Oi, o que você está procurando?

luto

Morre a ex-primeira dama de Araçatuba, Dona Therezinha Maluly

Ela estava em casa, tomando café da manhã, quando sofreu um AVC

Faleceu na manhã deste sábado, em sua casa, aos 85 anos, a ex-primeira-dama de Araçatuba, Therezinha de Faria Maluly, a Dona Therezinha, que também gostava de ser chamada de mãezona. De acordo com as primeiras informações, ela estava em casa, tomando café da manhã, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

O filho de dona Therezinha, o engenheiro Jorginho de Faria Maluly, disse que sua mãe estava bem, e a família também foi surpreendida com a notícia do AVC. Dona Therezinha era uma mulher muito ativa mas ultimamente estava reclusa em função da idade, por conta do isolamento social provocado pela pandemia da Covid-19.

Ela tinha completado 85 anos no dia 22 de abril. Dona Therezinha foi casada com o ex-deputado estadual e federal e ex-prefeito de Araçatuba Jorge Maluly Netto (falecido em 2012), com quem teve os filhos Tânia, Jorginho e Mônica, e 10 netos, além de bisnetos.

No período de 2001 a 2008 ela foi Secretária Municipal de Assistência Social, período em que Maluly foi prefeito de Araçatuba.

Jorginho disse que o falecimento de sua mãe não teve nada a ver com Covid-19, mas, devido à pandemia, o velório e enterro serão feitos de forma restrita, em função do momento e para evitar riscos, até porque a mãe era pessoal popular e muito conhecida.

Abaixo, um texto escrito pela jornalista Roselana Aguiar, na ocasião do aniversário de Dona Therezinha, no dia 22 de abril

Dona Therezinha conheceu Jorge Maluly Netto, então estudante de Medicina, em 1951, quando ele a convite de seus irmãos José Carlos e Carlos José que eram seus colegas de curso na Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro o convidaram para conhecer Mirandópolis.
No livro “ Maluly Netto Por Excelência”, escrito pela jornalista Roselana Aguiar, Maluly contou que ao ver Therezinha pela vez se encantou com a caçula de dona Lourdes e do doutor Oswaldo Brandi de Faria.

“Era uma menina, linda; aliás a mais linda que já havia visto em toda a minha vida”. Perguntado o que nela o havia encantado tanto, Maluly respondeu: “as longas tranças, a simpatia e a espontaneidade daquela que recebia do pai o tratamento digno de uma princesa”.

Therezinha me disse uma vez que o pai a mimava ao extremo e que o seu marido nunca mediu esforços para manter o mesmo tratamento.

Tempos depois ele a pediu em namoro, mas ela recusou. Como continuou dizendo não a várias outras tentativas que ele fez. Até mesmo no baile de formatura, na qual ela foi solenemente convidada para ser sua madrinha no baile de gala.

O sim de Therezinha só aconteceu em meados de 1957. O namoro e noivado durou em torno de seis meses. Eles se casaram em 24 de julho de 1958, em São Paulo, numa cerimônia e festa dignos da influência dos Brandi Faria. Dentre os padrinhos do casal, Tião Maia, o “rei da carne”, era uma das presenças ilustres.

O casal teve 3 filhos: Tânia Regina, Jorge e Mônica. Ficaram juntos até 22 de maio de 2012, quando Maluly faleceu. Somente a morte os separou.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!