Oi, o que você está procurando?

enfrentamento ao coronavírus

Governo de SP amplia restrições e anuncia aumento de fiscais para combater a Covid-19

Até então, 76% do Estado estavam na Fase Verde, que agora regridem para a Amarela, de maior controle e restrição

Doria anunciou intensificação nas fiscalizações para evitar aglomerações e impedir o avanço do contágio do novo coronavírus

Com o aumento de casos de Covid-19, de óbitos e de internações em UTI (Unidade de Terapia Intensiva), o governo de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira (30), a regressão para a Fase Amarela, de maior restrição, de todo o Estado. Até então, estavam na Fase Verde as regiões de Sorocaba, Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Taubaté e Grande SP, o equivalente a 76% de todo o território paulista, que agora retornam ao estágio de atenção.

Para Araçatuba, que já estava na Fase Amarela, nada muda. Neste estágio, que agora passa a valer para todo o território paulista, estão permitidos o funcionamento dos estabelecimentos, mas com capacidade limitada a 40% da ocupação para todos os setores; funcionamento limitado a 10 horas por dia e até as 22h. Eventos com público em pé estão proibidos.

A medida foi tomada devido ao aumento do risco de contágio da infecção. Os indicadores apontam aumento de 12% no número de óbitos, alta de 10% no número de casos e de 7% na quantidade de internações. Os dados são da última semana em comparação com os das três semanas anteriores.  No Estado, o índice de ocupação de leitos de UTI é de 52,2%.

Além da regressão de todo o Estado para a Fase Amarela do Plano SP, o governo anunciou que voltará a analisar os dados da pandemia a cada sete dias – nos últimos meses, eles eram analisados a cada 28 dias. A próxima classificação do Plano SP será em quatro de janeiro, mas poderá haver regressão de regiões que registrar descontrole da pandemia.

Doria destacou que a medida anunciada nesta segunda não fecha comércio nem bares e restaurantes, mas é mais restritiva para evitar aglomerações e o aumento do contágio da Covid-19. “A Covid-19 não foi embora, o vírus ainda está presente e mata. Não é uma gripezinha, não é um resfriadozinho”, destacou o governador.

O governador negou que a medida tenha relação com política ou eleições. “Tudo foi determinado pela saúde. Se tivéssemos feito a classificação no dia 16 de novembro, 89% do Estado estariam na Fase Verde. Não temos interesse em transformar medidas de saúde em política ou em discurso eleitoral”, afirmou.

Fiscais

Conforme o governador, o Estado irá seguir com o programa de redução de óbitos e medidas de prevenção, com o uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social. O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, adiantou que serão adotadas, ainda, medidas como o aumento no número de fiscais, de inspeções e autuações. “Vamos quadruplicar o número de fiscais. Todos temos que impedir que o vírus continue circulando”, justificou.

Nesta terça-feira (1º), o governo irá realizar uma reunião com 62 prefeitos de cidades que apresentaram aumento de internação e ocupação de leitos. Nenhuma cidade da região de Araçatuba foi incluída neste evento virtual, que será coordenador pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

“Todo o foco neste momento deveria ser prioritariamente concentrado nas vacinas, seja a Coronavac ou outras vacinas. Diante de todas as circunstâncias, cabe ao governo federal e ao Ministério da Saúde apresentarem à população o seu programa de imunização, para que prefeitos de todo o País possam se planejar”, disse Doria.

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
ANUNCIANTE