CONECTE CONOSCO

Susto

Erick Jacquin agradece polícia após prisão de babá por furto

Publicado em



Erick Jacquin, jurado do MasterChef Brasil e apresentador do Pesadelo na Cozinha, da Band, agradeceu à Polícia Civil do Estado de São Paulo após a prisão de uma mulher que trabalhava como babá de seus filhos em sua casa, realizada no último domingo, 3.

“Obrigado pelo trabalho eficiente da polícia no caso da suposta babá que cuidava dos nossos bebês”, escreveu Jacquin em seu Instagram nesta segunda-feira, 4.

De acordo com informações da Polícia Civil, a babá utilizava o nome de uma irmã para acobertar seus antecedentes criminais e em seu celular foram encontradas fotos da casa de Erick Jacquin e sua esposa, Rosângela, além de pertences do casal, como um relógio e uma bolsa de luxo.

A mulher confessou que vendeu o relógio furtado na última sexta-feira, 1º, para um receptador de 65 anos que foi preso no centro de São Paulo. No imóvel do homem, foram localizados mais de 40 relógios de luxo, entre eles, o de Jacquin.

A prisão foi feita por policiais civis do 78º Distrito Policial, localizado no Jardins, por furto e por uso de documento falso.

A polícia chegou à babá após o delegado responsável ter recebido informações privilegiadas a respeito de uma funcionária que vinha cometendo furtos nas regiões do Jardins e Higienópolis.

Não é a primeira vez que Erick Jacquin é vítima de um crime no Brasil. O cozinheiro também já falou publicamente sobre o fato de ter sofrido um sequestro.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
IstoÉ
Anunciante

SAÚDE

Ouvido coçando? Confira causas e tratamentos para o sintoma

Falta de cera, dermatite, infecções e até psoríase podem ser responsáveis pelo incômodo no canal auditivo

Publicado em

Muito comum, a coceira no ouvido é algo bastante incômodo e, apesar de normalmente ser resolvida de maneira simples, é preciso definir exatamente qual a razão para iniciar o tratamento adequado. Enfiar um cotonete ou grampo de cabelo para coçar não é uma boa ideia: além de piorar o problema, a ação pode machucar o canal auditivo.

Normalmente, o tratamento passa pela aplicação de um medicamento ou pela suspensão de algum hábito. Confira, abaixo, algumas razões para a coceira:

1. Pele seca
Quando o ouvido não produz cera suficiente – a substância tem propriedades lubrificantes, a pele pode ficar seca e provocar coceira e descamação.

2. Dermatite do canal auditivo
A dermatite é uma reação alérgica da pele que gera sintomas como vermelhidão, coceira e descamação, costuma ser causada pelo contato com alguma substância ou objeto que cause alergia.

3. Otite externa
A otite externa é uma infecção de ouvido que causa dor, coceira, febre, vermelhidão, inchaço e secreções esbranquiçadas ou amareladas. Em casos mais graves, a otite pode levar à perfuração do tímpano.

4. Psoríase
A psoríase é uma doença autoimune de pele que não tem cura e causa sintomas como manchas vermelhas, escamas secas, pele ressecada e rachada e, consequentemente, coceira e dor.

5. Uso de aparelho auditivo
O uso de aparelho auditivo pode levar ao acúmulo de água presa no ouvido, agredir a pele, causar pressão no canal auditivo ou mesmo provocar reações alérgicas.

6. Uso de objetos no canal auditivo
O uso de objetos que agridam o canal auditivo como cotonetes e grampos pode causar coceira e provocar danos graves no ouvido. Por isso, esses objetos devem ser evitados ou substituídos no caso de irritação.

Quando ir ao médico

A maior parte dos problemas que causam coceira no ouvido pode ser resolvida sem tratamento específico. No entanto, se ocorrerem sintomas como sangramento, liberação de líquido, perda da audição ou da capacidade auditiva, deve-se ir ao médico para um diagnóstico.

O médico deve avaliar os sinais e os sintomas associados à coceira para avaliar se há produção excessiva ou insuficiente de cera ou problemas como eczema, psoríase e infecção.

Como é feito o tratamento

O tratamento depende do fator que provoca a coceira no ouvido, por isso, em casos em que a pele está seca ou em que a produção de cera é insuficiente, é recomendável o uso de soluções lubrificantes.

Em casos de alergias, pode-se tomar anti-histamínicos ou/e usar pomadas com corticoide. Na presença de infecções, pode ser necessário o uso de antibióticos em gotas ou pomadas.

Além disso, devem-se tomar medidas preventivas como moderar a utilização de cotonetes no ouvido e evitar a grampos, joias que não sejam hipoalergênicas e, em casos de banhos frequentes de piscinas, deve-se proteger o ouvido com tampões próprios ou usar soluções que ajudem a secar o excesso de água do canal auditivo.

O que pode ser coceira no ouvido e na garganta

Se a coceira acontecer no ouvido e na garganta ao mesmo tempo, pode ser sinal de alguma alergia, como rinite alérgica, alergia a algum medicamento ou produto, ou mesmo alergia alimentar.

Além disso, a coceira também pode ser provocada por um resfriado, podendo ser acompanhada por corrimento nasal, tosse e dor de cabeça. (Com informações do portal Tua Saúde)

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Alagoas

Fábrica volta a produzir único biscoito que menino autista gosta de comer

Publicado em

A direção de uma fábrica de massas se sensibilizou com o pedido da mãe de um menino autista e voltou a produzir o Treloso, um biscoito amanteigado de chocolate que é a única opção de lanche consumida por Davi, 10 anos.

Além de ser autista, Davi é muito seletivo para comer. Ele normalmente ignora alimentos convencionais e doces. Mas o menino experimentou e gostou do biscoito da Treloso e passou a consumir todo dia nos lanches da tarde e da noite.

Porém, ultimamente, a mãe de Davi, Adriana Paixão, notou que a bolacha havia sofrido mudanças na receita e o filho, que também percebeu, passou a rejeitá-la.

“Compramos o biscoito e a produção estava diferente. O biscoito estava com furinhos. Não seria defeito, era mudança na fabricação mesmo. Fomos em três supermercados e todos estavam assim. Resumindo: Davi estava sem lanche”, contou a mãe.

A dona de casa de Alagoas, que tinha um pequeno estoque do produto, fez um apelo à Vitarella, produtora do biscoito, para voltar à receita antiga.

Ela entrou em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor da fábrica, contou o problema e ficou surpresa com a resposta da empresa.

A resposta

A empresa admitiu que houve mudanças no processo produtivo, mas que devido ao contato da dona de casa, retornaria à produção antiga de imediato.

A Vitarella também mandou um kit com vários biscoitos de brinde para Davi.

“Pense numa mamãe feliz. Não foi nem o fato deles (a empresa) terem mandado pra mim uma caixa, foi a importância de mudarem a produção por causa dele (do Davi). Isso foi demais pra mim”, comemorou Adriana.

Ela disse que a mudança é vital para o funcionamento da rotina da família porque o produto traz bem-estar para o menino.

“Lutamos diariamente para que sejam inseridos outros alimentos na dieta do Davi. Estamos aos poucos conseguindo. Mas, o lanche ainda precisa ser esse. Portanto, quando alguém se importa com uma dor que não é sua, esse alguém faz muita diferença na vida da gente”, concluiu.

Com informações do TNH1 e RPA

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998