Oi, o que você está procurando?

ACUSAÇÃO

Ex-BBB Felipe Prior vira réu em processo de estupro

Arquiteto foi denunciado pelo MP por estupro que teria ocorrido em 2014, e o caso se tornou público em abril deste ano

O ex-BBB Felipe Prior virou réu nesta quinta-feira (1º) pelo crime de estupro. Três mulheres denunciaram o arquiteto, que participou da 20ª edição do BBB, por dois estupros e uma tentativa de estupro.

O Tribunal de Justiça de São Paulo recebeu a denúncia feita pelo Ministério Público em agosto, mas, por conta da pandemia do coronavírus, ela só chegou ao juiz em 30 de setembro.

O juiz acolheu a denúncia de estupro, segundo nota do TJ, e determinou que Prior apresente resposta às acusações por escrito, no prazo de dez dias. O processo tramita em segredo de Justiça e, por isso, as informações são restritas.

Na denúncia, os promotores Danilo Romão, da 7ª Promotoria Criminal, e Fernanda Moreti, da Promotoria da Violência Doméstica, denunciaram Felipe Prior por um crime de estupro, de acordo com o artigo 213 do Código Penal Brasileiro (CPB). O crime teria ocorrido em São Paulo, em 2014.

Os outros casos teriam ocorrido em outros municípios e foram enviados para os promotores locais. O Ministério Público não informou o andamento destes casos até a publicação desta reportagem.

As advogadas das mulheres que fizeram as denúncias afirmaram em nota divulgada em agosto, quando a denúncia foi feita, “que lutam não só para que um abusador seja responsabilizado, mas para que no futuro mulheres possam denunciar agressões sem serem atacadas, revitimizadas e desacreditadas pela sociedade e até por estruturas de Estado criadas para acolhê-las.”

Nesta quinta-feira, as advogadas das mulheres não quiseram se pronunciar.

A advogada de defesa de Felipe Prior, Carolina Pugliese, disse, em nota divulgada também em agosto deste ano, que “no inquérito policial foram produzidas provas robustas que levaram a autoridade policial a concluir pela inocência de Felipe Prior. Foi demonstrado, cabalmente, que Felipe não cometeu crime de violência sexual nem qualquer outro crime.”

Ainda segundo a nota, a advogada disse que “acreditamos, firmemente, que a justiça prevalecerá e o poder judiciário chegará a essa mesma conclusão, afirmando a inocência de Felipe Prior e sepultando, de uma vez por todas, essas injustas e infundadas acusações.”

O inquérito policial feito pela 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo foi concluído, em 4 de agosto, sem indiciá-lo pelas acusações.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!