CONECTE CONOSCO

APLICATIVO

Saiba impedir que você seja incluído sem autorização em grupos de Whatsapp

Função já estava na versão beta do aplicativo e agora chega para todos os usuários.

Publicado em



Antes disponível na versão de testes do aplicativo, o WhatsApp liberou nesta quarta-feira (6) um filtro em que permite ao usuário configurar quem poderá adicioná-lo a grupos.

Até então não era possível impedir que administradores de grupos adicionassem livremente outros usuários. Com a nova função, quem usa o aplicativo pode determinar se quer continuar com a atual configuração ou se quer incluir autorizações.

São três as opções:
Todos: Essa opção equivale ao modelo atual, que permite que qualquer administrador inclua novos membros no grupo sem que eles tenham solicitado;
Meus contatos: Essa opção requer que o administrador esteja na lista de contatos de quem será adicionado ao grupo;
Meus contatos, exceto: Essa opção permite a criação de uma lista de pessoas impedidas de adicionar membros sem o consentimento do usuário.

Para ativar, é preciso seguir os seguintes passos:

  1. Acesse as configurações do WhatsApp;
  2. Toque na opção “Conta”;
  3. Clique na opção “Privacidade”;
  4. Toque na opção “Grupos”;
  5. Selecione a opção de privacidade em grupos conforme a sua vontade.

Na lista de contatos impedidos, é preciso incluir um a um.

Os contatos selecionados não ficam impedidos de enviar mensagens ou conversar com a pessoa: a restrição só impede que eles coloquem o usuário em grupos.

Nesses casos, o administrador que não puder adicionar um usuário a um grupo terá a opção de enviar um link de convite por mensagem. O usuário terá então 3 dias para aceitar ou não o convite antes que ele expire.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Anunciante

Mídia

Grupo Globo demite pelo menos 30 jornalistas e deve acabar com a revista Galileu

Publicado em

As organizações Globo demitiram ao menos 30 jornalistas nesta terça-feira (19/11/2019). Os cortes, porém, ainda não foram concluídos e estima-se que o número final chegará a aproximadamente 40 pessoas desligadas do grupo nesta semana.

A maior parte dos funcionários trabalhava nos jornais O Globo, maior publicação impressa do grupo, e no Extra, jornal de apelo popular do Rio de Janeiro.

Além disso, a revista Galileu, que aborda temas relacionados a descobertas científicas, também deve ser descontinuada. A ideia que está sendo ventilada é que agora a publicação seja feita apenas nas plataformas digitais.

Até o momento, nada foi dito sobre a extinção da revista Época, que é a principal do grupo. Desde que a publicação deixou de ser distribuída como encarte dos jornais O Globo e Valor Econômico, houve um aumento de cinco mil assinantes.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

PESQUISA

Produto natural auxilia no combate a carrapatos em bovinos

Desenvolvida pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, substância elimina cerca de 80% dos parasitas na primeira semana de aplicação

Publicado em

O Instituto de Zootecnia (IZ/APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, criou, em parceria com a empresa HYG System, um produto natural com capacidade para combater os carrapatos em bovinos de forma eficiente e rápida. O produto consegue eliminar cerca de 80% dos carrapatos na primeira semana de aplicação.

Feito à base de óleos essenciais provenientes de plantas aromáticas, o produto não utiliza nenhum composto sintético em sua formulação, além da ação rápida sobre os carrapatos. Outra vantagem está na aplicação localizada, pulverizando o produto onde há maior infestação de carrapatos. Testes em laboratório apresentam 100% de mortalidade da fêmea, que nem chega a colocar ovos.

“Quanto mais rápida a eliminação dos carrapatos, principalmente, das fêmeas que sugam o sangue do animal, mais rápida será sua recuperação de peso e de produtividade”, explicou o farmacêutico responsável pela formulação, Leandro Rodrigues, que integra o projeto de pesquisa juntamente com as pesquisadoras do IZ, Cecília José Veríssimo e Luciana Morita Katiki.

Outro diferencial é a ação sob todas as fases do carrapato. Após a aplicação do produto, as fêmeas ingurgitadas e demais fases dos carrapatos secam, de modo que não chegam a colocar ovos. “Com isso, há eliminação de grande parte da população, evitando a resistência dos carrapatos ao produto. A resistência é um dos grandes problemas para o controle do carrapato e este carrapaticida natural consegue driblá-la”, afirmou o bioquímico Germano Scholze, proprietário da HYG System.

Os testes realizados pelo IZ mostram que o produto é eficaz e seguro para o animal e para o aplicador, se utilizado da maneira correta. Segundo Luciana Katiki, o produto tem como foco a sustentabilidade, por não deixar resíduos no ambiente. “O projeto é muito positivo, pois com esse trabalho de parceria priorizamos o desenvolvimento de um produto que seja usufruído de imediato pelos produtores, beneficiando, principalmente, os animais, por ser natural e com baixa toxicidade”, explica.

Para a pesquisadora do IZ, Cecília José Veríssimo, o carrapato do boi (Rhipicephalus microplus) traz grandes prejuízos à pecuária nacional, estimados em mais de US$ 3 bilhões por ano. O produto natural será uma opção importante aos produtores rurais de todo o país.

O projeto mostra a importância de se desenvolver trabalhos em parcerias público-privada, que resultam em inovações para o setor de produção. “O novo produto pode revolucionar a pecuária brasileira, agregando valor ao setor produtivo, à pesquisa e à empresa parceira”, disse.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998