Connect with us

PESQUISA

Eleições 2022: Bolsonaro amplia vantagem sobre rivais no 1º turno

Publicado

em



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliou a vantagem sobre seus eventuais rivais nas próximas eleições, no primeiro turno, caso tente a reeleição. É isso que revela a nova pesquisa eleitoral Veja/FSB publicada nesta quinta-feira (13/02/2020).

Segundo os dados levantados, o atual chefe do Executivo, que já liderava em todos os cenários, oscilou para cima, no limite da margem de erro de 2 pontos porcentuais – de 33% para 37%. Os demais possíveis candidatos ficaram estagnados.

No cenário mais provável, no qual concorrem o petista Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Luciano Huck (sem partido), o principal adversário é o ex-prefeito de São Paulo Haddad, que oscilou negativamente de 15% para 13%. Dessa forma, o petista ficou empatado tecnicamente com o apresentador Luciano Huck, com 12%, e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 11%. Eles mantiveram seus porcentuais da pesquisa anterior.

Também estagnados, mas bem abaixo dos demais, estão o empresário João Amoêdo (Novo), com 4%, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%.

Bolsonaro x Lula

No cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato do PT, a vantagem de Bolsonaro cai consideravelmente – ele ficaria com 31% das intenções de voto, contra 28% do petista. Isso configura empate técnico e reafirma as conclusões de pesquisas anteriores do instituto: Lula é o adversário que mais ameaça a reeleição de Bolsonaro.

Lula, no entanto, está inelegível com base na Lei da Ficha Limpa. O petista foi condenado em segunda instância, o que impede que ele seja candidato em qualquer eleição. Caso nada mude até 2022, Lula está impossibilitado de concorrer.

A situação é a mesma da pesquisa de dezembro, quando eles ostentavam, respectivamente, taxas de 32% e 29%. Em um segundo turno, Bolsonaro teria hoje 45% das preferências contra 40% do ex-presidente Lula.

Leia também:   Liderança de caminhoneiros nega paralisação na quarta-feira

Em um segundo turno sem Lula, Bolsonaro venceria com folga Haddad (51% a 33%) e Doria (50% a 25%), mas teria uma disputa mais apertada com Huck (45% a 37%) e ficaria numericamente atrás de Moro (39% para o ministro da Justiça e 37% para o presidente).

O ex-juiz da Lava Jato é o ministro mais bem avaliado do governo, com 29% de aceitação – o segundo colocado, Paulo Guedes (Economia), vem bem atrás, com 6%. A pesquisa foi realizada entre os dias 7 e 10 de fevereiro de 2020. Dessa forma, ainda não foram sentidos os impactos da fala de Guedes sobre o dólar e as empregadas domésticas.

Moro lidera

Sem Bolsonaro e Lula na disputa, Moro lidera as pesquisas de intenção de voto, com 31%. Ele é seguido pelo apresentador Luciano Huck (16%) e pelo ex-candidato Fernando Haddad (14%). Ciro Gomes vem depois, com 12% das intenções de voto.

A pesquisa, realizada pelo instituto FSB Pesquisa, entrevistou 2 mil eleitores por telefone. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos porcentuais, com intervalo de confiança de 95% – ou seja, se a pesquisa fosse realizada 100 vezes, em 95 delas os resultados seriam esses.

Confira como ficaram os cenários:

Cenário 1
Jair Bolsonaro – 37%
Fernando Haddad – 13%
Luciano Huck – 12%
Ciro Gomes – 11%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 3%

Cenário 2
Jair Bolsonaro – 31%
Lula – 28%
Luciano Huck – 11%
Ciro Gomes – 8%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%

Cenário 3
Sergio Moro – 31%
Luciano Huck – 16%
Fernando Haddad – 14%
Ciro Gomes – 12%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%


Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Anunciante
Anunciante
Band FM 96.9
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998