Connect with us

Epidemia

Por falta de máscaras, chineses improvisam contra o coronavírus

Publicado

em



Moradores de áreas atingidas pela epidemia de coronavírus na China buscam maneiras improvisadas de se proteger contra o Covid-19. Em alguns locais, a escassez de equipamentos adequados de proteção fez com que os chineses recorressem ao uso de sacolas plásticas e garrafas para tentar escapar do vírus.

Nesta quarta-feira (12), o governo chinês apontou que 1.114 pessoas morreram pela epidemia no país. Há 44.730 casos confirmados de Covid-19 na China e mais de 4.740 pessoas receberam alta dos hospitais após a recuperação.

Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que o mundo enfrenta uma escassez de trajes, máscaras, luvas e outros formas de proteção para se prevenir contra o surto do novo coronavírus e assegurou que a organização enviará equipamentos para nações mais vulneráveis.

“Vamos identificar os gargalos, encontrar soluções e garantir equilíbrio na distribuição de equipamentos”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A agência de saúde da ONU pediu que os equipamentos sejam adquiridos apenas quando necessário e que profissionais da saúde de áreas de risco tenham o acesso garantido aos materiais.

“Profissionais da saúde devem ter prioridade para receber estes materiais. Em segundo lugar estão os doentes e seus cuidadores”, disse Ghebreyesus. “A OMS não encoraja que estas formas de proteção sejam adquiridas e estocada em países onde os riscos de transmissão são baixos.”

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
G1
Anunciante
Anunciante
Band FM 96.9
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998