Oi, o que você está procurando?

investigação

Polícia Civil de MG não descarta sabotagem de ex-funcionário de cervejaria

Empresa registrou BO por ameaça em dezembro;

09/01/20. Credito: Marcos Vieira/EM/D. A Press Cerveja Belorizontina

A Polícia Civil de Minas Gerais trabalha com a possibilidade de um ex-funcionário da Cervejaria Backer estar envolvido na contaminação da cerveja Belorizontina com a substância tóxica dietilenoglicol.

De acordo com a polícia, um supervisor da empresa registrou boletim de ocorrência, em 19 de dezembro de 2019, após um funcionário ter sido demitido, por crime de ameaça, mas a pessoa não voltou à delegacia para representar pela continuidade da ação penal.

“A Polícia Civil não descarta nenhuma possibilidade”, informou em nota neste domingo. Até o momento, não foram encontradas evidências da participação desse ex-funcionário no caso.

Ao menos dez pacientes foram identificados com síndrome nefroneural em possíveis casos decorrentes da contaminação por cerveja em Belo Horizonte, um deles morreu.

Anunciante

A Backer sustenta que o dietilenoglicol não é usado no seu processo de produção, mas um laudo preliminar da polícia identificou a substância em duas amostras de cerveja Belorizontina, dos lotes L1 1348 e L2 1348.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!



Anunciante