CONECTE CONOSCO

justiça

Empresário que provocou acidente com morte ao dirigir Mustang em alta velocidade é condenado a três anos de prestação de serviços

Publicado em



O empresário Luciano Justo, de Birigui, foi condenado a três anos em regime aberto por homicídio culposo na direção de veículo automotor, por conduzir um Mustang em alta velocidade e bater no carro do comerciante Alcides José Domingues, 69 anos, que morreu na hora. O caso aconteceu em março de 2016, na avenida Brasília. O Ministério Público vai recorrer da decisão.

No mesmo processo, Justo foi absolvido da acusação de ter retirado o aparelho que aumentava a potência do carro. Os outros três réus, acusados de adulterarem a prova do crime, também foram absolvidos.

Luciano Justo teve a pena convertida em prestação de serviço por três ano mais o pagamento de três salários-mínimos

A pena de Justo, de três anos em regime aberto, foi convertida por pena de prestação de serviço pelo mesmo tempo mais um ano de pena pecuniária de três salários-mínimos e três meses sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O ACIDENTE

O empresário Luciano Justo dirigia um Mustang pela avenida Brasília, quando atingiu o carro que cruzava a via, conduzido pelo comerciante Alcides José Domingues.

O impacto da batida foi tão forte que o carro da vítima foi jogado no canteiro central da avenida. Após a batida, o Mustang ainda bateu em um poste.

Segundo a Polícia Civil, a perícia apontou que o empresário estava a pelo menos 140 km/h. A via permite velocidade máxima de 60 km/h. Na denúncia do Ministério Público, consta que ele tinha bebido antes do acidente.

Nas imagens das câmeras de segurança de um posto de combustível é possível ver o carro esportivo passando pela avenida em alta velocidade e o momento da batida.

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Anunciante
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
  83