Oi, o que você está procurando?

ECONOMIA

Empresas de Araçatuba crescem mesmo durante a pandemia

Novas unidades e lançamentos são investimentos estratégicos de empresários para expandirem as suas marcas, produtos e serviços com qualidade, mesmo com crise mundial

Evandro Nobre Cruz, administrador da Lomy

Empresas de Araçatuba (SP) estão em pleno crescimento mesmo durante a pandemia da Covid-19. A crise provocada pelo novo coronavírus trouxe novos hábitos de consumo e convívio social, sendo que empreendedores tiveram que se reinventar para sobreviver neste cenário.

Além disso, os negócios foram atingidos de diferentes maneiras, e, embora seja um momento de incertezas, alguns segmentos se destacam.

O empresário César Braga, dono de uma ótica no centro de Araçatuba (SP), por exemplo, decidiu investir e abrir uma nova unidade no bairro Umuarama, na Zona Leste da cidade.

Para ele, a pandemia evidenciou ainda mais que as pessoas valorizam o comércio local, e fazem compras no seu próprio bairro. “Antes da Covid-19 eu já tinha tido essa percepção, mas agora isso ficou ainda mais latente. As pessoas preferem não sair dos seus bairros para ir ao banco, mercado, entre outros serviços, porque encontram isso pertinho de casa”, diz.

 

César Braga, empresário em Araçatuba (Divulgação)

Braga alugou um espaço em uma galeria recém-construída e contratou dois funcionários para a nova unidade. “Nós estamos levando para aquela região a nossa qualidade de sempre, com muitas novidades e excelentes expectativas. Vamos abrir uma loja linda e aconchegante, que vai acolher toda aquela população. Esperamos que sejamos acolhidos também da mesma forma”, comenta ele.

Fotovoltaica

Quem também resolveu expandir sua atuação foi o empresário Francis Polo, dono de uma empresa do setor fotovoltaico, que atende os municípios de Araçatuba e Umuarama (PR).

Agora, ele passa a contar também com uma unidade em São José do Rio Preto (SP). Polo explica que após análise de mercado, viu que o momento era propício para o investimento. “A energia solar continua a se expandir no Brasil mesmo durante a pandemia da Covid-19 e isso não foi diferente aqui no Interior Paulista”, afirma.

A energia fotovoltaica instalada aumentou 30% no primeiro semestre de 2020. O potencial total era de 5.918 MW em 2 de julho, ante 4.533 MW no final de 2019, de acordo com dados oficiais da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), reguladora de energia neste país sul-americano de 211 milhões de pessoas.

Empresário Francis Polo (Divulgação)

“O fato é que as pessoas estão ficando mais tempo em casa e acabam gastando mais energia elétrica. Ao confrontar a conta de luz atual com o investimento e o retorno numa geração própria de energia com a usina fotovoltaica, muita gente está optando pela mudança para o sistema fotovoltaico. Percebendo isso, decidimos por abrir uma filial em Rio Preto”, explica o empresário.

Atualmente, no Brasil, 60,4% da energia é hidrelétrica, 8,7% vem do vento, 8,4% da biomassa, 8,3% do gás natural, 5,1% dos derivados de petróleo e 2,0% do carvão. A energia solar é a fonte de energia que mais cresce, de acordo com a tendência global.

Construção civil

Outro setor que vem se destacando em Araçatuba durante a pandemia é o da construção civil. Prova disso são os investimentos que a BRN PAR está fazendo no município.

De acordo com o administrador da BRN Lomy, Evandro Nobre Cruz, a empresa fez análises exaustivas do cenário atual e concluiu que o panorama apresenta elevado grau de oportunidade.

Com a certeza que planejamento e rigor na gestão darão o resultado esperado, a empresa está lançando nos próximos dias na cidade um dos maiores empreendimentos imobiliários dos últimos anos.

Com 512,9 mil m2, casas, lotes residenciais, comerciais e mistos, trata-se do Residencial Sylvio José Venturolli, na Zona Norte, no final da via Etelvino Pereira dos Santos, às margens da rodovia Elyeser Montenegro Magalhães.

O projeto vislumbra também espaços para a instalação de equipamentos comunitários e urbanos, como UBS (Unidade Básica de Saúde), escola e creche, assim como praças de lazer, prática esportiva e entretenimento. As áreas institucionais somam mais de 39 mil m2.

A empresa também começou a construção do Residencial Luana, na mesma região, com prazo de entrega é de 24 meses. Serão 158 casas do MCMV, nas Faixas 1,5 e 2. A maior parte dos contratos de financiamento com a Caixa já foi assinada, mas ainda há unidades disponíveis.

Além disso, a BRN reformulou os projetos dos seus dois empreendimentos premium, o Novo Vivaldi e o Novo Iasmim, adequados e otimizados para serem entregues no final deste ano.

“Mesmo com a pandemia, enxergamos um horizonte promissor. A demanda por imóveis existe, assim como o desejo da casa própria continua sendo o maior sonho do brasileiro. Isso aliado às baixas taxas de juros atuais nos dá a certeza que há espaço para crescimento imediato. Nos preparamos para isso, em um ciclo virtuoso em que todos ganham, nós, os clientes e a economia de Araçatuba”, analisa Cruz.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!