Oi, o que você está procurando?

REDE SOCIAL

Localizada no Paraná família de homem que morreu atropelado na Elieser

Após milhares de compartilhamentos de postagem em rede social o caso chegou até uma pessoa que conhece a família, no Paraná

Jair de Oliveira foi atropelado na segunda-feira e teve o corpo desfigurado

Familiares de Jair de Oliveira, 53 anos, o homem que morreu atropelado na noite de segunda-feira (28) na rodovia Elieser Montenegro Magalhães, em Araçatuba, ficaram sabendo ontem do acidente e mantiveram contato com o policial militar aposentado Jacques Pétia, que fez uma campanha em rede social para localizar os parentes da vítima.

Jacques conhecia Oliveira e inclusive conseguiu arrumar um local para ele morar, em uma chácara, porque o homem estava dormindo em um Fusca num ferro velho na zona oeste de Araçatuba. O acidente foi na noite de segunda-feira e a polícia não identificou a vítima, porque ele estava sem documentos. A parte superior do corpo ficou desfigurada.

Na terça-feira o policial ficou sabendo do acidente e que foi atrás das informações, constatando que realmente era Jair de Oliveira. O corpo estava no IML e ninguém tinha contato de familiares da vítima para informar o caso e cuidar da liberação do corpo. Jaques sabia que ele era natural de Nova esperança, no Paraná.

Ele fez uma postagem no facebook com o nome de Jair e dos pais, pedindo informações. O postagem teve mais de 3 mil compartilhamentos e uma pessoa o chamou no privado e passou o contato do pai de Jair de Oliveira. Coube ao policial a missão de dar a triste notícia à família.

Jaques conversou com o pai e a irmã de Jair, disse que ambos ficaram muito tristes mas com uma sensação de encontro, de uma forma que jamais imaginariam. Eles estavam há mais de oito anos sem notícias de Jair. Neste período chegaram a receber a notícia de que ele havia morrido, mas na época o corpo não foi reconhecido.

A família já não mora mais em Nova esperança. Eles estão morando em Paissandu, próximo a Maringá, também no Paraná. Segundo o pai, Jair trabalhou por muito tempo com carteira assinada, e de repente largou tudo e sumiu, deixando inclusive de fazer contato com os familiares. Eles nem faziam ideia de que o parente desaparecido estava orando em Araçatuba. A irmã de Jair, Juliana Oliveira, está cuidando dos trâmites para poder levar o corpo para o Paraná.

A reportagem apurou que Oliveira dormia em um fusca em um ferro velho na zona oeste de Araçatuba. O policial aposentado Jacques Pétia conseguiu abrigo para ele em uma chácara, onde estava morando de favor. Durante o dia tinha o costume de sair para pegar latinhas, e fazia bicos carpindo terrenos.

Jacques disse que ele andava em uma bicicleta sem freios, e recentemente tinha ganhado uma bicicleta nova, mas não a usava. De vez em quando fazia consumo de bebida alcoólica. No entanto, vizinhos disseram que era um homem de bem, tranquilo e tinha bom relacionamento com a vizinhança de chácara.

O acidente

O acidente aconteceu por volta de 20h30. Quando policiais chegaram ao local, na rodovia Elieser Montenegro Magalhães (SP 463) na pista sul, sem acostamento, encontraram Oliveira em óbito, com a parte superior do tronco desfigurada, caído na faixa 2.

Uma bicicleta de cor azul também estava caída na pista próxima ao corpo da vítima, completamente destruída. Os policiais também encontraram uma motocicleta CG 160 Start danificada, caída na canaleta pluvial, abaixo da defensa metálica.

O condutor da moto, um coletor de 32 anos, já havia sido socorrido pela unidade de resgate do Corpo de Bombeiros. Ele estava com suspeita de fratura nos dois braços, fígado perfurado e encontrava-se entubado. A Polícia não conseguiu descobrir, na hora, como e o que teria acontecido pelo local. A polícia científica esteve no local. A Polícia Civil vai investigar o caso.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!