CONECTE CONOSCO

TECNOLOGIA

Este dispositivo ouve a voz que fala dentro da sua cabeça

Não é preciso vocalizar as palavras para que o AlterEgo entenda o que você quer dizer — basta pensar.

Publicado em

(MIT Media Lab/Divulgação)


Quem nunca se pegou repassando mentalmente os produtos que precisa comprar quando está a caminho do supermercado? E, mesmo tendo repetido cada item da lista incontáveis vezes, na hora de guardar as compras em casa, viu que faltou alguma coisa. É bem normal: nossa memória não é muito confiável. Mas e se a inteligência artificial pudesse ajudar? Com isso em mente, um jovem prodígio da tecnologia está desenvolvendo um projeto promissor.

O aparelho ganhou o nome de uma famosa expressão latina, AlterEgo — que pode ser compreendida como “o outro eu”. É um dispositivo wearable que fica sustentado atrás da orelha e passa por baixo do maxilar e da boca. Basicamente, ele consegue entender a voz que fala com você dentro da sua cabeça, sem ter de vocalizar uma única palavra.

É que, quando pensamos em falar, o cérebro envia sinais neuromusculares até as cordas vocais. Esses estímulos imperceptíveis passam pela musculatura da garganta e da língua. E aqui entra o AlterEgo: seus sensores captam esses impulsos e os submetem ao crivo de uma inteligência artificial. É o robô quem decodifica os sinais e os transforma em palavras.

Dá até para conversar silenciosamente com a IA, já que ela é capaz de formular respostas e propagar os sons por dentro do seu crânio através de um sistema de som embutido. Ninguém em volta ouve nada — só você e o seu AlterEgo. Voltando ao exemplo da lista de compras, o dispositivo poderia gravar os itens enquanto eram repassados mentalmente e, uma vez no mercado, ele leria tudo para você não esquecer de nada.

Em tese, o sistema permitiria enviar mensagens de texto com o pensamento, falar por “telepatia” com assistentes virtuais. Além disso, seria especialmente valioso a quem tem capacidades motoras e cognitivas reduzidas.

Pacientes como o falecido Stephen Hawking, que vivia com esclerose lateral amiotrófica, poderiam se expressar muito mais depressa do que com técnica do rastreamento de olhar — o cérebro deles continua emitindo estímulos neuromusculares. E sim, o gadget também tem um alto falante que permite vocalizar a voz interior através de fala computadorizada. De tão promissora, a tecnologia foi premiada pelo MIT, nos Estados Unidos.

Seu criador, Arnav Kapur, pesquisador de interfaces fluidas do MIT Media Lab, ganhou do instituto um prêmio de US$ 15 mil. Kapur, que cresceu em Nova Delhi, na Índia, já esteve envolvido em uma série de projetos impressionantes antes do AlterEgo. Ele ajudou a construir um rover lunar, um drone fabricável por impressoras 3D e uma técnica de áudio para narrar o mundo a quem tem problemas de visão. E tem só 24 anos.

Por enquanto, a equipe está otimizando o hardware e refinando a inteligência artificial. Mas a ideia é lançar o produto no mercado — Kapur já solicitou o registro da patente. Testes conduzidos em hospitais e centros de reabilitação em Boston apontam uma eficácia de 92%. Ou seja, de cada dez palavras, o sistema já entenderia nove.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte: SUPER INTERESSANTE
Anunciante

intimidade

Entenda por qual motivo (bizarro) o sexo oral pode matar

Muitas mulheres adoram receber sexo oral do seu parceiro. Mas sim, leu bem… em casos raros a prática pode ser fatal

Publicado em

Há quem não aprecie fazer sexo oral e outras reclamam dos homens que não sabem ou se negam fazê-lo. Porém, o que poucos sabem é que o sexo oral pode ser letal.

Lindsey Doe, médica e sexóloga, explica, no seu canal do YouTube, que o sexo oral pode em casos mais extremos ser perigoso e fatal para as mulheres…

Segundo a especialista, durante a relação, a prática pode resultar na ocorrência de uma embolia.

De acordo com Doe, tudo depende da posição em que é realizado o sexo oral. O ar introduzido na vagina pode não sair e provocar uma embolia gasosa – quando o ar vai para corrente sanguínea e gera bolhas que obstruem os vasos.

Cenário esse que pode matar uma pessoa em cerca de 30 minutos. Há agravantes se a mulher sofrer de patologias cardíacas ou pulmonares. Os principais sintomas incluem dores no peito, falta de ar, tonturas e até desmaio.

Já sabe desfrute… mas com cautela!

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Famosos

Anitta fala sobre bissexualidade e diz que Pabllo Vittar canta muito melhor que ela

Publicado em

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Mesmo brigadas, Anitta, 26, não deixou de elogiar Pabllo Vittar, 24. A brasileira deu entrevista para a revista britânica Dazed e disse que a drag queen dança muito bem e canta melhor que ela.

“Eu a convidei [referindo-se a faixa “Sua Cara” (2017)] para mostrar às pessoas: ela canta bem demais – melhor que eu, na verdade -, ela dança, é super legal, é linda e é uma drag queen e merece respeito”, disse a namorada do surfista Pedro Scooby, 31.

O artigo, que busca mostrar argumentos e o caminho traçado por Anitta que a fizeram se tornar a “maior estrela da música pop brasileira”, aborda ainda a vida pessoal e a sexualidade da dona de “Vai Malandra” (2018).

A cantora afirma que todo o seu trabalho é feito para que as pessoas se divirtam e pensem sobre todos os assuntos. Então, agregar para suas músicas, uma representação muito forte da comunidade LGBT, como uma drag queen, é muito importante para o seu trabalho, mesmo ela já fazendo parte dessa comunidade.

“Meu lance não é apenas fazer música para as pessoas se divertirem e dançarem. Eu gosto de fazer as pessoas discutirem as coisas e pensarem diferente. Eu tenho um grande público LGBT, e eu sou bissexual – mas quando você me vê, se eu não disser que sou bissexual, eu não tenho a representação física da comunidade LGBT”, disse a carioca.

“É diferente quando você é uma drag queen. Eles não são tratados com seriedade ou como pessoas talentosas. Então, quando convidei Pabllo para “Sua Cara” e a ideia era educar as pessoas sem que elas sentissem que estavam sendo educadas. Foi super indireto”, finalizou a cantora, referindo-se a faixa que gravou ao lado de Pabllo e o produtor Diplo, 40.

ENTENDA A BRIGA

Anitta e Pabllo Vittar lançaram “Sua Cara” ao lado de Diplo em 2017. A briga entre elas surgiu depois do clipe desta faixa, em que Anitta acusa Pabllo de não ter pago nenhuma parte da produção audiovisual que foi gravada em Marrocos.

Em setembro de 2018, áudios de Anitta sobre os custos do clipe “Sua Cara” (gravado com Pabllo Vittar e Major Lazer) foram divulgados pelo jornalista Leo Dias e levantaram a questão de que a cantora teria pago sozinha todas as despesas da produção, num total de US$ 70 mil (cerca de R$ 250 mil).

Após a gravação, Pabllo teria pedido um cachê alto para participar de uma edição da festa Combatchy, criada pela própria Anitta, o que teria gerado a resposta em áudio.

“O jato era caríssimo, o clipe eu tava pagando sozinha, muito pão dura, entendi. Pão dura ia ser, se eu pegasse e falasse assim: ‘Não, eu não vou pagar clipe nenhum, faz de qualquer jeito’. Agora o clipe caro pra cacete, US$ 70 mil.

US$ 70 mil, amor! Sou pão dura? Para ficar pagando jato pra galera ir com a bunda no sol? Não preciso meu filho! Sou de Honório Gurgel, meu filho. Passei muito perrengue na minha vida”, dizia ela no áudio.

Desde então, as duas quase não tocaram no assunto, mas Vittar chegou a dizer que não tinha raiva de Anitta, apesar de elas não se falarem nem serem amigas.

“Eu não desejo nenhum mal para ela. Sempre acompanho os lançamentos dela. Mandei mensagem para ela no final de ano, desejando um ótimo ano, que Deus abençoe sempre ela. Sou muito grata por tudo que ela fez por mim, apesar de tanta fuxicada”, disse em uma entrevista à rádio O Dia.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

NEGÓCIOS

Huck fala sobre jatinho de R$ 18 milhões financiado pelo BNDES

O apresentador comentou sobre a polêmica lista divulgada pelo banco sobre compra de jatinhos

Publicado em

© Divulgação

Recentemente o apresentador Luciano Huck se envolveu em uma polêmica com o presidente Jair Bolsonaro, após fazer críticas ao governo. O político não gostou e decidiu atacar o contratado da Globo citando que o artista comprou um jatinho financiado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Dias depois da polêmica, o banco decidiu divulgar uma lista com os nomes dos clientes que pediram financiamentos no banco e o nome de Huck estava entre os que tinham pedido o empréstimo.

Agora, após a repercussão do caso, o apresentador decidiu comentar o assunto. Em entrevista para a colunista Fábia Oliveira, do jornal ‘O Dia’, o apresentador contou que houve aquisição da aeronave por parte de sua empresa, mas todo o procedimento foi como manda a lei.

“A empresa Brisair, da qual sou sócio, comprou um avião produzido pela Embraer. Para tanto, fizemos um empréstimo transparente, pago até o fim, sem atraso. Tudo como manda a lei. O BNDES FINAME é um tipo de financiamento bancário concebido para favorecer a indústria nacional, abrindo-lhe condições de competir em pé de igualdade com produtores estrangeiros”, contou enfatizando que ele é sócio da empresa.

Huck ainda lembrou que a operação financeira tem o objetivo de estimular a economia. “Milhares de operações financeiras como esta foram realizadas com único objetivo de estimular a produção, a aquisição e a comercialização de bens, máquinas e equipamentos produzidos no Brasil. A compra e o financiamento da aeronave foi feita por meio de um contrato absolutamente legal, sem vício, vantagem ou privilégio. Nada além disso”, afirmou o apresentador.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
81