Oi, o que você está procurando?

Manobra de Heimlich

Policiais militares salvam menino que se engasgou com pirulito

A ação aconteceu na cidade de Praia Grande, no litoral sul de São Paulo

PMSP/ Divulgação

Mais uma semana estava sendo concluída, quando uma equipe da 2ª Companhia do 45º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I) precisou colocar em prática uma das técnicas apreendidas no curso de formação da Escola Superior de Soldados (ESSd) – a manobra de Heimlich.

O procedimento, que consiste na compressão abdominal capaz de desobstruir as vias aéreas pela descompressão do diafragma, salvou um menino, de 4 anos, que havia se engasgado enquanto comia um pirulito, na última sexta-feira (25), no bairro Balneário Flórida, na cidade de Praia Grande.

Os avós de criança chegaram na sede da unidade em estado de choque pedindo, pois ela já não estava conseguindo respirar direito. De imediato, dois policiais pegaram o garoto e um deles, o soldado Alexandre Pezotti, começou a realizar a manobra de Heimlich, na tentativa de realizar o salvamento.

Naquele mesmo momento, uma viatura com outros três policiais chegou ao local e, como a criança não apresentava melhora, os militares entraram em contato com o Centro de Operações da Polícia Militar e encaminharam um pedido de emergência à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Samambaia.

Enquanto uma equipe liberava o tráfego para a passagem da viatura, a outra seguia com o garoto em direção à unidade de saúde. Durante todo o percurso o soldado Alexandre continuou o atendimento, até que conseguiu durante a manobra alcançar o doce preso por meio de um pinçamento com o dedo.

Há cerca de cinco anos na PM, o soldado, que no início do mês foi atingido por um disparo durante uma ocorrência voltada ao combate à criminalidade, explicou que a emoção que sentiu durante o salvamento da criança ainda foi maior do que do episódio que colocou em risco a própria vida.

“Superou totalmente essa outra ocorrência. Quando ele [o menino engasgado] conseguiu respirar e puxar a saliva, começou a gritar que havia melhorado e ainda ficou contente quando percebeu que estava dentro da viatura. Eu amo criança e para mim foi uma sensação indescritível”, contou.

Já na UPA, o garoto foi avaliado por uma equipe médica que constatou que ela estava bem. Ele foi liberado e ficou aos cuidados dos avós.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!