CONECTE CONOSCO

PENÁPOLIS

Convênio para rotatória da Bonolat deve ser assinado na próxima semana

Publicado em



O governador do Estado de São Paulo em exercício, Rodrigo Garcia (DEM), anunciou nesta quinta-feira (11), durante reunião com prefeitos, que deverá ser assinado nos próximos dias o novo convênio para a construção do dispositivo de acesso na Rodovia Arnaldo Covolan, conhecido como rotatória da Bonalat, laticínio que está em fase final de instalação, com investimentos de R$ 60 milhões.

A rotatória vai garantir a segurança dos motoristas na região e facilitar a entrada de insumos e o escoamento da produção do laticínio, que tem previsão de inauguração ainda em 2019. As obras do dispositivo estão orçadas em R$ 3,7 milhões, sendo R$ 2,6 milhões do governo de São Paulo, R$ 700 mil do município e R$ 400 mil da empresa Asperbras Alimentos, da qual a Bonolat faz parte.

Em vídeo gravado pelo prefeito Célio de Oliveira (Sem Partido), o governador em exercício afirma que, em nome do governador João Doria (PSDB), o governo está assumindo o compromisso com a cidade de assinar o convênio de repasse de recursos para transformar o projeto em realidade.

“Já estamos finalizando as tratativas para que isso possa gerar emprego e renda, pois é disso que o Brasil precisa. A prioridade é o emprego, e é disso que estamos tratando aqui no Palácio dos Bandeirantes”, assegurou Garcia. A reunião com Garcia ocorreu nesta quinta-feira, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, e contou ainda com a presença do diretor da Asperbras Alimentos, Jorge Antonio.

“Estamos muito satisfeitos com o saldo desta nossa audiência com o governador em exercício, a quem agradecemos pela receptividade e parceria para o bem da nossa cidade e de toda região, que clama por desenvolvimento. Agora vamos aguardar, para os próximos dias, o chamado do governo para voltarmos a São Paulo e finalmente assinar o convênio”, concluiu o prefeito Célio de Oliveira.

 

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
Anunciante

QUARTO DE MILHA

Arenas equestres de Araçatuba são elogiadas por competidores e pelo público

Maior e mais tecnológico complexo esportivo equestre da América Latina foi viabilizado por meio de parceria entre o Siran, a Prefeitura e a ABQM

Publicado em

O competidor João Paulo Oliveira, que participou das categorias Profissional Sênior e Profissional Light, disse que as pistas de Araçatuba são as melhores por onde ele já passou em mais de dez anos de carreira

Em apenas três meses de obras, trabalho intenso de arquitetura e engenharia, procedimentos administrativos e financeiros – mais de R$ 7 milhões investidos nesta primeira etapa –, e muita expectativa, o maior e mais tecnológico complexo esportivo equestre da América Latina finalmente entrou em operação. Começaram neste sábado (20) e vão até o próximo dia 28, no recinto de exposições Clibas de Almeida Prado, em Araçatuba (SP), as provas do 42º Campeonato Nacional Quarto de Milha.

Araçatuba tem o maior e mais tecnológico complexo equestre da América Latina, no Recinto Clibas de Almeida Prado

Classificada pela ABQM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha), organizadora do evento, como a maior edição de sua história, a competição bateu recorde de inscrições: 8.935 conjuntos inscritos (6.586 inscrições pela ABQM; 576 inscrições pela AQHA – American Quarter Horse Association; além de 1.773 de treinos pagos; que serão disputados por 1.322 competidores, montando em 2.218 animais). Tudo por conta da nova estrutura construída em Araçatuba.

Fábio Brancato, do Siran: “Esforço e parcerias”

O presidente do Siran (Sindicato Rural da Alta Noroeste), Fábio Brancato, lembra que a concretização do projeto só foi possível graças a parcerias. “Houve um esforço muito grande de todos os envolvidos nesse processo para que essas provas equestres viessem para Araçatuba. Desde a ideia inicial dos criadores de Quarto de Milha, Jamil Buchala Filho e José Macário Perez Pria, ao envolvimento do Dilador Borges, que conseguiu, por meio do deputado estadual Cauê Macris, e do então governador Gerado Alckmin, a doação do recinto ao município, que, por sua vez, o concedeu ao Siran. Por fim, o entendimento da ABQM de que Araçatuba era a melhor opção para a realização das suas competições fechou o ciclo”, lembra Brancato.

ESTRUTURA

As novas benfeitorias do recinto ocupam uma área de 200 mil m², o que corresponde a 51 campos de futebol. Três grandes arenas cobertas de provas, com 6 mil m² cada uma, e outras três de aquecimento estão entre as construções. Além delas, foram construídos desembarcadores, lavadores e banheiros; ruas foram pavimentadas em concreto, para a melhor comodidade dos animais, competidores e espectadores.

No total, a obra contou com mais de 400 toneladas de aço, 750 m³ de concreto, 3 mil metros de redes hidráulica, 450 metros de redes de drenagem pluvial e mais de 30 quilômetros de cabos de energia elétrica.

“Desde o projeto até a execução, sempre tivemos como base as futuras instalações, pois esta obra é apenas a primeira de uma série de outras. Em nossos projetos hidráulico e elétrico, na execução já pensamos e dimensionamos de uma forma seja possível ampliar as redes no futuro. Ou seja, nas próximas fases, não será necessário alterar o que já foi feito”, explica o também engenheiro civil e sócio proprietário da empresa de engenharia que gerenciou as obras, Leandro Amaral.

AVALIAÇÃO E NÚMEROS

Para o competidor João Paulo Oliveira, que participou das categorias Profissional Sênior e Profissional Light, as pistas de Araçatuba são as melhores por onde ele já passou em mais de 10 anos de carreira. “A logística e a infraestrutura aqui são excelentes. As arenas são de fácil acesso, com cocheiras perto das pistas, o que facilita o manejo. O solo é excelente, leve, equilibrado com a quantidade ideal de areia, o que não exige esforço excessivo dos animais. Tudo ficou perfeito”, comenta ele, que no sábado com o garanhão Genuine Red Quynce.

Desde as primeiras provas, logo pela manhã, o público lotou as arquibancadas e ruas do complexo. A dona de casa Sílvia Bortoleti Moreira visitou o recinto com a família e ficou impressionada com o que viu. “Superou muito a minha expectativa. Tá tudo muito estruturado e organizado. Almoçamos aqui, passeamos pelo boque, passamos pelas lojas e vamos acompanhar as provas. Estamos adorando”, disse.

Nos nove dias do Campeonato, a expectativa da ABQM é que sejam movimentados cerca de R$ 32 milhões e gerados 700 empregos diretos. Quase R$ 1,3 milhão será distribuído em premiação aos competidores. A expectativa é atrair mais de 50 mil pessoas ao parque, sendo 5 mil pessoas por dia, de segunda a sexta-feira, e entre 7 e 8 mil pessoas aos sábados e domingos. A entrada e o estacionamento são gratuitos. As provas serão realizadas todos os dias, a partir das 8h até as 19h.

Público lotou as ruas do complexo e também as arquibancadas logo pela manhã, durante as primeiras provas

A área comercial terá a participação de aproximadamente 400 empresas – de produtos e insumos relacionados às atividades equestres, moda country, veículos e maquinários agrícolas, entre outros. De acordo com a ABQM, o número de expositores representa um crescimento superior a 150%, além de um aumento de 400% em patrocínios oficiais.

 

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

ECONOMIA

Em meio à crise, Birigui recebe R$ 20 milhões de investimentos

Previsão é de gerar 750 empregos até o fim do ano com a instalação de novas empresas e a ampliação de outras

Publicado em

Em meio à crise econômica e às dificuldades da indústria calçadista, Birigui contabiliza, este ano, R$ 20 milhões em investimentos na economia local. Os números refletem a instalação de novas empresas na cidade, algumas já em funcionamento, outras em processo de implantação. A estimativa é de gerar perto de 750 empregos diretos até o fim do ano.

A movimentação prevista inclui aquisição de móveis e equipamentos, construção e reformas. A atração de investimentos para o município faz parte de uma estratégia para diversificar a economia da cidade, até então dependente, sobretudo, da indústria calçadista.

O setor vem sentindo os impactos da crise econômica. Nos primeiros seis meses, dez empresas calçadistas fecharam as portas em Birigui e, somente nos últimos dois meses, 3 mil pessoas perderam os empregos. As estatísticas são reflexo da perda do poder de compra do consumidor, o que impacta na redução da produção das indústrias.

De outro lado, o município atraiu novos investimentos, como o do Grupo Votorantim, que está instalando um centro de distribuição de cimento, em uma área de cerca de oito mil metros quadrados, localizada no km 525 da Marechal Rondon.

A empresa deverá gerar 40 empregos diretos e agregar dez caminhões pequenos trucados para a distribuição dos produtos no Noroeste Paulista e Mato Grosso do Sul.

Outro empreendimento é da Mundo Móveis, empresa fabricante de estofados em geral, que tem previsão de gerar, inicialmente, 200 empregos diretos, chegando a 400 quando a produção estiver a todo vapor.

A empresa está selecionando 50 tapeceiros; 50 pessoas com conhecimento em costura (de preferência em máquina reta) e 20 marceneiros. Há vagas para o escritório também.

FORNOS

A indústria metalomecânica Tecnopizza, que está em processo de instalação na antiga área da calçadista Classipé, que encerrou as atividades neste ano, vai produzir fornos elétricos para pizzarias. A previsão é de contratar 60 funcionários, entre motoristas, auxiliares de escritórios e para a linha de produção.

ÁREAS

O titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Nelson Giardino, disse que além dos novos empreendimentos, o município distribuiu, desde o início da atual gestão, 122 mil metros quadrados de área nos distritos industrial 1 e 2, para 60 empresas em fase de expansão.

Hoje, a Secretaria possui 138 vagas abertas de emprego pelas empresas em processo de instalação na cidade. “Nosso desafio é atrair investimentos para diversificar a nossa economia. Já estamos em negociação com mais uma empresa, que é líder de mercado na área de matéria-prima para calçado, indústria automobilística e vestuário em geral”, afirmou, sem citar nomes.

“O governo municipal está trabalhando incansavelmente para que novas indústrias e empresas de grande porte invistam em Birigui, que conta com uma excelente mão de obra”, afirmou o prefeito Cristiano Salmeirão (PTB).

Ele cita, ainda, que o município investiu na nova UBS do Jandaia, no Ambulatório de Saúde da Criança, Centro Oftalmológico e Centro de Ortopedia, além de ter recebido investimentos privados da rede Lojas Cem, Móveis Casa Verde e rede Montreal Magazine, entre outras empresas que empreenderam na cidade.

SERVIÇO

Os currículos para as vagas disponíveis nas empresas de Birigui podem ser enviados para a Sedecti, que fica na Rua Nilo Peçanha, 301, Centro. O telefone é (18) 3641-6270.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

REGIÃO

Procon lacra supermercado por venda de produtos com prazo vencido em Lins

A rede possui 13 lojas em 6 municípios da região, e em Araçatuba.

Publicado em

Foto: J. Serafim/Divulgação

O Procon, órgão estadual de defesa do consumidor, determinou nesta sexta-feira (19) a interdição temporária de uma das unidades do Supermercado Amigão instaladas em Lins (SP). A loja lacrada é a que fica na Rua Olavo Bilac, no centro da cidade. As informações são do portal G1.

Uma equipe do Procon foi até o estabelecimento às 7h e lacrou os caixas com uma fita. A lacração vale por 12 horas: começou às 7h30 e se estende até 19h30 desta sexta.

Foto: J. Serafim/Divulgação

A justificativa do órgão é a reincidência de infrações cometidas pelo supermercado. Segundo o Procon, nos últimos três anos foram registradas 35 infrações contra o consumidor pela venda de produtos com prazo vencido. Os processos geraram multas que chegam a R$ 112 mil.

A empresa pode recorrer através de liminar. Outros estabelecimentos instalados no mesmo prédio do supermercado, como banco, lotérica e lojas, mantiveram o funcionamento normal.

Conforme a equipe de reportagem do portal G1, entrou em contato com a rede de supermercados, que ainda não se manifestou sobre a interdição.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
91