Oi, o que você está procurando?

AMEAÇA

Líder do grupo 300 do Brasil, que apoia Bolsonaro, é presa em Brasília pela Polícia Federal

Investigada por ameaças contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), a ativista Sara Winter foi presa temporariamente pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira (15), em Brasília. O mandado de prisão foi expedido pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) no inquérito que apura Fake News e ataques à instituições nas redes sociais. Ao todo, seis pessoas foram presas hoje.

Ameaças

Winter é líder do grupo 300 do Brasil, de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. No fim de maio, depois que foi alvo de mandados de busca e apreensão autorizadas pelo STF, a ativista usou as redes sociais para ameaçar o ministro Alexandre de Moraes. À época ela disse que o ministro “nunca mais teria paz” e que contaria com ajuda para descobrir onde ele mora e quem trabalha na casa dele.

Nesse sábado (13), acampamentos de apoiadores do presidente Bolsonaro, que estavam na Esplanada dos Ministérios desde o início de maio, foram desmontados em uma operação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP) e o DF Legal, órgão de fiscalização do governo do Distrito Federal. Na ação policiais utilizaram spray de pimenta contra militantes que insistiam em permanecer na Esplanada.

Na manhã de ontem (14) Winter, fez novas a ameaças, desta vez, o alvo foi o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, chamado pela ativista de “ditador”. Em suas redes sociais, Sara Winter criticou um decreto de Ibaneis, publicado na noite de sábado. O documento determinou o fechamento da Esplanada dos Ministérios nesse domingo (14) para evitar aglomerações.

A advogada de Sarah, Renata Felix, informou que a prisão temporária é por cinco dias e que vai entrar com pedido de habeas corpus.

Desacato

Em um vídeo que circula nas redes sociais, a ativista Sara Winter (foto em destaque), que lidera o grupo de extrema direita 300 do Brasil e foi presa pela Polícia Federal na manhã desta segunda-feira (15/06), aparece xingando policiais militares do Distrito Federal, durante ação do GDF para desmontar o acampamento do grupo, na Esplanada dos Ministérios. Na última postagem, porém, no Twitter, ela chama o governador Ibaneis Rocha (MDB) de bandido e os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de comunistas.

No primeiro vídeo, Sara Winter xinga os policiais que estavam reunidos em frente ao Ministério da Justiça. A operação ocorreu no último sábado (13/06). Nas imagens, é possível ver a ativista chamando os PMs de “bostas” e “lixos”.

No último vídeo postado por ela no Twitter, há 10 horas, Sara Winter também aparece proferindo ofensas ao governador Ibaneis Rocha (MDB). Ela chama o emedebista de bandido e o STF, de ditadura comunista. “Vamos ver se prendem 20 mil pessoas”, desafia. Na ocasião, ela e o grupo de extremistas defendiam o ativista Renan Sena, que foi preso e solto pela PCDF no domingo (14/06).

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!