CONECTE CONOSCO

Saúde

Colesterol alto também é coisa de criança. Veja dicas para evitá-lo

Especialistas alertam que, para prevenir problemas, os cuidados com a alimentação devem começar ainda na infância

Publicado em

Igo Estrela / Metrópoles


Embora associado a adultos, o colesterol alto é um problema que pode acometer crianças. Para alertar sobre o assunto, o Departamento Científico de Endocrinologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou cartilha e vídeo voltados para pais e pediatras. De acordo com os documentos, as principais causas de colesterol alto na infância são alimentação rica em gorduras, excesso de peso e sedentarismo.

Histórico familiar e doenças como diabetes, doença renal, artrite idiopática juvenil, obesidade e pressão alta também podem ser causadores do problema. “O colesterol familiar é o maior vilão, porque começa na infância e pode causar infarto precoce. É a chamada hipercolesterolemia familiar”, detalha Crésio Alves, presidente do Departamento Científico de Endocrinologia da SBP.

Se o LDL-colesterol da criança – ou seja, a fração ruim do colesterol no sangue – estiver acima de 130 mg/dl, a indicação é que os pais procurem um pediatra ou endocrinologista o quanto antes. A primeira dosagem deve ser feita entre os 9 e 11 anos de idade.

Para crianças obesas, diabéticas ou com histórico de doença cardíaca ou colesterol alto na família, a aferição precisa ser feita assim que possível. Quando a doença é hereditária, infelizmente fazer dieta não é suficiente. Nesses casos, medicações para controlar as taxas podem ser necessárias para prevenir doenças cardíacas.

Até março deste ano, a alimentação de Felipe Gabriel, 5 anos, era como a de muitas crianças da idade dele: pão de queijo, achocolatados e sucos de caixinha. Um hemograma de rotina, contudo, mudou para sempre a rotina do garoto. “O exame acusou que ele estava com colesterol alto e com o fígado sobrecarregado”, detalha Gabriela Melo, 28, mãe do garoto.

A estudante conta que, após o diagnóstico, o menino teve que dar adeus a guloseimas, como macarrão e fast-food. Além de acrescentar mais frutas e verduras à dieta do filho, Gabriela fez mudanças na rotina para oferecer versões mais saudáveis daquilo que o garoto estava habituado a comer. Ela passou a usar, por exemplo, uma frigideira sem óleo para preparar os alimentos.

“Entrei em choque quando descobri e me senti muito culpada como mãe”, desabafa Gabriela. “Na correria que a gente vive, é mais fácil dar um suco de caixinha do que bater uma polpa. Mas, agora, a minha própria dieta está mais saudável.”

Até a doença ser descoberta, Felipe não apresentava sintoma algum. “Ele é uma criança superativa e esperta, então, nunca percebemos nada.” Agora, o garoto espera o resultado de novos exames, que revelarão se o colesterol alto foi causado por fatores genéticos, hábitos alimentares ou uma combinação dos dois fatores.

Adaptação e vida nova
Cortar bolo, brigadeiro, biscoito e refrigerante da dieta não é uma tarefa fácil (especialmente quando estamos falando de crianças), mas traz recompensas inestimáveis. A cada 40 mg/dL de colesterol LDL reduzido, a chance de morte por infarto diminui 20%, de acordo com dados da SBP.

Brincar com o colesterol nunca é uma boa ideia. Em excesso, ele fica depositado nas paredes das artérias, causando aterosclerose. Quando não controlado, esse processo pode levar a complicações ainda mais sérias, como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC).

Mas como explicar para uma criança que alimentação é coisa séria? Nathália Sarkis, pediatra do Hospital Santa Lúcia e membro titular da SBP, ensina que, primeiro, quem deve aprender é o adulto. Após firmada a parceria entre pais, nutricionistas, pediatras e endocrinologistas, vem o momento de abordar o tema com os pequenos. “Crianças a partir dos 8 anos já conseguem ter uma boa compreensão da situação”, diz a médica. Figuras e vídeos são utilizados para explicar os efeitos do colesterol em excesso, especialmente para pacientes jovens.

Segundo Nathália, a maior resistência à mudança não ocorre por parte das crianças, mas sim dos pais. “Os pais têm muita dificuldade em trocar alimentos industrializados por outros mais saudáveis, por causa da praticidade”, explica a pediatra. “Consumir alimentos naturais exige programação e rotina. Muitas vezes, eles acham que o planejamento de ir ao mercado e cozinhar toma muito tempo.”

Como controlar o colesterol das crianças
Evite:
– Biscoitos recheados, bolo, chocolate, sorvete, hambúrguer, batata frita, refrigerante, frituras e alimentos ultraprocessados em geral;
– Muito tempo em frente a telas (TV, videogame, iPad).

Prefira:
– Verduras, legumes, frutas, peixe, frango, leite, queijo branco.
– Brincadeiras ao ar livre, corridas e esportes.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

Desabafo

Bumbum dá mais audiência do que música, reclama Luísa Sonza

Publicado em

Luísa Sonza resolveu usar suas redes sociais para fazer um desabafo. Ela reclamou que as pessoas tem reparado mais em seu corpo do que em suas músicas. Nos Stories, a cantora pede que seus seguidores ouçam o disco Pandora, que foi lançado em junho deste ano.

“Eu faço um álbum inteiro, vou do gospel ao R&B, ao pop, ao funk, ao brega funk… [a música] ‘Eliane’ é totalmente diferente da ‘Fazendo Assim’ é uma música quase religiosa, com a minha mãe e a minha avó. Tem um milhão de views. Agora coloca um c*: 30 milhões de views”, afirmou.

“Eu levei nove meses para fazer esse álbum diversificado, todas as músicas diferentes, tudo com conceito diferente, uma história para cada música. Aí vem você e diz, ‘as músicas da Luísa são todas iguais’. Ah, não!”, prosseguiu a cantora em seu desabafo.

“Vocês que criticam são viciados em bunda, amam ver uma bunda, amam criticar uma bunda, tentam diminuir uma pessoa por causa da bunda. Mas é só colocar uma bunda na frente que a galera hipnotiza. (…) Pode lançar um clipe com a mãe e a avó que vocês só vão ver bunda”, seguiu.

“Não vamos focar tanto na bunda que a gente consegue se conhecer melhor. Tenho certeza de que vocês vão gostar de uma música ao menos”, finalizou Sonza.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

intimidade

Entenda por qual motivo (bizarro) o sexo oral pode matar

Muitas mulheres adoram receber sexo oral do seu parceiro. Mas sim, leu bem… em casos raros a prática pode ser fatal

Publicado em

Há quem não aprecie fazer sexo oral e outras reclamam dos homens que não sabem ou se negam fazê-lo. Porém, o que poucos sabem é que o sexo oral pode ser letal.

Lindsey Doe, médica e sexóloga, explica, no seu canal do YouTube, que o sexo oral pode em casos mais extremos ser perigoso e fatal para as mulheres…

Segundo a especialista, durante a relação, a prática pode resultar na ocorrência de uma embolia.

De acordo com Doe, tudo depende da posição em que é realizado o sexo oral. O ar introduzido na vagina pode não sair e provocar uma embolia gasosa – quando o ar vai para corrente sanguínea e gera bolhas que obstruem os vasos.

Cenário esse que pode matar uma pessoa em cerca de 30 minutos. Há agravantes se a mulher sofrer de patologias cardíacas ou pulmonares. Os principais sintomas incluem dores no peito, falta de ar, tonturas e até desmaio.

Já sabe desfrute… mas com cautela!

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

Famosos

Anitta fala sobre bissexualidade e diz que Pabllo Vittar canta muito melhor que ela

Publicado em

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Mesmo brigadas, Anitta, 26, não deixou de elogiar Pabllo Vittar, 24. A brasileira deu entrevista para a revista britânica Dazed e disse que a drag queen dança muito bem e canta melhor que ela.

“Eu a convidei [referindo-se a faixa “Sua Cara” (2017)] para mostrar às pessoas: ela canta bem demais – melhor que eu, na verdade -, ela dança, é super legal, é linda e é uma drag queen e merece respeito”, disse a namorada do surfista Pedro Scooby, 31.

O artigo, que busca mostrar argumentos e o caminho traçado por Anitta que a fizeram se tornar a “maior estrela da música pop brasileira”, aborda ainda a vida pessoal e a sexualidade da dona de “Vai Malandra” (2018).

A cantora afirma que todo o seu trabalho é feito para que as pessoas se divirtam e pensem sobre todos os assuntos. Então, agregar para suas músicas, uma representação muito forte da comunidade LGBT, como uma drag queen, é muito importante para o seu trabalho, mesmo ela já fazendo parte dessa comunidade.

“Meu lance não é apenas fazer música para as pessoas se divertirem e dançarem. Eu gosto de fazer as pessoas discutirem as coisas e pensarem diferente. Eu tenho um grande público LGBT, e eu sou bissexual – mas quando você me vê, se eu não disser que sou bissexual, eu não tenho a representação física da comunidade LGBT”, disse a carioca.

“É diferente quando você é uma drag queen. Eles não são tratados com seriedade ou como pessoas talentosas. Então, quando convidei Pabllo para “Sua Cara” e a ideia era educar as pessoas sem que elas sentissem que estavam sendo educadas. Foi super indireto”, finalizou a cantora, referindo-se a faixa que gravou ao lado de Pabllo e o produtor Diplo, 40.

ENTENDA A BRIGA

Anitta e Pabllo Vittar lançaram “Sua Cara” ao lado de Diplo em 2017. A briga entre elas surgiu depois do clipe desta faixa, em que Anitta acusa Pabllo de não ter pago nenhuma parte da produção audiovisual que foi gravada em Marrocos.

Em setembro de 2018, áudios de Anitta sobre os custos do clipe “Sua Cara” (gravado com Pabllo Vittar e Major Lazer) foram divulgados pelo jornalista Leo Dias e levantaram a questão de que a cantora teria pago sozinha todas as despesas da produção, num total de US$ 70 mil (cerca de R$ 250 mil).

Após a gravação, Pabllo teria pedido um cachê alto para participar de uma edição da festa Combatchy, criada pela própria Anitta, o que teria gerado a resposta em áudio.

“O jato era caríssimo, o clipe eu tava pagando sozinha, muito pão dura, entendi. Pão dura ia ser, se eu pegasse e falasse assim: ‘Não, eu não vou pagar clipe nenhum, faz de qualquer jeito’. Agora o clipe caro pra cacete, US$ 70 mil.

US$ 70 mil, amor! Sou pão dura? Para ficar pagando jato pra galera ir com a bunda no sol? Não preciso meu filho! Sou de Honório Gurgel, meu filho. Passei muito perrengue na minha vida”, dizia ela no áudio.

Desde então, as duas quase não tocaram no assunto, mas Vittar chegou a dizer que não tinha raiva de Anitta, apesar de elas não se falarem nem serem amigas.

“Eu não desejo nenhum mal para ela. Sempre acompanho os lançamentos dela. Mandei mensagem para ela no final de ano, desejando um ótimo ano, que Deus abençoe sempre ela. Sou muito grata por tudo que ela fez por mim, apesar de tanta fuxicada”, disse em uma entrevista à rádio O Dia.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
81