CONECTE CONOSCO

indicação

Bolsonaro diz que indicará ao STF ministro “terrivelmente evangélico”

"O estado é laico, mas nós somos cristãos", disse. Compromisso foi feito em culto realizado pela frente parlamentar evangélica na Câmara e foi reafirmado no plenário.

Publicado em



O presidente da República Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quarta-feira, 10, que, entre os dois ministros que deverá indicar para o STF, “um deles será terrivelmente evangélico”.

A afirmação aconteceu no culto de Santa Ceia realizado pela Frente Parlamentar Evangélica na Câmara dos Deputados. Em seguida, o presidente participou de sessão solene em comemoração aos 42 anos da Igreja Universal do Reino de Deus, na qual reiterou o compromisso de indicar um evangélico. “O estado é laico, mas nós somos cristãos.”

O culto é organizado semanalmente pela Frente Parlamentar Evangélica, mas geralmente ocorre em um plenário de comissão. Desta vez, foi realizado no Auditório Nereu Ramos, o maior da Casa Legislativa.

Bolsonaro é católico, mas a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, é evangélica. Na campanha eleitoral, ele contou com o apoio de grupos evangélicos e, desde que assumiu, vai com frequência a eventos evangélicos. Ele foi o primeiro presidente a participar da Marcha para Jesus, em São Paulo.

Promessa

Não é a primeira vez que o chefe do Executivo fala em indicar um ministro evangélico para o Supremo. No fim de maio, também em evento religioso, ele questionou: “Será que não está na hora de termos um ministro no STF evangélico?”. Ele comentava recentes discussões da Corte como a criminalização da homofobia.

“Com todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, eu pergunto: existe algum, entre os 11 ministros do Supremo, evangélico? Cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que eu quero misturar a Justiça com religião. Todos nós temos uma religião ou não temos. E respeitamos, um tem que respeitar o outro.”

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
Fonte:
migalhas
Anunciante

DISTRITO FEDERAL

Homem que matou ladrão em posto se apresentará à polícia na segunda

O autor dos disparos, Carlos Aberto de Sousa, 54, seria caçador profissional e estava de passagem no estabelecimento, segundo o advogado

Publicado em

O homem que reagiu a um assalto em posto de gasolina na madrugada desta sexta-feira (11/10/2019) e matou um dos ladrões vai se apresentar à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) nesta segunda-feira (14/10/2019).

Carlos Alberto de Sousa, 54 anos, seria caçador profissional e estaria viajando para Luziânia com intuito de caçar javaporcos, quando parou para abastecer, e cinco suspeitos desembarcaram de um carro roubado e pediram os celulares, diz o advogado dele. A 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), que investiga o caso, no entanto, não confirma a versão.

De acordo com o advogado Adilson Valetim, quando Carlos chegou ao estabelecimento, um outro veículo estava sendo abastecido. Enquanto aguardava, ele resolveu se sentar e comer um lanche. “Foi aí que percebeu a chegada de um carro com várias pessoas. Ele não reagiu de primeira: pediram o celular, e ele entregou”, relata.

Durante o assalto, no entanto, Carlos supôs que os ladrões teriam visto o a pistola .380 que ele portava. “Se vissem a arma o matariam. Nesse momento que ocorreu a reação. O que morreu tomou um tiro no rosto, e outros dois ainda foram atingidos”, conta. Segundo o defensor, a arma possui licença para ser usada.

“O delegado ainda quer ouvir a versão do meu cliente. A partir disso, será instaurado inquérito, e vamos esperar a posição do Ministério Público. Caso haja denúncia, vamos sustentar a tese da legítima defesa”, explica Valentim.

O delegado Josué Ribeiro, da 12ª DP, não confirmou a versão. Procurado pela reportagem, pregou cautela e disse ser preciso conversar com Carlos Alberto antes de se pronunciar. Informações como a procedência da arma e o real motivo de o suposto caçador estar no posto ainda precisam ser investigadas, de acordo com Josué.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO

SÃO PAULO

Em Aparecida, arcebispo diz que ‘direita é violenta e injusta’

Dom Orlando Brandes também falou em defesa da natureza e pediu que 'crianças não morram mais de bala perdida'. Sobre a homilia, religioso disse após a missa que referência foi a ideologia, não a governos.

Publicado em

Missa solene é celebrada no altar central da Basílica de Aparecida (SP); Homilia fez críticas sociais e políticas — Foto: Thiago Leon/ Santuário Nacional de Aparecida

O sermão do arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, na missa solene no Santuário Nacional, maior templo católico do país, criticou o ‘dragão do tradicionalismo’ e disse que a ‘direita é violenta e injusta’. Ele ainda criticou a corrupção, defendeu a preservação da natureza e pediu para que crianças não morram mais vítimas de bala perdida.

A celebração, neste 12 de outubro, feriado da Padroeira, começou às 9h e durou 1h30. A missa foi acompanhada por uma multidão – neste feriado são esperados 170 mil romeiros em Aparecida. O presidente Jair Bolsonaro tem agenda na basílica às 16h e está previsto encontro com o arcebispo.

Na homilia de Dom Orlando, que durou cerca de 10 minutos, ele fez referência a duas leituras bíblicas com desdobramentos em temas da atualidade.

“Temos o dragão do tradicionalismo. A direita é violenta, é injusta, estão fuzilando o Papa, o Sínodo, o Concílio Vaticano Segundo. Parece que não queremos vida, o Concílio Vaticano segundo, o evangelho, porque ninguém de nós duvida que está é a grande razão do sínodo, do concílio, deste santuário, a não ser a vida como já falei”, disse.

O arcebispo também tratou de outros temas com os fiéis, entre eles
-aborto
-suicídio
-assistência aos idosos
-desemprego

Sobre a preservação da Amazônia, ele reforçou a defesa da Igreja à vida. “Bendito seja o Sínodo da Amazônia, que está pensando na vida daquelas árvores, daqueles rios, daqueles pássaros, mas principalmente daquelas populações. Muitos de nossos parentes estão lá”, disse o religioso.

Com uma alusão novamente ao ‘dragão’ que, segundo ele nas escrituras representa o mal, também criticou as desigualdades sociais que têm, entre outras origens, a corrupção e o desemprego.

“Aquele dragão, que ainda continua, estão sendo facilitados agora os caminhos do dragão da corrupção, que tira o pão da nossa boca e aumenta as desigualdades sociais, que a mãe não pode ficar alegre com filhos desempregados,com filhos sofrendo uma violência injusta, com filhos e filhas não tendo nem como sobreviver cada dia, talvez até a cada minuto da vida. Dragão é o que não falta, mas a fé vence”, concluiu.

Sobre a homilia, no trecho em que cita a direita, o religioso foi questionado pelo portal G1 após a missa e afirmou que referência foi a ideologia, não a governos.

“Todo mundo sabe o que é direita, nós temos muitas pessoas que não aceitam o Vaticano, o Papa, por visão tradicionalista. Ás vezes com nome diferentes, com nomes antigos. São grupos muito antigos, sempre houve na igreja a ideologia da esquerda e a ideologia da direita e nós não podemos ser ideológicos, precisamos ser pessoas da verdade. A ideologia sempre procura os próprios interesses. Já a verdade é uma pessoa: Jesus Cristo, e o seu evangelho”, analisou.

Os comentários aqui não refletem a opinião do site, e são de responsabilidade do autor. O comentário NÃO É PUBLICADO automaticamente em seu Facebook, fique tranquilo!
CONTINUE LENDO
error: Conteúdo protegido. LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998
79