Oi, o que você está procurando?

abusos

Menina de 15 anos denuncia o próprio tio por estupro

Acusado prometia que iria ajudar a menina a ser policial e sempre dava presentes. Abusos começaram quando ela tinha 13 anos

Um guarda municipal que reside em Santo Antônio do Aracanguá está sendo acusado pela sobrinha, hoje com 15 anos, pelo crime de estupro. Os abusos, conforme a denúncia, ocorreram três vezes e começaram quando ela tinha 13 anos e foi morar com o acusado, que é irmão de seu pai.

O último abuso aconteceu em abril deste ano, mas o caso veio à tona porque ela decidiu contar para um irmão mais velho, com quem está residindo atualmente em Araçatuba. A menina não havia denunciado antes porque o homem prometia que iria ajudá-la a virar policial e que no período em que sofria abusos, ele a chantageava e dava presentes, além de pagar contas do pai da vítima.

A menina contou à polícia que residia com o pai, que tem a sua guarda, e por um período de quatro meses, no início do ano, foi morar com o tio, o guarda municipal acusado dos abusos, e com a esposa dele. No entanto, quando tinha 13 anos a menina disse que já havia sido beijada por este tio, que dizia serem namorados, e que não era para contar nada ao pai dela.

Quando a menina ainda tinha 13 anos, o tio a buscou na escola dizendo que a levaria para o rancho e depois sairiam para almoçar. No local, segundo ela, houve o primeiro estupro. Estavam apenas os dois no local e ele mandou que ela tirasse a roupa e deitasse na cama, quando a teria violentado.

Ela disse que estava doendo e ficou sem reação, mas o tio não parou com o ato, prometendo que em troca do sexo iria ajudá-la a ser policial. A adolescente não contou para ninguém o ocorrido porque tinha medo. Os fatos se repetiram sucessivamente no período em que ela residia com o autor, sendo que a última relação teria sido em abril deste ano, e que não se recorda a data com precisão, e sempre ocorria quando a tia não estava em casa.

Presentes

A vítima afirma que depois da primeira relação sexual passou a entender o que de fato estava acontecendo e cedia às relações pois ele dizia que caso ela não aceitasse e voltasse para a casa do pai não iria mais ajudá-la, e se continuasse mantendo as relações ele iria auxiliá-la a ser policial, sendo que ele também dava presentes para a menina, como calcinha, bem como a ajudou a comprar um celular, auxiliou o pai da menina a comprar uma televisão e a pagar o aluguel da casa.

Sem respaldo

O pai da menina, ainda sem saber do que estava acontecendo, pediu para ir embora do rancho, e em maio ela saiu e foi para a casa da irmã, em Araçatuba. Posteriormente passou a morar com o irmão. A vítima já não tem contato com o tio há sete meses. Ela se reuniu com a família para contar os fatos, no entanto, disse que não teve respaldo do pai.

A menina disse que nunca teve namorado e não manteve relações sexuais com ninguém além do tio.  Diante dos fatos o irmão da menina decidiu levá-la à delegacia para registrar a ocorrência. O guarda municipal poderá responder pelo crime de estupro de vulnerável.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!