CONECTE CONOSCO

educação

Enem deverá custar R$ 105, 52 por participante, estima Inep

Provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro

Publicado em



O Exame Nacional do Ensino Médio 2019 (Enem 2019) deverá custar aproximadamente R$ 537,7 milhões, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o que equivale a R$ 105,52 por participante.

A expectativa é que os gastos fiquem ligeiramente abaixo do exame do ano passado, que, segundo o Inep, custou R$ 106,13 por estudante, totalizando R$ 589,8 milhões. O valor corresponde aos gastos desde a elaboração do exame até a impressão, distribuição e correção das provas.

Dos R$ 537,7 mulhões, segundo a autarquia, R$ 179,7 milhões, o equivalente a cerca de um terço, vem do pagamento das inscrições. O restante é pago pela governo. As inscrições custaram R$ 85 a cada participantes. Cerca de 2,1 milhões de estudantes pagaram a taxa. Os demais tiveram isenção por atenderem aos critérios estabelecidos pelo Inep.

Segundo o presidente do Inep, Alexandre Ribeiro Lopes, o valor ainda pode mudar. “Em função da abstenção, pode até baixar. Mas pode acontecer [de aumentar], se tivermos que fazer um número de reaplicações maior que o normal, teremos que imprimir mais provas”, explicou.

Estudantes que forem impedidos de fazer a prova por conta de problemas como falta de luz, alagamentos, entre outros, têm direito à reaplicação do exame.

Ao todo, cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no Enem deste ano, que será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. As notas do Enem podem ser usadas para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, para concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Enem digital

O governo aposta no Enem digital, que começará a ser testado em 2020, para redução dos custos de aplicação da prova. Este ano será o último de aplicação do Enem exclusivamente impresso.

De acordo com Lopes, o Enem digital poderá reduzir o número de estudantes que se inscrevem e faltam à prova. Segundo ele, muitas das abstenções são de estudantes que fazem a prova em locais distantes de onde moram.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Agência Brasil
Anunciante

POLÍTICA

Doria diz que não apoia Joice à prefeitura de São Paulo

Publicado em

Ogovernador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que mantém boa relação com a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-líder do governo no Congresso, mas que não a apoiará na eleição para Prefeitura de São Paulo em 2020. “Meu candidato é Bruno Covas”, disse Doria.

“Joice tem todo o direito de disputar a eleição. Não pelo PSDB, obviamente, porque já temos candidato. Ela engrandece o debate eleitoral, ao meu ver”, declarou o governador, após reunião com o presidente em exercício, Hamilton Mourão. “Ela tem maturidade para encontrar seu destino”, complementou.

Doria se esquivou em relação às discussões sobre 2022. Para o tucano, “não é hora de debater eleição”. “Teremos três anos e meio ainda. Precisamos estar concentrados na gestão”, disse.

O governador disse que pretende manter boa relação com o governo federal. “E relação respeitosa com o presidente Bolsonaro”, disse. “Procuro praticar política de bom nível. Não é política do ódio nem separatista. Você pode ter boas relações, ainda que tenha posições distintas ou até disputa eleitoral.”

O governador de São Paulo disse que não há articulação do ex-governador Geraldo Alckmin, quarto colocado na corrida presidencial do ano passado, para disputa ao governo de São Paulo em 2022.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

tragédia

Morre piloto de avião que caiu em Belo Horizonte

Publicado em

O piloto do monomotor que caiu em um bairro residencial de Belo Horizonte (MG) na manhã desta segunda-feira (21) morreu na tarde de hoje (22). Allan Duarte de Jesus Silva, 29 anos, estava internado no Hospital João XIII.

Com queimaduras por todo o corpo e quadro clínico considerado gravíssimo, Allan chegou a ser submetido a uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Outras duas vítimas da queda do avião continuam internadas no mesmo hospital. Apontado como dono do Cirrus SR20 prefixo PR-ETJ, o empresário Srrael Campras dos Santos, de 33 anos, segue na UTI. Embora o caso seja considerado grave, seu quadro clínico é considerado estável.

O terceiro ferido é o militar Thiago Funghi Alberto Torres, 32 anos. Esta manhã, ele foi transferido para o CTI da Unidade de Tratamento de Queimados, com o quadro grave, mas estável. Segundo a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Torres deve passar por uma nova cirurgia ainda esta semana.

De acordo com a Fhemig, Santos teve 32% da área corporal queimada (ao contrário das primeiras informações fornecidas por pessoas próximas à família da vítima). Já Torres sofreu queimaduras graves em 55% da área corporal.

Queda
A aeronave caiu em uma área residencial do bairro Caiçara, na região Noroeste da capital mineira, perto das 9h de ontem (21). Na queda, o monomotor atingiu carros estacionados na rua, matando Hugo Fonseca da Silva, 38 anos; Pedro Antônio Barbosa, 54 anos, e Paulo Jorge de Almeida, 61. Hugo estava a bordo do avião e os outros dois foram atingidos em solo.

Fabricado em 2007, o Cirrus SR20 prefixo PR-ETJ foi adquirido em julho deste ano por Srrael Campras dos Santos. Até então, a aeronave pertencia à empresa Helicon Táxi Aéreo, sediada em Colombo, no Paraná, cujos representantes informaram à Agência Brasil que o monomotor estava em condições regulares de uso. De acordo com informações do cadastro da aeronave no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o avião estava em situação de aeronavegabilidade normal, embora um pedido para que fosse utilizado no serviço de táxi-aéreo tenha sido negado.

Este foi o segundo acidente do tipo registrado este ano no bairro Caiçara. Em abril, um monomotor modelo Socata ST-10 Diplomate caiu sobre a rua Minerva, matando o piloto, o médico Francisco Fabiano Gontijo, 47 anos, e um instrutor de voo.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
82