Oi, o que você está procurando?

INVESTIGAÇÃO

Goe/Deic apreende R$ 124,9 mil em investigação de lavagem de dinheiro

Policiais civis do GOE/Deic (Grupo de Ações Especiais da Divisão Especializada em Investigações Criminais) apreenderam R$ 124 mil em dinheiro, além de cheques e notas promissórias, em uma operação realizada na manhã desta sexta-feira (28) devido à uma investigação de lavagem de dinheiro. Dois corretores de imóveis, de 22 e 26 anos, foram conduzidos à delegacia para prestar depoimento. Um deles é filho de um ex-vereador em Araçatuba.

De acordo com a polícia, há um inquérito policial instaurado pela CPJ (Central de Polícia
Judiciária) que apura o crime de lavagem de dinheiro, tendo como indiciado principal um autônomo de 26 anos, que já foi alvo de outras operações, sendo uma delas quando residia no condomínio Habiana, e outra mais recente em um condomínio de apartamentos populares no bairro Panorama. Nas operações os policiais apreenderam carros de luxo (BMW), caminhonetes, jet ski, cheques, notas promissórias e notebook.

O autônomo, segundo as investigações, não tem nenhuma atividade lícita, fica ocioso o dia todo e gosta de ostentar joias, carros de luxo e publicações de grandes festas, bem como em passeios de lanchas e jet ski, em suas redes sociais. Recentemente a polícia começou a receber reiteradas denúncias anônimas de que o autônomo e o corretor de 22 anos alugaram uma casa na rua Dr. Salim Pedro Abujanra, no bairro Ipanema.

O local foi apelidado de mansão, e era usado pela dupla para promoção de grandes festas. Ainda segundo a polícia, o autônomo também pratica crime de agiotagem, e após o inicio da investigação, ele se associou com o corretor para não ficar tão visado pela policia, passando todas as orientações de como continuar praticando agiotagem.

Nesta manhã, em cumprimento a mandado de busca domiciliar expedido pela 3ª Vara Criminal, a equipe chegou e chamou pelos moradores, mas não foi atendida. Os policiais tiveram de arrombar o portão social a porta da sala e de um dos quartos, onde foram surpreendidos o corretor, o autônomo, outros dois homens e uma mulher.

O corretor se apresentou como o responsável pela casa. Durante as buscas foram encontrados no maleiro de um armário, em um dos quartos, um case para arma de fogo vazio da cor preta da marca Imbel. Na garagem havia um veiculo Hyundai, de cor preta, de propriedade do corretor, onde foi encontrada uma cédula aparentemente falsa, uma maquina de cartão de crédito, um caderno com anotações, dezenas de notas promissórias que indicam agiotagem, uma folha de cheque do banco Bradesco, de R$3,8 mil, além de um Iphone.

Analisando o celular, já devidamente autorizado na ordem judicial, foi encontrada uma foto que o próprio corretor tirou, mostrando grande quantidade de vários maços de dinheiro em notas de 100 e 50 reais, isso na noite anterior. Questionado sobre a foto, ele disse que havia recebido aquele dinheiro e repassado para um amigo, o corretor de 26 anos, que mora em um apartamento na rua Francisco Vilella.

Os policiais foram até o apartamento deste outro corretor, o qual confirmou que havia recebido vários maços de dinheiro na noite anterior. Espontaneamente ele retirou debaixo de uma cama os maços de dinheiro, sendo que nem sabia o valor total, que foi contabilizado em R$ 124.900,00. O corretor de 22 anos disse que foi buscar o dinheiro com uma pessoa que ele conhece como Jhow, em Birigui. A Polícia Civil continua investigando o caso e agora a participação de outras pessoas no esquema comandado pelo autônomo.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
31