Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (22/1) informa que 53% dos entrevistados são contrários ao impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em contraste, 42% são favoráveis ao chefe do Executivo ser destituído do cargo. Em relação ao levantamento anterior, de maio, houve uma leve subida dos que resistem à saída de Bolsonaro […]" /> Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (22/1) informa que 53% dos entrevistados são contrários ao impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em contraste, 42% são favoráveis ao chefe do Executivo ser destituído do cargo. Em relação ao levantamento anterior, de maio, houve uma leve subida dos que resistem à saída de Bolsonaro […]">

Oi, o que você está procurando?

POLÍTICA

Datafolha: 53% são contrários ao impeachment de Bolsonaro, e 42% a favor

Apesar disso, a pesquisa mostra que o presidente perdeu popularidade em meio ao aumento da crise da gestão da pandemia de Covid-19

Foto: Marcos Corrêa/PR
< a href="https://news.google.com/publications/CAAqBwgKMNqxnAsw7ru0Aw?hl=pt-BR&gl=BR&ceid=BR%3Apt-419">

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (22/1) informa que 53% dos entrevistados são contrários ao impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em contraste, 42% são favoráveis ao chefe do Executivo ser destituído do cargo.

Em relação ao levantamento anterior, de maio, houve uma leve subida dos que resistem à saída de Bolsonaro do cargo: 50% se diziam contrários ao impeachment. Entre os que são favoráveis, houve uma oscilação negativa: de 46% para 42%.

A pesquisa, porém, também mostra que Bolsonaro perdeu popularidade em meio ao agravamento da crise de gestão da pandemia de Covid-19. A reprovação ao governo inverteu a curva e voltou a superar a aprovação.

De acordo com o levantamento, a atuação do chefe do Executivo é avaliada como ruim ou péssima por 40% da população, ante 32% na pesquisa anterior, no início de dezembro.

Já quem acha o presidente ótimo ou bom passou de 37% para 31% no novo levantamento, feito entre os dias 20 e 21 de janeiro.

O instituto ouviu, por telefone, devido às restrições sanitárias da pandemia, 2.030 pessoas em todo o país.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!