Oi, o que você está procurando?

TEATRO

Festara se reinventa em formato totalmente on-line com espetáculos e bate-papos

Festival de Teatro de Araçatuba teve início neste sábado e prossegue com atividades formativas e peças transmitidas pela internet

O espetáculo “Eu matei Mozart”, com os atores Cassio Scapin e Elias Andreato, será transmitido no dia 30 de outubro, às 20h, pela página do Festival no Facebook - Foto: Divulgação

A estreia nacional do espetáculo “Eu matei Mozart”, com os atores Cassio Scapin e Elias Andreato, é o grande destaque da 16ª edição do Festara (Festival de Teatro de Araçatuba), que teve início nesse sábado (24), com formato totalmente on-line em função da pandemia de Covid-19, que não permite a realização de espetáculos presenciais.

O evento, que traz o tema “Novas Possibilidades”, reúne atividades formativas e espetáculos adaptados para o formato on-line que serão transmitidos pelo Facebook do Festival ou por meio da plataforma Zoom. Serão cinco dias de evento: 24 e 25 de outubro, e depois retorna nos dias 30 e 31 de outubro e 1º de novembro.

O drama “Eu Matei Mozart” será transmitido no dia 30 de outubro, às 20h. Os atores estão no processo de criação e de ensaio da peça. “Vai ser uma surpresa para todos nós, porque a peça será apresentada pela internet, o que é uma novidade. Por causa da pandemia, tivemos que adaptar o formato do evento deste ano, sem a presença do público”, afirma o presidente da Associata (Associação dos Artistas Teatrais de Araçatuba e Região), Caíque Teruel.

A programação do Festara teve início nesse sábado (24), com o bate-papo “Diálogos Possíveis”. O tema foi “Construindo uma história” e abordou a trajetória do festival, que teve início no final da década de 1990 como Fetara e depois voltou, em 2008, repaginado como Festara. O assunto foi abordado pelo ator e diretor Alexandre Melinsky e Caíque Teruel, com mediação de Fernando Fado.

Para este domingo (25), o bate-papo prossegue com o tema “Possibilidades de existências: pensando os espaços culturais hoje. ” ”com Oficina de Macacos + Casa Maré + Fabrica da Arte, também com mediação de Fernando Fado. A transmissão é pela página do Festival no Facebook, a partir das 20h.

O workshop “Como Manter-se Vivo, com Flávia Pinheiro, é outra atração do Festival, mas é preciso se inscrever pelo link https://bit.ly/34Ytply . O evento, que será transmitido das 16h às 18h, no dia 31 de outubro e 1º de novembro , pela plataforma Zoom, tem 50 vagas disponíveis por dia .

Sonhos de janela

No mesmo dia, às 20h, será apresentado, pelo Facebook Festara, o espetáculo cênico-musical  “Sonhos de Janela”, da Cia Nuvem e Feijão, dos artistas Júnior Vianna e Josy Martins, de Araçatuba. A peça é voltada para todos os públicos e traz músicas do CD do mesmo título.

A programação do Festival se encerra no dia 1º de novembro, com cinco atrações. A primeira delas é “Cápsulas de Histórias, com a artista Tânia Katuapó Antunes, às 10h, pelo Facebook Festara.

O bate-papo Diálogos Possíveis volta com o tema “Iniciais vivências e diferentes possibilidades, com Giulia Sorpilli, Ludmila Lopes e Gabriela Reis, com mediação de Fernando Fado. O evento será transmitido a partir das 13h.

Também no dia 1º de novembro, o ator Sergio Mamberti aborda o tema “Teatro, História e Pandemia, com mediação de Rodolfo Lima, a partir das 19h. O evento terá acessibilidade em Libras.

O ator Sergio Mamberti aborda o tema “Teatro, História e Pandemia, com mediação de Rodolfo Lima, no dia 1º, às 19h

O Festara se encerra com o espetáculo “Psicorange”, de São José do Rio Preto, que será transmitido pelo Facebook do Festival a partir do Teatro Municipal Castro Alves, de Araçatuba, a partir das 20h. A classificação é de 14 anos.

Desafio

Para o presidente da Associata, o Festara 2020 foi um desafio. “A gente acredita na arte do teatro de maneira presencial e nada substitui o encontro com o público, porque é assim que se faz a arte, mas foi necessária esta adaptação, que mostra mais uma vez a potência do festival e a importância dele pra cidade”, afirmou.

A primeira edição do Festara foi realizada em 1997. O evento foi realizado durante três anos com o nome de Fetara. Depois, voltou reestruturado pelo ator e diretor de teatro Alexandre Melinsky, em 2008.

“Neste momento, sabemos que o nosso festival não abrange todos os nossos ideais, que é a democratização e o acesso a todos, porque nem todo mundo possui internet, celular e computador”, avaliou Caíque Teruel. “Pretendemos, de alguma maneira, sanar isso na próxima edição, que vai ser, tomara, presencial”, concluiu.

O Festara é uma realização da Associata (Associação dos Artistas Teatrais da Região de Araçatuba) e da Secretaria Municipal de Cultura, com o apoio do Sesc.

Equipe

Direção Geral: Caique Teruel

Produção Executiva e Comunicação: Pedro Böor

Produção: Denise Vaz, Pedro Böor, Caique Teruel

Designer: Caio Teruel

Técnica: Jin Silva

Registro Fotográfico: João Tk

Interprete de Libras: Rivelino Agra

Agradecimentos: Diretoria e Conselho Fiscal da Associata

Realização: Associata – Associação dos Artistas Teatrais da Região de Araçatuba e Prefeitura Municipal de Araçatuba

Apoio: Sesc Birigui

Parceria: Metropolitana Gestão Cultural

Serviço

Toda a programação pode ser conferida na página do Festara no Facebook.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!