CONECTE CONOSCO

intimidade

Entenda por qual motivo (bizarro) o sexo oral pode matar

Muitas mulheres adoram receber sexo oral do seu parceiro. Mas sim, leu bem… em casos raros a prática pode ser fatal

Publicado em



Há quem não aprecie fazer sexo oral e outras reclamam dos homens que não sabem ou se negam fazê-lo. Porém, o que poucos sabem é que o sexo oral pode ser letal.

Lindsey Doe, médica e sexóloga, explica, no seu canal do YouTube, que o sexo oral pode em casos mais extremos ser perigoso e fatal para as mulheres…

Segundo a especialista, durante a relação, a prática pode resultar na ocorrência de uma embolia.

De acordo com Doe, tudo depende da posição em que é realizado o sexo oral. O ar introduzido na vagina pode não sair e provocar uma embolia gasosa – quando o ar vai para corrente sanguínea e gera bolhas que obstruem os vasos.

Cenário esse que pode matar uma pessoa em cerca de 30 minutos. Há agravantes se a mulher sofrer de patologias cardíacas ou pulmonares. Os principais sintomas incluem dores no peito, falta de ar, tonturas e até desmaio.

Já sabe desfrute… mas com cautela!

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte: LIFESTYLE/ Notícias ao Minuto
Anunciante

CULTURA

Museus do Folclore e Histórico de Penápolis participam da 13ª Primavera dos Museus

Publicado em

Museu do Folclore promoverá visitas mediadas a partir das rotinas de conservação em sua reserva técnica - Foto: Divulgação

O Museu Municipal do Folclore e o Museu Histórico e Pedagógico Memorialista Gláucia Maria de Castilho Muçouçah Brandão, em Penápolis, participam, de 23 a 29 de setembro, da 13ª Primavera dos Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram),

Esta edição tem como tema “Museus por dentro, por dentro dos museus”. A proposta é fortalecer a relação público/museu a partir da ótica da preservação enquanto ato compartilhado entre o cidadão e o seu bem cultural.

Conforme o responsável pelo Museu Municipal do Folclore de Penápolis, Gilson Moreno Soares Azenha, de 24 a 27 de setembro o local promoverá visitas mediadas a partir das rotinas de conservação em sua reserva técnica.

Sobre o Museu Histórico e Pedagógico, a responsável Alessandra Jorge Nadai informou que, no mesmo período, serão oferecidas visitas mediadas, apresentando as engrenagens e rotinas de conservação na sua biblioteca e hemeroteca.

O conteúdo das atividades permite explorar os aspectos do cotidiano museológico aplicados aos diversos métodos aos quais as coleções são submetidas no constante processo de formação, organização, conservação e exposição para interação e fruição pelas pessoas ou grupos sociais.

Ambos os museus estão localizados no Centro Cultural Dr. Bráulio Sammarco (Praça 09 de Julho nº 150, Centro) e funcionam de terça a sexta-feira das 08h às 11h30 e das 13h30 as 16h30.

Os interessados em levar grupos para participar das visitas podem telefonar e agendar os horários. O telefone do Museu do Folclore é o 3652-7715, e do Museu Histórico é 3652-7034.

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Luto

Ator de Barrados no Baile e American Pie morre aos 49 anos

Publicado em

O ator Brian Turk, que fez participações nas séries Barrados no Baile e Carnivale, morreu aos 49 anos na última sexta-feira (13). De acordo com o site USA Today, ele lutava contra um tumor cerebral.

O maior papel recente do ator foi em Carnivale, uma série da HBO sobre um circo itinerante na época da Grande Depressão nos Estados Unidos.

Ele também atuou em séries como Barrados no Baile, ER (Plantão Médico, no Brasil), Buffy, Criminal Minds e Two and a Half Man. No cinema, Turk fez participações em filmes como American Pie, Jurassic Park e AI.

Uma página lançada em julho deste ano informava que Turk tinha diagnosticado o tumor no cérebro há pouco mais de um ano e que a situação era irreversível.

No site, criado por um amigo de infância do ator, pessoas poderiam doar dinheiro para a família de Brian Turk. A página chegou a coletar 28 mil dólares, segundo informações.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Saúde

Os quatro sintomas que você sentirá antes de um ataque cardíaco

Publicado em

Inicialmente pode sofrer aquilo que os médicos chamam de ‘ataque silencioso’.Investigadores da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, afirmam que é comum que ataques cardíacos tenham os seus sintomas não reconhecidos, principalmente quando falamos do ‘ataque silencioso’ – ou enfarte do miocárdio –, que apresenta um risco sério de morte. E, quando o assunto é sobreviver a um ataque cardíaco, há uma forte relação com o tempo que se leva para socorrer a vítima.

Só nos Estados Unidos, estima-se que 200 mil pessoas sofram ataques cardíacos todos os anos sem que se apercebam. Esse tipo silencioso de ataque corresponde a 25% do total de ataques do coração, ou seja: trata-se de realmente um sério problema de saúde.

Nesse sentido o cardiologista Chauncey Crandall elaborou, e partilhou com a revista TIME, algumas dicas para fazer com que, caso venha a passar por essa situação, consiga facilmente reconhecer os sinais e pedir ajuda a tempo.

Crandall explica que o corpo humano avisa dias, semanas e até meses antes de que está prestes a sofrer um ataque cardíaco. O problema é que esses sinais são vagos, silenciosos e podem, inclusive, ser completamente indolores; muitas pessoas nem se apercebem que estão de facto relacionados com o coração.

Sintomas

De acordo com o cardiologista, é necessário estar atento à presença de quatro sinais específicos e não têm nada a ver com o que costuma ver nos filmes, ou seja quando alguém coloca a mão no peito, sente-se mal e cai ao chão; embora esse tipo de ataque exista, é o menos comum.

Crandall explica ainda que a diferença entre um ataque cardíaco e um acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame, é qual artéria é bloqueada: a que irriga o cérebro ou a que irriga o coração.

Como tal deve estar atento aos seguintes sintomas:

Dor no peito: É sem dúvida o sintoma mais comum. É importante, porém, que saiba que existem dois tipos preocupantes de dores no peito: a primeira é aquela que sente por todo o corpo; a segunda, que ocorre apenas nas regiões esquerda e central, podendo percorrer o braço esquerdo. Essa dor pode dar-se de maneiras diferentes: ir e vir várias vezes, com uma dor breve; mais dor e maiores intervalos. O desconforto, menos ou mais intenso, vai existir de qualquer forma.

Falta de ar: Mesmo se não tiver dores no peito, a falta de ar pode ser um forte indicador de ataque cardíaco. Um estudo publicado no Reino Unido indica que, entre as pessoas que sofreram ataques cardíacos, três em cada cinco tinham falta de ar – o que inclui pacientes que não apresentaram dor alguma no peito.

A falta de ar pode aparecer antes ou durante um ataque cardíaco. Na presença desse sintoma, não deixe de procurar um médico.

Indigestão ou azia: Tal ocorre porque o corpo nem sempre sente a dor diretamente. As células nervosas do estômago estão localizadas perto do coração, o que faz com que essas duas situações – azia e ataque cardíaco – possam ser confundidas.

Náuseas e vômitos: Estas duas características são geralmente classificadas como atípicas quando o assunto é ataque cardíaco, mas explica que já percebeu a ocorrência desses sintomas em muitos dos seus pacientes.

É importante entender que, nesse caso, os sinais ocorrem juntamente com outros, e quase nunca sozinhos. É lógico que deve sempre ficar atento antes de entrar em desespero. Na dúvida, consulte um médico para saber como está a saúde do seu coração.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
81