CONECTE CONOSCO

Outubro Rosa

Projeto oferece tatuagem de aréola em mulheres que tiraram a mama

Publicado em



Mulheres que passaram por mastectomia (retirada do seio em função de câncer) podem se inscrever para fazer gratuitamente a reconstrução da aréola, ou mamilo, com tatuagem, dentro do projeto Y Rosa.

Idealizado por Yurgan Barrett e equipe, o projeto volta ao Rio de Janeiro este mês, depois de uma experiência em Florianópolis (SC) no meio do ano, contabilizando nas três primeiras edições mais de 50 mulheres atendidas.

São 30 vagas disponíveis e as inscrições podem ser feitas no Instagram do tatuador Yurgan Barret (@yurganbarret) até o dia 25 de outubro, mas a equipe alerta que quanto antes as interessadas entrarem em contato, maiores as chances de serem atendidas na ação.

Barret disse à Agência Brasil que muitas mulheres não procuram o serviço porque acham que será pago, ou por terem vergonha de lidar com a mastectomia. Outras ainda por desconhecerem o serviço de redesenho de aréolas de mulheres mastectomizadas.

A 4ª edição do Y Rosa está programada para os próximos dias 25 e 26, no Yurgan Tattoo Studio, localizado no Shopping Barra World, Avenida Alfredo Balthazar da Silveira, 580, Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da capital fluminense.

Procedimento

Na primeira parte do projeto social, Barret conversa com as candidatas à tatuagem sobre a cirurgia que fizeram. “Quando a gente acaba o procedimento (tatuagem), elas ficam muito felizes, porque, de certa forma, falta uma parte para completar tudo. A autoestima fica bem baixa. E a ideia da gente é aumentar o máximo possível a autoestima dessas mulheres”, manifestou.

Com esse propósito, além de oferecer gratuitamente a reconstrução de aréola para pacientes mastectomizadas, o Y Rosa conta este ano com novos serviços, como maquiagem definitiva, que inclui sobrancelha fio a fio, e palestras conduzidas pelo Instituto Vamos Viver.

Zelia Souza fez a tatuagem com Barret no ano passado, depois de retirar o seio esquerdo devido ao câncer em dezembro de 2015. “Adorei. Foi muito bom. Eu não gostava nem de olhar para a minha mama. É como se não fosse uma mama.

Com o trabalho que o Yurgan fez, deu outra vida. A gente se sente mais feminina. Eu já tinha visto esse trabalho na internet e estava louca para fazer, mas não tinha dinheiro”.

Zelia viu a noticia do projeto Y Rosa no grupo de ‘whatsapp’ e resolveu ligar. Ao se certificar que o serviço era gratuito, agendou hora com o tatuador. “Fiquei muito feliz. É um projeto muito legal”.

Método

O método utilizado é o mesmo da tatuagem artística e busca fazer um desenho realista do mamilo, sendo indicado para mulheres que já fizeram a reconstrução da mama e têm autorização médica para tatuar a área.

“Acho que sair com a maquiagem, a reconstrução da aréola e tudo o mais ajuda muito na autoestima. Deixa elas mais felizes”, afirmou Barret.

O tatuador garantiu que as mulheres não sentem dor para fazer a tatuagem de mamilo, porque o procedimento é feito com anestésico próprio para esse serviço.

Yurgan Barret pretende conseguir apoio para levar o projeto para outras cidades e em outros períodos do ano. “A ideia não é estar fazendo isso só no Outubro Rosa, mas onde der”, afirmou. Uma das próximas cidades a receber o serviço deverá ser a capital São Paulo.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Agência Brasil
Anunciante

Estado de SP

Prevenção e conscientização são aliados na luta contra o câncer de mama

Publicado em

Neste mês de Outubro, o Governo do Estado de São Paulo amplia suas ações para alertar as mulheres para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Durante o Outubro Rosa, como é chamada a campanha mundial de conscientização, diversas unidades da Secretaria da Saúde montaram uma programação especial sobre o tema em todo o Estado.

O médico chefe do Serviço de Mastologia do Instituto do Câncer de São Paulo, José Roberto Filassi, afirma que o diagnóstico precoce favorece o tratamento, possibilitando métodos menos invasivos. “O câncer de mama é a multiplicação incontrolável de células anormais, podendo ter origem por alterações genéticas (adquiridas ou hereditárias) e boa parte dos diagnósticos tem evolução favorável se tratados em tempo adequado”, diz Filassi.

Mas mesmo quem não tem histórico familiar deve ficar atenta. A apresentadora de TV Sabrina Parlatore, por exemplo, não tinha casos da doença na família e aos 40 anos foi diagnosticada com câncer de mama, em 2015. Ela notou um nódulo e fez exames de rotina.

Confirmado o diagnóstico, Sabrina foi submetida a uma cirurgia para a retirada do tumor (quadrantectomia – procedimento que retira o tumor e um pouco da mama em volta dele), além de 16 sessões de quimioterapia e 33 sessões de radioterapia.

“São 60 mil novos casos de câncer de mama todos os anos no Brasil. Então é muito importante que a mulher esteja atenta. Muitas me procuram já diagnosticadas e o legal é que elas vêem em mim uma esperança, porque elas me vendo hoje tendo superado a doença, tendo superado o tratamento e estando super bem, isso é uma força muito grande para quem ainda vai enfrentar o tratamento”, conta a apresentadora.

Sabrina alerta também para a importância da prevenção. “É fundamental que a mulher faça seus exames de rotina. Tem sempre um exame adequado à faixa etária. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda fazer a mamografia a partir dos 40 anos. E antes disso o ultrassom de mama também é muito recomendável porque é a melhor forma de prevenção”, lembra Sabrina.

“Importante é não ficar se lamentando porque isso pode acontecer com qualquer pessoa. Focar na solução, visualizar o final do tratamento, você já bem, curada, porque o pensamento positivo num momento desse ajuda muito”, reforça a apresentadora.

Ações do Outubro Rosa

A rede estadual de Saúde conta com importantes hospitais considerados referência no diagnóstico e tratamento do câncer de mama, como o Pérola Byington e o Instituto do Câncer de São Paulo. No mês de outubro, eles estão oferecendo programações especiais de conscientização e prevenção da doença.

“As ações em celebração ao ‘Outubro Rosa’, tem como objetivo, principalmente, chamar a atenção sobre a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

No Pérola Byington, até 31 de outubro, haverá oficina de maquiagem e beleza, distribuição de kits de beleza, lenços e brindes. Durante o mês de conscientização, a Clínica Physioway e a estética Onodera destinarão parte da verba arrecadada em atendimentos de fisioterapia na saúde da mulher e massagens onopower ao Centro de Estudos e Pesquisa do Pérola.

Há também ações, como oferta ampliada de exames e palestras, em unidades de saúde da Grande São Paulo e do interior. Para saber mais sobre essas e outras ações pelo Outubro Rosa, acesse a página especial da Secretaria da Saúde.

Carreta “Mulheres de Peito”

Durante todo o ano, a Secretaria da Saúde oferece exames em regiões diversas do Estado por meio das carretas do Programa “Mulheres de Peito”, serviço-móvel que oferece mamografias gratuitas, sem necessidade de pedido médico, para mulheres entre 50 e 69 anos de idade. Neste momento, há carretas em São José dos Campos, Presidente Prudente, Bauru e Cotia.

As imagens captadas pelos mamógrafos são encaminhadas para o Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem (Sedi), serviço da Secretaria que emite laudos à distância, na capital paulista. Desde 2014, já foram realizadas 212 mil exames de mamografia.

“O exame salva vidas. A mamografia faz uma detecção precoce, o que não impede que o câncer apareça, mas a descoberta num estágio inicial impede que ele evolua”, explica a supervisora do Mulheres de Peito, Fabiana Angélica de Oliveira.

O programa também tem o telefone 0800 779 0000 para o agendamento de exames de mamografias. Nesse caso, o exame é feito num dos mais de 200 serviços de mamografia fixos, como AMEs, hospitais e clínicas.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

NÚMEROS

Com Previdência, Bolsa bate recorde e passa dos 107 mil pontos

A expectativa pela Previdência teve um segundo resultado positivo: fez o dólar recuar. A moeda norte-americana caiu 1,33%, a R$ 4,0755

Publicado em

NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO

Com a expectativa de aprovação da reforma da Previdência no Senado, o principal índice da bolsa de valores, a B3, fechou em alta nesta terça-feira (22/10/2019), renovando o patamar recorde.

O Ibovespa subiu 1,28% e bateu 107.381 pontos. Na máxima da sessão, chegou a 107.421 pontos.

A expectativa pela Previdência teve um segundo resultado positivo: fez o dólar recuar. A moeda norte-americana caiu 1,33%, a R$ 4,0755.

Previdência

No final da manhã, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre a Previdência.

No início da noite, a proposta de emenda à Constituição (PEC) foi ao plenário, para votação em segundo turno. A expectativa é que o texto seja aprovado, apesar de o governo temer novos cortes na economia projetada para o espaço de 10 anos.

A reforma da Previdência é considerada o principal passo para ajuste nas contas públicas, sobretudo no médio e longo prazo. A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, projetou, inicialmente, uma economia de R$ 1 trilhão em 10 anos. No Senado, porém, esse volume caiu para R$ 800 bilhões, considerado o limite mínimo.

O cenário internacional também contribuiu para o desempenho do Ibovespa. Segundo a Reuters, ajudou a declaração do vice-ministro das Relações Exteriores chinês de algum progresso nas negociações comerciais entre EUA e China, e que qualquer problema pode ser resolvido desde que um lado respeite o outro.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
80