Connect with us

condenado

Mulher leva fezes e ovos para jogar em réu no Tribunal do Juri de Araçatuba

Publicado

em

Imagem ilustrativa


Uma mulher precisou ser retirada do salão do Tribunal do Júri de Araçatuba na tarde desta quarta-feira porque estava com duas sacolas, contendo ovos e fezes, e pretendia jogar contra o réu, Faustino Belarmino de Souza. A acusada é parente de Esmeraldo Tavares dos Santos, que foi morto por Souza em 7 de novembro de 2014, na rua Noel Rosa, no Jardim Rosele.

No julgamento o réu foi condenado a 10 anos e seis meses de prisão em regime fechado por homicídio duplamente qualificado, porque agiu por meio cruel e sem possibilitar defesa por parte da vítima. Também foi acatada a tese de que o réu agiu por violenta emoção. Ele vai poder recorrer da sentença em liberdade.

A julgamento de Souza começou às 9h e teve dois fatos inusitados. Uma das familiares da vítima teve de ser retirada do salão porque começou a gritar durante a fala de um dos advogados, atrapalhando a sessão.

Depois policiais militares apreenderam uma sacola com ovos e outra com fezes, que estavam em poder de outra familiar da vítima, que pretendia arremessar contra o réu. A mulher também foi retirada do salão do júri e impedida de assistir o julgamento. Ela teria, no dia anterior, anunciado nas redes sociais o que pretendia fazer durante o julgamento.

De acordo com denúncia do Ministério Público, no dia anterior ao crime, o acusado pegou o telefone de sua companheira e viu mensagens amorosas enviadas por Santos, que era da mesma igreja do casal e seria um conselheiro de ambos com relação ao casamento.

Na manhã seguinte Souza saiu para trabalhar com seu veículo, um caminhão F-4000. No entanto, ele resolveu voltar e acabou encontrando a companheira conversando com a vítima na calçada. Ao ver Souza, Santos subiu em sua moto e saiu de perto da mulher.

Leia também:   Homem morre eletrocutado em Rio Preto

No entanto, enfurecido, Souza acelerou o caminhão e atropelou a vítima, arrastando ele e a moto por vários metros. O acusado desceu do caminhão, pegou o capacete que estava na mão de sua companheira e desferiu vários golpes contra a cabeça de Santos, que estava caído agonizando ao lado da moto.

Vários vizinhos saíram e presenciaram a cena. Em seguida, Souza voltou para o caminhão e deu marcha-ré, passando novamente sobre a vítima, e ainda passou outra vez sobre o corpo. Santos sofreu ferimentos na mandíbula, tórax, crânio, abdome e membros inferiores, e faleceu devido aos ferimentos.

O réu, condenado a 10 anos e meio de prisão em regime fechado, vai poder recorrer em liberdade. O promotor quer atuou no caso, Adelmo Pinho, não vai recorrer da decisão.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Anunciante
Anunciante
Band FM 96.9
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998