário Bonfim; seis meses depois já estava dando aulas para iniciantes nesta mesma escola. Em 1991 já tocava em bailes com a Banda Luz, na qual permaneceu até 1993, ano em que se transferiu para a Banda Terra, de Birigui.

Em 1999, Angelo passou a se dedicar a sua carreira solo como pianista e cantor. Como produtor e arranjador, participou de vários projetos de artistas regionais e trabalhou em estúdios como o O.G.D., Master e Estúdio Terra. Desde 2000, participa como músico e produtor musical da banda Pra Quinteto Falta Um.

Entre os anos de 2012 e 2018, produziu e participou de vários projetos apresentados por meio de editais culturais do Sesi-SP, com destaque para a versão presencial de “Ao Boêmio”, e ainda “Angelo Moreno canta Roberto Carlos”, “Nos Bares da Vida”, “De Volta aos Anos 60” com o grupo The Wines, “Coisa de Mineiro”, entre outros. As apresentações aconteceram nas unidades do Sesi de São José do Rio Preto,  Araçatuba, Presidente Prudente, Birigui e Marília.

Sobre Nelson Gonçalves
Em 21 de junho de 1919 nasceu em Sant’Ana do Livramento, no Rio Grande do Sul, Antônio Gonçalves Sobral, nome de batismo de Nelson Gonçalves. No colégio, porém, o garoto era vítima de bullying por apresentar um problema de fluência na fala confundido com a gagueira, chamado taquilalia.

Na adolescência, a partir de 1935, passou a dedicar-se ao boxe; com 17 anos, foi campeão paulista na categoria peso-médio. Foi nessa mesma época que começou a ter contato com o meio boêmio da música. Gravou o primeiro disco em 1941, tornando-se, alguns anos depois, um dos ícones da música brasileira. Passou por momentos turbulentos entre o final dos anos 1950 e 1960, devido ao vício em cocaína, mas reergueu-se e retomou a carreira na década de 1970.

Nelson morreu aos 78 anos, em 18 de abril de 1998, de parada cardíaca. Dois dias antes, recebeu uma ligação da gravadora BMG, avisando que ele tinha acabado de ganhar um prêmio pela venda de 150 mil exemplares do CD Ainda É Cedo, lançado havia três meses.

Serviço

Show on-line “Ao Boêmio – 80 anos da carreira de Nelson Gonçalves”
Lançamento: sexta, 8 de janeiro, às 20h
Veiculação: www.youtube.com/angelomoreno76
Acesso gratuito

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
ANUNCIANTE