Oi, o que você está procurando?

Alta de preços

Inflação do aluguel acelera e sobe 2,58% em janeiro

Aumento foi pressionado principalmente por commodities e combustíveis.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 2,58% em janeiro, percentual superior ao de dezembro, quando ficou em 0,96%. O indicador foi pressionado principalmente pelos aumentos nos preços de commodities e de combustíveis.

Em 12 meses, a chamada inflação do aluguel acumula alta de 25,71%.

Em janeiro de 2020, o índice havia subido 0,48% e acumulava alta de 7,81% em 12 meses.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. Ele sofre uma influência considerável das oscilações do dólar, além das cotações internacionais de produtos primários, como as commodities e metais.

“Impulsionado especialmente pelos aumentos nos preços de commodities e de combustíveis, a taxa do IPA [Índice de Preços ao Produtor Amplo] voltou acelerar e influenciou destacadamente o resultado do IGP-M. A variação apresentada pelo minério de ferro (4,34% para 22,87%) foi a maior influência positiva do índice ao produtor, que registrou alta de 3,38%, a maior taxa de variação desde novembro de 2020, quando havia subido 4,26%”, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que tem peso de 60% no índice, subiu 3,38% em janeiro, ante 0,90% em dezembro. Contribuíram para o avanço da taxa do grupo o minério de ferro (4,34% para 22,87%), soja em grão (-8,93% para -0,94%) e milho em grão (-2,17% para 1,93%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30%, variou 0,41% em janeiro, ante 1,21% em dezembro, puxado pela tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 8,59% em dezembro para -1,06% em janeiro.

Os destaques de alta ficaram com os artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,18% para 1,02%), roupas (-0,36% para 0,81%), serviços bancários (0,13% para 0,30%) e gasolina (1,26% para 1,76%).

Já os destaques de queda ficaram com passagem aérea (14,62% para -23,88%), carnes bovinas (3,77% para 1,19%) e mensalidade para TV por assinatura (0,86% para -0,31%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), com 10% de peso no índice, subiu 0,93% em janeiro, ante 0,88% no mês anterior. Os três grupos componentes registraram as seguintes variações na passagem de dezembro para janeiro: materiais e equipamentos (2,08% para 1,43%), serviços (0,38% para 0,48%) e mão de obra (0,06% para 0,61%).

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!