Fique Ligado!

Oi, o que você está procurando?

Luto

João Gilberto morre ao 88 anos

Um dos criadores da Bossa Nova, João Gilberto morreu aos 88 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada por um dos filhos do cantor, João Marcelo Gilberto.

A causa da morte ainda não foi confirmada pela família. “Meu pai morreu. Sua luta foi nobre, ele tentou manter a dignidade à luz da perda da independência. Agradeço minha família por estar aqui por ele”, escreveu o filho do cantor.

João Gilberto era o próprio violão. Calado para o mundo, ruidoso consigo mesmo, percutia as ideias em sua caixa de ressonância de forma que só quem estivesse próximo o escutasse. Na vida em monastério que adotou por anos, seguia invisível e em total silêncio, abrindo a porta de seu apartamento apenas para poucos, como a filha Bebel Gilberto, a ex-namorada Claudia Faissol e sua filha com ela, Lulu.

João não estava pronto para se tornar um gigante. Nunca entendeu bem o que era isso. Menino de Juazeiro da Bahia, nadou nas águas do São Francisco e beijou garotas da vizinha Petrolina como se fosse normal.

E era, até o dia em que avistou um caminhão vindo por uma estrada que cruzada sua cidade. Ao amigo que o acompanhava, disse como se recitasse uma oração: “Veja lá aquele caminhão, que maravilha. As árvores estão acariciando sua cabeça.” Árvores, pássaros, chuva, tudo parecia mais importante a seus olhos e ouvidos do que os próprios homens.

Mas a história estava em suas mãos. Filho do comerciante Juveniano Domingos de Oliveira e da católica Martinha do Prado Pereira de Oliveira, a Patu, João viveu em terras juazeirenses até 1942, aos 11 anos, quando seguiu para estudar em Aracaju.

Leia também:   Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 2,5 milhões no sábado

Juazeiro ainda o teria de volta quatro anos depois, quando o violão que o pai lhe deu começou a ganhar as primeiras carícias. A Rádio Nacional lhe trazia o mundo e João flutuava ao som de Orlando Silva, Dorival Caymmi, Chet Baker e Carmen Miranda. O primeiro grupo, Enamorados do Ritmo, veio logo, e Juazeiro ficou pequena.

A cidade que o recebeu na sequência teria sério papel na formação de seu caráter artístico. Aos 18 anos, em Salvador, já trabalhava com carteira assinada na Rádio Sociedade da Bahia, em Salvador.

Anunciante

Não havia ainda desenhado o formato voz e violão, mas seguia os mandamentos de Orlando Silva tentado imitá-lo, por mais que o moderno já fossem Dick Farney e Lúcio Alves. O grupo vocal Garotos da Lua o chamou e lá se foi, ainda sem a obrigação com o violão, gravar dois discos em 78 rotações.

O Rio de Janeiro fervia na segunda metade dos anos 50, e foi para lá que João seguiu, aos 26 anos, em 1957. Sem muitos recursos, seguia a trilha de quem queria ser alguém com um violão debaixo do braço. Cantou para quem poderia fazer a diferença, como o cantor Tito Madi, mas teve mais sorte ao cair nas graças do produtor e também violonista Roberto Menescal.

O violão de João virava a vedete. Bim Bom, uma das primeiras que apresentou aos círculos de artistas no Rio, já trazia o caminhão com a carroceria cheia. A levada uniforme deslocando acentos fortes para lugares incomuns, a harmonia abrindo picadas onde ainda ninguém havia passado, a mão que fazia acordes fazendo também percussão.

E a voz. A voz de João deixava as tentativas da impostação e partia para o que fazia o trompetista Chet Baker quando cantava. Volume baixo e notas de longa duração, limpas, sem vibrato. João, depois de acreditar no violão, passava a ter fé no fio da própria voz.

Leia também:   Confira dicas de alimentação equilibrada para quem sofre com a gastrite

E, então, fez-se a Bossa Nova. Era julho de 1958 quando Elizete Cardoso aparecer com o disco Canção do Amor Demais, com músicas de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Ao violão em duas das faixas, Chega de Saudade e Outra Vez, João Gilberto.

E era só a ponta da cabeça de um baiano que se revelaria por inteiro um mês depois. Em agosto, João, já uma aposta de Tom Jobim, Dorival Caymmi e Aloysio de Oliveira, grava seu próprio 78 rotações com Chega de Saudade e Bim Bom, gravado pela Odeon.

Se acabasse aqui, a missão de João já estaria completa. O que ele fez foi pouco e simplesmente tudo. Criou um violão brasileiro e, sobre ele, ajudou a fundar um gênero. Seguiu na formatação de sua proposta com o seguinte 78, em 1959, que trazia Desafinado, de Tom e Newton Mendonça, e Hô-bá-lá-lá, música de sua autoria.

E ainda traria seu LP Chega de Saudade, definindo-se como um acontecimento. “Em pouquíssimo tempo, (João) influenciou toda uma geração de arranjadores, guitarristas, músicos e cantores”, escreveu Tom na contracapa do disco.

Anunciante

Veja Vídeo:

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!

Mais lidas – 24H



“voucher” emergencial

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600,00,...

TIROS E CORONHADAS

Morreu às 18h30 desta quinta-feira (26) na Santa Casa de Araçatuba, Patrick da Silva Cezareto, 22 anos, que foi baleado às 15h30 em um...

SOCORRIDO

Um homem, conhecido como “Pote”, acaba de ser baleado em um estabelecimento comercial na rua Pedro Moreno, no conjunto habitacional Porto Real, zona oeste...

PANDEMIA

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), baixou decreto nesta quinta-feira (26/03), permitindo o funcionamento do comércio e do transporte coletivo que sofriam...

flagrante

Um homem de 56 anos foi preso em flagrante pela Polícia Militar de Araçatuba, acusado de participar de um assalto a uma farmácia localizada...

luta contra a doença

Quatro pacientes que estavam internados em estado grave na UTI do Hospital Igesp em São Paulo receberam alta após usarem por uma semana a...

Alerta

O número de óbitos relacionados ao novo coronavírus no Estado de São Paulo cresceu 163,6% em apenas quatro dias, conforme balanço da Secretaria de...

SOLIDARIEDADE

Após ter feito um apelo pela manutenção dos empregos por causa do fechamento provisório das indústrias calçadistas de Birigui em função da pandemia de...

Sars-Cov-2

O primeiro mês da circulação do coronavírus Sars-Cov-2 no Brasil deixou 77 mortes e 2.915 casos confirmados. Os dados são do balanço do Ministério...

SAÚDE PÚBLICA

Araçatuba e Birigui estão entre os 80 municípios paulistas com mais de 100 mil habitantes que irão receber recursos para o enfrentamento ao coronavírus....

PANDEMIA

Um empresário de 54 anos é o primeiro caso confirmado de Covid-19 na região de Araçatuba. Trata-se de um morador de Penápolis, que atua...

combate ao coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) informou por meio das redes sociais nesta quinta-feira (26) que zerou o imposto de importação que incide sobre...

Anunciante
Anunciante
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998